82 99641-3231

Alagoas ultrapassa meta e alcança 91,66% de pessoas imunizadas contra a gripe

Campanha de vacinação contra a gripe, estabelecida pelo Ministério da Saúde, ultrapassou a meta de 90%, alcançando o percentual de 91,66% de pessoas imunizadas no estado de Alagoas.

Segundo o último levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), na tarde desta terça-feira (19), o número corresponde a 624.559. A campanha de vacinação segue até a próxima sexta-feira (22).

Com esses dados, ainda conforme a Sesau, Alagoas se torna um dos únicos estados do Nordeste, além do Ceará, a atingir a meta da campanha.

De acordo com Programa Nacional de Imunização (PIN), Alagoas já imunizou:

101,09% dos professores;
99,62% dos idosos;
99,24% das puérperas (até 45 dias após o parto);
99,22% dos indígenas;
98,24% dos trabalhadores de saúde;
84,80% das gestantes;
79,72% das crianças (de 6 meses a cinco anos).
A secretaria acredita que a implantação de postos volantes de vacinação na capital e mutirões em áreas como grotas e regiões periféricas contribuíram para que a meta fosse ultrapassada.

As vacinas continuam disponíveis nos postos de saúde de todo o estado. Para ter acesso à imunização, é preciso ir a qualquer um deles, com cartão de vacina e um documento de identificação com foto.


Referência na cardiologia acusa direção da Santa Casa de desmantelamento do Instituto do Coração

O médico cardiologista e ex-vice-governador do Estado José Wanderley Neto tornou pública uma carta onde denuncia o que ele classifica como “retrocesso sem precedentes” com a decisão da Santa Casa de Misericórdia de Maceió em “despejar” o Instituto de Doenças do Coração das suas dependências, após 40 anos realizando procedimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Na carta, Wanderley ressalta os relevantes serviços prestados pelo Instituto, que realizou 40 transplantes do coração, operou mais de 20 mil pacientes e formou mais de 80 médicos cardiologistas, se tornando uma referência médica em todo o país. Apesar de sua relevância social, sobretudo por atender a pacientes sem convênio médico, o Instituto estaria sofrendo um desmantelamento orquestrado pela mesa administrativa da entidade filantrópica, presidida há anos por Humberto Gomes de Melo. Segundo o médico, o espírito de filantropia da Santa Casa “se perdeu com o comando ditatorial de uma gestão predatória”.

“É fato também que há muito se tem tentado, sem sucesso, de forma sorrateira e às vezes ostensiva, desmantelar um dos serviços mais destacados da instituição. Mudanças são implementadas sem consulta a quem de direito e se eventualmente ocorre, não têm nenhuma consequência”, diz Neto em um trecho da carta.

O especialista ainda acusa a mesa diretora da Santa Casa de usar o discurso de “melhorar a estrutura” para transferir o centro cirúrgico da cardiologia para o centro cirúrgico geral, o que na avaliação do cirurgião cardiovascular compromete a segurança da equipe e dos pacientes.

Diversas personalidades saíram em defesa do posicionamento do médico José Wanderley Neto e contra o desmonte do Instituto de Doenças do Coração. Diante da enorme repercussão, a Santa Casa de Misericórdia de Maceió emitiu a seguinte nota oficial, assinada pelo diretor-técnico da instituição, o também médico Artur Gomes Neto:

Nota de Esclarecimento

1 – A Santa Casa de Maceió não despejou o Instituto de Doenças do Coração (IDC). O local onde funcionava o IDC entrará em obras de reforma nos próximos dias, dentro do plano de investimentos previsto para este ano.

2 – As consultas de convênios e particulares, antes atendidas no IDC, estão sendo realizadas temporariamente em novo complexo na Rua Pedro Monteiro, 275 (vizinho à Procuradoria Geral de Maceió), conforme foto abaixo.

