82 99641-3231

Grávida morre após ter AVC na porta da igreja, minutos antes de subir ao altar

Grávida morre após ter AVC na porta da igreja, minutos antes de subir ao altar – Foto: Arquivo Pessoal

Casar e ser mãe, esse era o sonho da gestante Jéssica Victor Guedes, 30 anos. Quando engravidou do noivo o tenente Gonçalves, ambos de São Paulo, eles decidiram realizar a cerimônia de casamento, antes de a filha, Sophia, nascer. Segundo a Tenente Mariana, da Seção de Comunicação Social do 46 Batalhão da Polícia Militar, no último domingo (15 de setembro), enquanto se preparava para subir ao altar, Jéssica, grávida de 7 meses, começou a se sentir mal e acharam que era ansiedade por causa do casamento. Afinal, tinha chegado o grande dia. “No trajeto até a igreja, onde o noivo e os convidados a aguardavam para a cerimônia matrimonial, ela começou a se sentir mal novamente”, conta Mariana.

A família foi avisada e o noivo, que já estava à espera, foi ver o que estava acontecendo e encontrou Jéssica desacordada, na porta da igreja. Como ele foi bombeiro, fez os primeiros socorros na noiva, antes de o bombeiro chegar. Ela foi levada a um hospital de SP que o convênio atendia, porém, devido à complexidade do caso, foi transferida para o Hospital e Maternidade Pro Matre Paulista (SP), que não faz parte da cobertura do seu convênio.

Jéssica teve um AVC hemorrágico, por conta de uma pré-eclâmpsia, e já chegou à maternidade sem atividade cerebral. Segundo Mariana, a equipe realizou uma cesárea de emergência para salvar a vida da pequena Sophia, que nasceu de 29 semanas, pesando 1 kg. A bebê prematura está recebendo todos os cuidados na UTI Neonatal.

Como o casal gastou muito com o casamento e o tentente Gonçalvez, na tentativa de salvar sua esposa e filha, decidiu levá-la ao hospital que não era coberto pelo seu convênio, amigos decidiram fazer uma vaquinha virtual para ajudar com os custos de internação e UTI, inclusive da pequena Sophia.

Jéssica estava fazendo acompanhamento pré-natal, não teve nenhum pico de pressão alta durante toda a gestação e era saudável, fazia atividade física e se alimentava bem”, disse a tenente Mariana, em entrevista a CRESCER.

Com a constatação da morte cerebral de Jéssica, a família decidiu atender ao próprio pedido dela e vão doar os órgãos, o que já está sendo realizado.

Em nota, a Pro Matre Paulista disse que: “No momento, toda a equipe da maternidade está priorizando o apoio, conforto e atenção às famílias do Tentente Gonçalves e da paciente, ajudando-as com todas as providências necessárias”, diz a nota.

Pré-eclâmpsia na gravidez é grave

A pré-eclâmpsia está entre as principais causas da mortalidade materna, e vem crescendo no Brasil, mesmo diante de todo o avanço da medicina. Hoje, no país, o índice de mortalidade está em 64,5 óbitos maternos para cada 100 mil nascidos vivos – número bem acima da meta firmada com a Organização das Nações Unidas (ONU), que é de 30 óbitos para cada 100 mil nascidos vivos até 2030, conforme os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. E muito disso – 20%, segundo dados do Ministério da Saúde – se deve ao grupo das doenças hipertensivas. Nele, estão incluídas a eclâmpsia (52%) e a pré-eclâmpsia (44%), praticamente com metade das mortes para cada.

A pré-eclâmpsia é uma doença que pode aparecer tanto na gestação quanto no pós-parto, caracterizada por aumento da pressão arterial associado a alguma disfunção de órgãos (rim, fígado, cérebro) e presença de proteína na urina.

Acontece uma falha no momento em que a placenta penetra no útero materno, o que gera uma modificação dos vasos placentários, reação inflamatória que propicia pressão alta e outras alterações. “A causa é desconhecida, mas, provavelmente, multifatorial. Existem determinados fatores de risco para pacientes terem essa doença, como pré-eclâmpsia na gestação passada, IMC (índice de massa corporal) maior que 25, diabetes prévio à gestação, hipertensão crônica, gestação múltipla, lúpus, histórico familiar de pré-eclâmpsia, entre outros”, explica a ginecologista e obstetra Fernanda Mauro, do Grupo Perinatal (RJ). A pré-eclâmpsia acontece normalmente a partir da 20ª semana de gestação, quando, segundo o ginecologista e obstetra Alexandre Pupo Nogueira, do Hospital Sírio Libanês (SP).

Fonte: Crescer

Após o fim do tratamento contra o câncer de mama, Ana Furtado vai passar por novos exames.

Ana Furtado revelou aos fãs que passará por uma bateria de exames, o primeiro check-up, após o fim do tratamento contra o câncer de mama. A estrela compartilhou uma foto ao lado do marido, o diretor Boninho, para falar sobre o assunto.

“Eu e o meu grande amor e amigo. Mais um passo importante juntos! Primeiro checkup geral após o término do meu tratamento. Primeiro “completão”. Dois dias de exames e eu já prevejo os resultados: perfeitos. Cabeça é tudo e eu sigo mais forte e otimista do que nunca!”, iniciou.

“Eu me lembro do meu primeiro passo rumo à vitória e à minha cura. Tive fé e coragem para atravessar a linha de chegada vitoriosa e modificada. O câncer não é vilão. Não o trate dessa forma, caso contrário ele vai ter esse tamanho e poder contra você. Você é maior que ele! Tenha o câncer como professor. Ele veio para te ensinar algo. Não tenha raiva ou medo. Muitas vezes não entendemos por que certas coisas acontecem conosco. Carma, falta de sorte, castigo? Jogue fora esses pensamentos”, disse ela.

A estrela enviou recado aos fãs. “Enquanto ele estiver em você escute o que ele tem para lhe dizer. Se melhore como pessoa, trate você melhor e com mais amor. Valorize cada segundo que você não percebe há muito tempo. Passe a viver plenamente o “agora”. Foi isso o que ele me ensinou e hoje, só hoje, percebo cada respiração, cada detalhe, cada coisa simples que me faz feliz. Se transforme para que, quando ele finalmente for embora, você esteja pronta para o novo, para o tudo, e para nova vida que você merece ter. Acredite”.

View this post on Instagram

Eu e o meu grande amor e amigo. Mais um passo importante juntos! Primeiro checkup geral após o término do meu tratamento.Primeiro “completão”. Dois dias de exames e eu já prevejo os resultados: perfeitos 🙏🏻 Cabeça é tudo e eu sigo mais forte e otimista do que nunca! Eu me lembro do meu primeiro passo rumo à vitória e à minha cura. Tive fé e coragem para atravessar a linha de chegada vitoriosa e modificada. O câncer não é vilão. Não o trate dessa forma, caso contrário ele vai ter esse tamanho e poder contra você. Você é maior que ele! Tenha o câncer como professor. Ele veio para te ensinar algo. Não tenha raiva ou medo. Muitas vezes não entendemos por que certas coisas acontecem conosco. Carma, falta de sorte, castigo? Jogue fora esses pensamentos. Enquanto ele estiver em você escute o que ele tem para lhe dizer. Se melhore como pessoa, trate você melhor e com mais amor. Valorize cada segundo que você não percebe há muito tempo. Passe a viver plenamente o “agora”. Foi isso o que ele me ensinou e hoje, só hoje, percebo cada respiração, cada detalhe, cada coisa simples que me faz feliz. Se transforme para que, quando ele finalmente for embora, você esteja pronta para o novo, para o tudo, e para nova vida que você merece ter. Acredite!!!! ❤️👊

A post shared by Ana Furtado (@aanafurtado) on

 

 

 

Fonte: Observatório dos Famosos

Centro de Assistência Social da PM irá realizar no dia 27 de setembro um evento de prevenção ao suicídio

Centro de Assistência Social da PM irá realizar no dia 27 de setembro um evento de prevenção ao suicídio

O suicídio é um fenômeno complexo e que pode ser evitado  utilizando  corretamente estratégias de prevenção com a colaboração de diferentes setores sociais, sendo um deles, a família. Quando essa demanda surge nos perguntamos, o que fazer? Como podemos identificar e usar as estratégias de prevenção dentro de nossas casas?

É com o intuito de  sensibilizar pais, filhos e irmãos para um olhar mais terno, cuidadoso e assertivo para a identificação  dos  sinais de adoecimento que o Centro de Assistência Social – CAS/PMAL irá realizar no dia 27 de setembro, a partir das 07h30min, no auditório do SENAC Poço o Workshop Prevenção ao Suicídio: Um Olhar para os Sinais de Adoecimento no Ambiente Familiar, voltado para policiais militares e familiares.

O evento contará com uma palestra máster intitulada “Como está sua família hoje?” que será realizada pelo psicoterapeuta cognitivo comportamental e coach cognitivo Leonardo Naves e três oficinas simultâneas com os temas: Adoecimento Mental na infância e na Adolescência; facilitada pela psicoterapeuta cognitiva comportamental Sarah Karenina e a psicopedagoga Érika Gonçalves; Relacionamentos interpessoais: fator de risco ou de proteção? Facilitada pelo professor de psicologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) Gerson Alves; Automutilação: como perceber e manejar o comportamento no ambiente familiar? Facilitada pela psicoterapeuta cognitivo comportamental Karla Karolyne e a neuropsicoterapeuta Ingrid Marielly.

O workshop será aberto para um público de 150 pessoas, mas as oficinas necessitam de inscrição antecipada, em consequência da quantidade de vagas, apenas 30 por oficina. As inscrições deverão ser realizadas no através do link https://www.doity.com.br/workshop-de-prevencao-ao-suicidio-no-ambiente-familiar ou pelo telefone (82) 3315-9909. Participe!


Alagoas tem 32 casos de Zika em grávidas, 1.534 casos de chikungunya e mais de 8 mil casos de dengue em 2019

Alagoas tem 32 casos de Zika em grávidas, 1.534 casos de chikungunya e mais de 8 mil casos de dengue em 2019

Alagoas registrou 32 casos confirmados de Zika em grávidas até 10 de agosto deste ano. Os dados são do Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde nessa quarta-feira (11). Seis estados do Brasil tiveram casos de Zika em gestantes confirmados em 2019: Rio de Janeiro (192 casos), Espírito Santo (66 casos), Minas Gerais (47 casos), Alagoas (32 casos), Paraíba (16 casos) e Mato Grosso do Sul (14 casos). Paraíba foi o único estado a registrar morte por Zika em 2019, duas mortes.

Explosão de chikungunya em Alagoas

O número de casos suspeitos de chikungunya explodiu em Alagoas em 2019. O aumento é de 1.011,6%, o maior aumento registrado no Brasil. Até 24 de agosto de 2019, Alagoas registrou 1.534 casos suspeitos da doença. No mesmo período do ano passado, foram 138 casos suspeitos.

Dengue

Os dados do boletim também mostram que mais de 8 mil casos de dengue foram confirmados em Alagoas até 24 de agosto deste ano. Comparada com o mesmo período do ano passado, o número de casos é cinco vezes maior.


Internado na UTI há quase 10 dias, estado de saúde de bebê encontrado no lixo ainda é grave

Internado na UTI há quase 10 dias, estado de saúde de bebê encontrado no lixo ainda é grave

Depois de 9 dias, o bebê encontrado em uma sacola dentro do lixo no bairro da Ponta Grossa permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Maternidade Santa Mônica, em Maceió. Ele ainda está intubado e em estado grave. A informação foi repassada nesta sexta-feira (13) pelo hospital.

Ainda segundo o hospital, ainda não há prazo para que o bebê saia da UTI, tudo vai depender da resposta dele ao tratamento e desenvolvimento nesse período.

Na última terça (10) o Conselho Tutelar da região em que ele foi encontrado entregou o relatório do caso ao Juizado da Infância e Adolescência, para que o bebê seja encaminhado à adoção assim que se recupere.

O bebê foi encontrado no lixo no dia 4 de setembro. Um pescador encontrou a criança. Três catadores levaram a criança para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro do Trapiche. Lá ele recebeu os primeiros atendimentos, e foi encaminhado horas depois para a Maternidade Santa Mônica.

Na quinta (5) o pescador que encontrou a criança conversou com o chefe de serviço da Delegacia de Crimes contra a Criança, e em seguida, prestou boletim de ocorrência. A Polícia Civil está procurando a mãe do bebê, ela pode responder por infanticídio.

Fonte: G1

Incêndio em hospital particular no Rio de Janeiro deixa 10 mortos

Fumaça de incêndio do Hospital Badim, no Maracanã, é registrada por moradores da região. — Foto: Reprodução/Redes sociais
Fumaça de incêndio do Hospital Badim, no Maracanã, é registrada por moradores da região. — Foto: Reprodução/Redes sociais

A direção do Hospital Badim, parcialmente destruído em um incêndio na noite desta quinta-feira (12), afirmou às 7h desta sexta (13) que os bombeiros encerraram no fim da madrugada as buscas por mortos.

Onze corpos – todos de pacientes, segundo a unidade – foram retirados durante varreduras. Apenas uma vítima foi identificada: Luzia dos Santos Melo.

Resumo até aqui

  • 10 pacientes morreram após um incêndio de grandes proporções no Hospital Badim;

  • O fogo começou por volta das 18h30, e a fumaça se espalhou;

  • A suspeita é que chamas começaram após um curto-circuito em um gerador;

  • 103 pessoas estavam internadas na unidade no momento do incêndio;

  • 224 funcionários trabalhavam no turno quando as chamas começaram – nenhum deles morreu, segundo o hospital;

  • Unidade foi esvaziada, e pacientes foram levados para ruas próximas, onde ficaram em macas;

  • Mais de 10 pacientes foram encaminhados para outros hospitais particulares.

Remoção de pacientes

Incêndio no hospital Badim na Tijuca na Rua São Francisco Xavier pacientes são evacuados, camas chegaram a ser montadas no meio da rua, na noite desta quinta-feira (12) no Rio de Janeiro, RJ. — Foto: CELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Incêndio no hospital Badim na Tijuca na Rua São Francisco Xavier pacientes são evacuados, camas chegaram a ser montadas no meio da rua, na noite desta quinta-feira (12) no Rio de Janeiro, RJ. — Foto: CELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A varredura dos bombeiros começou por volta das 21h45, cerca de uma hora após o fogo ter sido considerado debelado, e seguiu pela madrugada. Os corpos foram retirados em sacos e levados ao Instituto Médico-Legal (IML).

Segundo os bombeiros, cerca de 90 dos 103 pacientes internados foram transferidos para as seguintes unidades de saúde:

  • Anexo do Badim, que não foi atingido no incêndio;

  • Hospital Israelita Albert Sabin;

  • Hospital Municipal Souza Aguiar;

  • Hospital Copa D’Or;

  • Hospital Quinta D’Or;

  • Hospital Norte D’Or;

  • Hospital Caxias D’Or;

  • Hospital São Vicente de Paula.

Enfermeiros, médicos, bombeiros e moradores da região ajudaram a acomodar pacientes em colchões nas calçadas na Rua São Francisco Xavier e em uma creche vizinha.

Como foi o incêndio

 Pacientes são removidos após incêndio que atinge o Hospital Badim — Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Pacientes são removidos após incêndio que atinge o Hospital Badim — Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O fogo começou por volta das 18h30 em um dos dois prédios do complexo – o mais antigo, aberto em 2000.

De acordo com a direção do hospital, a principal suspeita é de um curto-circuito no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo.

Ainda segundo a direção, os pacientes do Centro de Tratamento Intensivo 1 (CTI) foram retirados e receberam os primeiros atendimentos na Rua Arthur Menezes por volta das 19h30. Os pacientes do CTI 2, que tem 20 leitos, também foram retirados.

Segundo moradores, pacientes e funcionários começaram a sair do hospital assim que o incêndio começou.

O dono da creche que fica ao lado do hospital contou que, inicialmente, os pacientes que têm quadro de saúde mais grave foram levados para lá.

Moradores vizinhos ao Hospital Badim precisaram deixar suas casas rapidamente. O motivo da pressa foi o medo que as paredes que ficam coladas ao hospital pudessem desabar.

A energia elétrica foi desligada pela Light para facilitar o trabalho das equipes de atendimento e resgate.

No final da noite desta quinta, a direção do Hospital Badim emitiu uma nota:

Pessoas montam camas na rua em frente ao Hospital Badim, no Maracanã — Foto: Reprodução/Globocop
Pessoas montam camas na rua em frente ao Hospital Badim, no Maracanã — Foto: Reprodução/Globocop

A Direção do Hospital Badim vem a público expressar seu profundo pesar em relação ao incêndio ocorrido na noite desta quinta-feira.

Informamos que 103 pacientes estavam internados no hospital no momento do episódio.

Imediatamente, a brigada de incêndio iniciou a evacuação do prédio, mesmo antes da chegada do Corpo de Bombeiros.

Desde o primeiro momento a prioridade total foi socorrer os pacientes e funcionários e salvar vidas. Mais de 100 médicos foram mobilizados para dar assistência aos pacientes que estavam sendo socorridos.

Face a esse fato trágico, a solidariedade dos hospitais privados e das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde está garantindo que os pacientes sejam transferidos.

Para transmitir informações seguras, a Direção se manifestará novamente à medida em que o Corpo de Bombeiros terminar o seu trabalho e liberar o acesso ao prédio.

O trabalho dos bombeiros continua e nos mantemos solidários às famílias, pacientes e funcionários envolvidos.

A Direção

Mais tarde, durante esta madrugada, a direção emitiu outra nota:

A direção do Hospital Badim informa que logo após o início da remoção dos pacientes pelo Corpo de Bombeiros o comitê de apoio foi acionado para começar uma busca ativa pelos pacientes que foram transferidos para unidades de saúde do Rio de Janeiro. Está sendo disponibilizado o número de Whatsapp 97101-3961 e o e-mail suportefamiliares@badim.com.br para que os familiares dos pacientes envolvidos no episódio entrem em contato para receber informações sobre sua localização.

Além disso, o hospital enviou funcionários para os principais hospitais do Rio de Janeiro a fim de monitorar a chegada de pacientes transferidos.

Mais uma vez a direção do Hospital Badim externa sua imensa tristeza diante do ocorrido.

Uma última nota foi divulgada no fim desta madrugada:

A direção do Hospital Badim continua acompanhando o trabalho do Corpo de Bombeiros. Os familiares dos pacientes e funcionários envolvidos no episódio receberam atendimento pelo comitê de apoio do hospital, inclusive de uma assistente social.

Todas as providências estão sendo tomadas para acolher as famílias. Informamos que a direção do hospital irá se pronunciar após a inspeção do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil, que deve acontecer ainda na manhã desta sexta feira (13/9).

Fonte: G1

Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2019 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey