Tempo quente e seco aumenta o risco de queimadas em Alagoas

Tempo quente e seco aumenta o risco de queimadas em Alagoas

O clima seco e a falta de chuva, principalmente no Sertão e no Agreste de Alagoas, devem elevar os números de casos de queimada foram registrados no estado.

Militares do CBM (Corpo de Bombeiros Militar) trabalham quase que diariamente no combate aos incêndios, causados, na maioria das vezes, por ação humana.

De acordo com o meteorologista Humberto Barbosa, as queimadas próximas às linhas e torres de transmissão de energia podem causar danos maiores, como o risco de apagões em toda a região Nordeste.

“As linhas de transmissão e torres também podem ser afetadas com as queimadas e, com isso, ocorrerem apagões em toda a região do Nordeste brasileiro. A gente corre esse risco em função da situação da vegetação muito seca e das chuvas de janeiro estarem abaixo da média histórica”, alerta.

Barbosa explica que a falta de manutenção desses equipamentos pode gerar incêndio. “As linhas de transmissão possuem faísca e, como estão sem manutenção por muito tempo, podem gerar incêndios. Se você perceber, as linhas atravessam regiões de caatinga seca, pastagem e pode acontecer da faísca cair e pegar nessas áreas”.

No entanto, ele afirma que a maior parte dos incêndios é induzida diretamente ou indiretamente pela ação do homem. “Poucos incêndios têm causas naturais, como raios ou outro fenômeno. A maioria é provocada pelo homem de forma indireta ou direta, com o uso do fogo para limpeza de pastagem para plantio”.


Deixe uma resposta