3 – O Instituto de Doenças do Coração nunca atendeu pacientes do SUS. As consultas são apenas de convênios e particulares.

4 – As consultas ambulatoriais cardiológicas do SUS são realizadas na Santa Casa Poço e no novo Centro Médico Duílio Marsiglia e, enfatizando, nunca foram realizadas no IDC.

5 – Não houve redução de cirurgias cardiológicas do SUS na Santa Casa de Maceió. Pelo contrário, o DataSUS registra aumento de 499 para 552 procedimentos entre 2016 e 2017. Somente nos quatro primeiros meses de 2018 foram realizadas 181 intervenções, bem acima do realizado no mesmo período em 2017 (160 cirurgias) e em 2016 (130).

6 – O centro cirúrgico da Santa Casa de Maceió jamais foi fechado. O complexo de 13 salas cirúrgicas, inclusive, tem duas destinadas a cirurgias cardiológicas.

7 – Toda equipe da Cardiologia da Santa Casa de Maceió continua exatamente a mesma, atendendo SUS sem qualquer redução em seus quadros.

8 – A equipe de cirurgia cardiológica foi ampliada, contando agora com sete cirurgiões.

Diante de tais esclarecimentos, a Santa Casa de Maceió vem de público reforçar seu compromisso com os pacientes cardiológicos do SUS assim como de outras especialidades em Alagoas.


Ministério da Saúde prorroga vacinação contra a gripe até o dia 22 de junho

O Ministério da Saúde decidiu prorrogar a campanha de vacinação contra a gripe deste ano até o dia 22 de junho, informou nesta quarta-feira (13).

A vacinação deste ano, que começou no dia 23 de abril, atingiu 42,6 milhões de pessoas. O número representa 77,6% da população prioritária que deveria receber as doses. A meta inicial é alcançar 54,4 milhões de pessoas.

A vacina contra a gripe é indicada por pessoas em maior risco de transmissão (como profissionais da saúde) ou pessoas com maior possibilidade de desenvolver complicações mais graves (como é o caso de idosos).

Passado o prazo, o governo informa que a imunização poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos caso haja disponibilidade de vacinas nos estados e municípios.

Alerta sobre a cobertura

Para o Ministério da Saúde, a baixa cobertura registrada até o período “acendeu um alerta”. A preocupação, segundo a pasta, é com a proximidade do inverno, período considerado de maior circulação do vírus da gripe.

Dentre as regiões, a Sudeste é a que teve a menor cobertura vacinal contra a gripe até o momento, com 70,9%. Em seguida, as regiões Norte (72%), Sul (81,3%), Nordeste (84%) e Centro Oeste (91,4%).

Hoje, a vacina é distribuída gratuitamente para os seguintes grupos:
  1. Professores da rede pública e privada;
  2. Profissionais de saúde;
  3. Crianças entre 6 meses e cinco anos (estão com a menor cobertura);
  4. Gestantes;
  5. Mulheres com parto recente (com até 45 dias);
  6. Idosos a partir de 60 anos;
  7. Povos indígenas;
  8. Portadores de doenças crônicas;
  9. População privada de liberdade (inclui funcionários do sistema prisional e menores infratores).

Doadores de sangue recebem camisa para torcer pela Seleção Brasileira

Que tal ajudar a salvar até quatro vidas e, ainda, receber uma camisa para torcer pela Seleção Brasileira, durante os jogos da Copa do Mundo de Futebol? Isso será possível para os voluntários que comparecerem aos Hemocentros de Alagoas (Hemoal) e Regional de Arapiraca (Hemoar) entre a segunda (11) e a sexta-feira (15), quando acontece a Semana Mundial do Doador de Sangue, que tem como slogan “Torcer está no Sangue”.

Por meio desta ação, os hemocentros públicos alagoanos esperam formar um estoque de sangue satisfatório para atender a crescente demanda de transfusões durante o mês de junho e julho. Isso porque, neste período, além das férias do meio do ano, irão ocorrer os feriados dos festejos juninos e haverá também as festas comemorativas em razão da Copa de Futebol na Rússia.

“Estamos com apenas 64% do estoque de sangue mínimo necessário, uma vez que dispomos de 194 bolsas de sangue, mas necessitaríamos de 300. Com isso, temos que formar um estoque estratégico para atender as maternidades e hospitais que necessitarem de sangue neste período”, salientou Maria das Graças Padilha, assistente social do Hemoal.

Onde doar – Para se candidatar à doação de sangue, basta se dirigir até o Hemoal Trapiche, localizado ao lado do Hospital Geral do Estado (HGE). A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e aos sábados, das 8h às 17h.

Já no Hemoal Farol, localizado no Hospital do Açúcar, o atendimento ocorre das 8h às 11h. As doações também podem ser realizadas no Hemoar, situado na Rua Geraldo Barboza Lima, no Centro de Arapiraca. O órgão atende de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30.

Critérios da Doação – Para se candidatar à doação de sangue é necessário ter idade entre 16 e 69 anos, no mínimo 50 kg e portar um documento de identificação com foto, segundo exigência do Ministério da Saúde (MS). No caso dos menores de 18 anos, é necessário estar acompanhado dos pais.

Além destes pré-requisitos, o voluntário não pode ter contraído doença de Chagas, Aids, sífilis e hepatite após os 11 anos. É indispensável que o candidato à doação de sangue compareça bem alimentado. Em se tratando das gestantes e lactantes, não é permitida a doação. Já quanto aos doadores que irão repetir o procedimento, estipula-se um intervalo de dois meses para os homens e três para as mulheres.


Campanha de vacinação contra gripe termina na sexta-feira

A campanha de vacinação contra a gripe será encerrada na próxima sexta-feira (15) em todo o país. Dados do Ministério da Saúde mostram que 13 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo ainda precisam ser imunizadas. A expectativa da pasta é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o final da campanha.

Devem receber a dose crianças de 6 meses a menores de 5 anos, idosos a partir de 60 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem ser imunizadas. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão registrados.

Cobertura

Até 7 de junho, foram vacinadas 41,2 milhões de pessoas contra a gripe. O público com maior cobertura é o de puérperas (86,7%), seguido pelos idosos (86,6%), professores (85,4%) e indígenas (81,7%). Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura ficou em 79,7,6% e gestantes 62%. O grupo com menor índice de vacinação foram as crianças, entre seis meses e cinco anos, a cobertura é de apenas 57,5%.

Casos

O último boletim do ministério aponta que, até 2 de junho, foram registrados 2.315 casos de influenza em todo o país, com 374 óbitos. Do total, 1.395 casos e 243 óbitos foram pelo vírus H1N1, além de 463 casos e 70 óbitos por H3N2. Há ainda o registro de 236 casos de influenza B, com 29 óbitos, e 221 casos de influenza A não subtipado, com 32 óbitos.

Vacina

A pasta informou que a vacina é segura e reduz complicações que podem provocar casos graves da doença, internações e óbitos. A dose utilizada na rede pública de saúde protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul ao longo do último ano, incluindo o H1N1 e o H3N2.

Reações adversas

Ainda de acordo com o ministério, após a aplicação da dose, podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. As manifestações são consideradas benignas e os efeitos costumam passar em 48 horas.

A vacina da gripe é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações.


Arapiraca e mais 10 municípios de AL apresentam risco de surto de dengue, zika e chikungunya

O Ministério da Saúde divulgou na tarde desta quinta-feira (07) um levantamento que mostra Alagoas com 11 municípios em situação de risco pelo alto índice de dengue, zika e chikungunya.

O Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) indica que 1.153 municípios brasileiros (22%) apresentaram um alto índice de infestação, com risco de surto para essas três doenças causadas pela picada do Aedes aegypti.

Na classificação de risco estão 11 municípios do interior do Estado: Japaratinga, Teotônio Vilela, Satuba, Ouro Branco, Arapiraca, Major Izidoro, Estrela de Alagoas, Craíbas, Igaci, Taquarana e Jaramataia. Figurando na classificação de alerta estão a capital e outras 50 cidades espalhadas por todo o Estado.

Confira, abaixo, a lista dos municípios em situação de risco, alerta ou grau satisfatório.

CLASSIFICAÇÃO “VERMELHO” – RISCO – 11 cidades:

Japaratinga, Teotônio Vilela, Satuba, Ouro Branco, Arapiraca, Major Izidoro, Estrela de Alagoas, Craíbas, Igaci, Taquarana e Jaramataia.

CLASSIFICAÇÃO “AMARELO” – ALERTA – 51 cidades:

Pilar, Carneiros, Feira Grande, Maragogi, Jacaré dos Homens, Senador Rui Palmeira, Poço das Trincheiras, Santa Luzia do Norte, Traipu, Limoeiro de Anadia, Rio Largo, Monteirópolis, Novo Lino, Penedo, São Miguel dos Milagres, Coruripe, Flexeiras, Maceió, Mata Grande, Água Branca, Olho D’Água do Casado, Coqueiro Seco, Campestre, Paulo Jacinto, Tanque D’arca, Girau do Ponciano, Porto Calvo, Belém, Colônia Leopoldina, Maribondo, São José da Tapera, Batalha, Piranhas, Dois Riachos, Messias, Minador do Negrão, Lagoa da Canoa, Cacimbinhas, Delmiro Gouveia, Palestina, São Sebastião, Atalaia, Santana do Mundaú, Capela, União dos Palmares, Campo Alegre, Murici, Palmeira dos Índios, Santana do Ipanema e Maravilha.

CLASSIFICAÇÃO “VERDE” – SATISFATÓRIO – 40 cidades

Belo Monte, Branquinha, Feliz Deserto, Jacuípe, Marechal Deodoro, Mar Vermelho, Pindoba, Porto Real do Colégio, Passo de Camaragibe, Piaçabuçu, Paripueira, Quebrangulo, São Braz, Jundiá, Ibateguara, Anadia, Boca da Mata, Cajueiro, Olivença, São Miguel do Campos, Olha D’Água Grande, Pariconha, Barra de Santo Antônio, Inhapi, São José da Laje, Jequiá da Praia, Campo Grande, Canapi, São Luiz do Quitunde, Porto de Pedras, Olha D’Água das Flores, Pão de Açúcar, Viçosa, Barra de São Miguel, Chã Preta, Igreja Nova, Junqueiro, Matriz de Camaragibe, Roteiro e Joaquim Gomes.

Brasil

Além das cidades em situação de risco, o levantamento identificou 2.069 municípios em alerta, com o índice de infestação predial (IIP) entre 1% a 3,9% e 1.711 municípios com índices satisfatórios, inferiores a 1%. No total, 21 capitais realizaram o LIRAa, duas capitais fizeram por armadilha e 4 não enviaram informações. Apenas três capitais estão com índice satisfatório: São Paulo (SP), João Pessoa (PB) e Aracaju (SE). Duas capitais estão em risco: Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC). Dezesseis capitais estão em alerta: Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Porto Velho (RO), Palmas (TO), Maceió, Salvador (BA), Teresina (PI), Recife (PE), Brasília (DF), Vitória (ES), São Luis (MA), Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM) e Goiânia (GO).

As capitais Boa Vista (RR), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS) não enviaram informações. Os municípios de Natal (RN) e Porto Alegre (RS) realizaram levantamento por armadilha. Os dados foram coletados no período de janeiro a 15 de março.

O LIRAa, é um instrumento fundamental para o controle do vetor e das doenças (dengue, zika e chikungunya). Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante. O objetivo é que, com a realização do levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey