82 99641-3231

Hospital Santa Rita promove treinamento para técnica de Acesso Vascular Profundo

O Hospital Regional Santa Rita, em Palmeira dos Índios, ofereceu à médicos e enfermeiros o treinamento para “Acesso Vascular Profundo guiado por Ultrassom”. A técnica é voltada para pacientes de emergência e principalmente UTI. A capacitação foi realizada no último sábado (09), pelo médico anestesista Dr. Silvio Marcos Lima, que é palmeirense, com aparelho de ultrassom móvel cedido pela Sonograf clínica, que tem como responsável o Dr. Pedro Paulo Duarte.

 

Segundo o médico cardiologista Dr. Eugênio Pacelli, a importância deste treinamento por meio do moderno aparelho, é que ele possibilita a certeza de que a agulha é introduzida no vaso a ser puncionado, isso faz com que as complicações sejam minimizadas, melhorando assim, a eficácia do procedimento.

 

O treinamento foi direcionado para médicos e enfermeiros com o intuito de capacitar os profissionais para o uso do equipamento. De acordo com Pacelli, está sendo analisada a possibilidade da compra de um aparelho igual para o hospital, contudo, o primeiro passo é oferecer a capacitação aos profissionais.

 

Pacelli informou ainda que existe também um outro aparelho onde ele é vinculado ao celular via bluetooth, e consegue ver a imagem na tela do telefone e o preço é bem mais em conta.

 

“Estamos acompanhando a tendência mundial de acessos vasculares guiados por ultrassom. Oferecemos esse procedimento feito com o aparelho para doentes em estado grave SUS, convênios e particulares. É um grande avanço e esperamos muito em breve implantar essa prática diariamente no Santa Rita. Iremos conversar com a direção do hospital e analisar a possibilidade desta importante aquisição. Destacando que o público-alvo são os pacientes em estado crítico”, diz Pacelli.

 

 

O aparelho

 

O médico Pedro Paulo Duarte informou que “Em congressos, conheci esse aparelho e imediatamente comecei a pensar nos pacientes de UTI, e naqueles que não podem se locomover, foi quando fiz a aquisição. Hoje, não há mais necessidade de transportar os pacientes até a clínica, pois nós vamos até o leito. Sem contar que o procedimento é mais rápido.

 

Pedro Paulo continua dizendo que “Esse curso é muito importante, pois o procedimento feito com a imagem é mais exato. Sem a imagem fica mais complicado, já que existem pacientes onde há dificuldades de encontrar os vasos e exige que o procedimento seja feito por uma veia central para administração de medicações e alimentação parenteral”.

 

Vale destacar que, o aparelho serve para fazer, além dessa punção da jugular, também para outros tipos de exames. Por exemplo, de abdômem, rins, fígado, vesícula, entre outros.

 

Parceria

 

“Este aparelho vai ficar cedido para atender as necessidades do Santa Rita sempre que necessário”, afirma o Dr. Pedro Paulo Duarte.
Ao final, o Dr. Eugênio avisou que “Esse foi o nosso primeiro treinamento e priorizamos os médicos e enfermeiros que trabalham na Emergência e UTI, mas o intuito é que todos os profissionais sejam capacitados. Destacando que, os que não puderam participar deste primeiro encontro, haverão outras oportunidades”, finaliza.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Acidentes com escorpiões tendem a aumentar no verão

Agência Alagoas

No período do verão, devido às altas temperaturas, que são propícias para reprodução dos escorpiões, o cuidado deve ser redobrado para evitar acidentes com este tipo de aracnídeo. O alerta é do Programa de Controle de Animais Peçonhentos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que recomenda redobrar a atenção, principalmente quanto aos idosos, crianças e pessoas com imunidade baixa.

Segundo estudos realizados por infectologistas, pessoas que se enquadram nestes perfis são mais suscetíveis a ter complicações decorrentes do ataque de animais peçonhentos. Por esta razão, é necessário atentar para alguns cuidados básicos, que podem evitar a proliferação dos escorpiões e o ataque aos humanos durante esta época do ano.

“É necessário limpar com frequência as caixas de gorduras e mantê-las vedadas. Também é importante que, antes de utilizar sapatos, toalhas e roupas, seja verificado se não há um escorpião agarrado a estes objetos”, orienta a técnica Silvana Tenório, do Programa de Controle de Animais Peçonhentos da Sesau, ao ressaltar que “o tipo de escorpião predominante em Alagoas é considerado pouco perigoso, mas, é preciso tomar preocupações”.

Outro cuidado importante, destacado pela técnica da Sesau, é cobrir os ralos dos banheiros e acondicionar bem o lixo, visando não atrair baratas, que fazem parte da cadeia alimentar do escorpião, além de não entulhar material de construção. “Deve-se evitar colocar as mãos em buracos no solo, troncos ou pedaços de madeira, além de sempre utilizar luvas, principalmente quando for preciso executar este tipo de ação”, ressalta.

Dados

Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, o número de acidentes com escorpião em Alagoas passou de 9.201 em 2017, com três óbitos, para 9.619 no ano passado, com o registro de apenas um óbito.

O que fazer em caso de acidentes

Em caso de sofrer uma picada de escorpião, de acordo com a Sesau, é recomendável limpar o local com água e sabão. Também é importante aplicar compressa morna no local, não fazer esforço físico e procurar orientação imediata em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e, no caso de estar em Maceió, procurar um dos cinco Ambulatórios 24 Horas.

“É importante ressaltar que não se deve amarrar o local da picada, nem aplicar nenhum tipo de substância ou curativos que fechem o ferimento, pois favorecem a ocorrência de infecções. Também não se deve cortar, perfurar ou queimar o local da picada, nem dar bebidas alcoólicas ao acidentado, porque elas não têm efeito contra o veneno e podem agravar o quadro clínico do paciente”, alerta Silvana Tenório.

Unidades Referência

Em Alagoas, no caso de agravamento do estado clínico de uma vítima de picada por escorpião, oito unidades foram habilitadas pela Sesau para aplicar o soro antiescorpiônico. Além do Hospital Escola Hélvio Auto (HEHA), em Maceió, os demais órgãos de referência são o Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca; Hospital Carvalho Beltrão, em Coruripe; Unidade Mista Dr. Antenor Serpa, em Delmiro Gouveia; Hospital Santa Rita, em Palmeira dos Índios; Unidade Mista Arnon de Melo, em Piranhas; Unidade de Emergência Antônio de Jesus, em Penedo; e Unidade Djalma dos Anjos, em Pão de Açúcar.


Alagoana que estava esperando transplante de coração consegue doador

Após um ano e três meses de espera, a jovem Ana Karolina Gama de Moraes, 29 anos, recebeu a notícia que seu coração novo está a caminho. A cirurgia ocorrerá nesta terça-feira (22).

A informação foi confirmada pela irmã da jovem, Mariana Gama, após surgiram quatro corações compatíveis e os familiares dos falecidos não autorizarem a doação.

A família de Ana Karolina tinha divulgado nas redes sociais um apelo para que a jovem conseguisse um novo coração porque o o quadro dela piorou e ela passou a ocupar uma das primeiras posições na fila de transplante, o que ocorre quando o risco de morte se torna iminente.

Ana Karolina sofre de miocardiopatia peripato que é uma doença rara associada com a disfunção cardíaca grave. A jovem foi diagnosticada com a doença 48 horas após o parto de sua filha, ao ser internada com caso grave de insuficiência cardíaca.

Karol está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Coração, em Maceió.


Maioria das prefeituras alagoanas gasta menos de R$ 300 na saúde por habitante, aponta estudo

Mais da metade das prefeituras alagoanas gastaram menos de R$ 300 reais na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. É o que aponta um levantamento divulgado nesta segunda-feira (21) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Segundo a análise o valor médio aplicado por gestores municipais de Alagoas em Ações e Serviço Públicos de Saúde declarados no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (Siops) varia entre R$ 120 a R$ 400 reais. De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior.

Entre os municípios alagoanos que gastaram um valor maior na saúde, por habitente, estão: Pindoba (R$ 658, 45); Olho D’Água Grande (R$ 580,17);  Mar Vermelho (R$ 517, 61); e Satuba (R$ 501,83) .

Já entre os municípios que gastaram um valor menor se destacam: Palmeira dos Índios (R$ 117,32); União dos Palmares (R$ 127,95); Atalaia (R$ 128,52); Santana do Ipanema (R$135,91); e Viçosa (R$ 155,92).

O levantamento também disponibiliza os valores de 2013 até 2016 e, segundo o mesmo, Maceió tem mantido uma média durante os períodos analisados e gasto menos de R$ 300 por habitante. Em 2017, o município gastou R$ 294,46 com a saúde de cada cidadão.

Arapiraca, em 2013, gastou R$ 188,39, mas em 2016 o valor subiu para R$ 305, 46. Já em 2017, segundo aponta o relatório do CFM, a gestão municipal gastou R$209, 16 com ações de serviço de saúde por pessoa

Em todo o país, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média R$ 779,21 na saúde, por habitante, quase o dobro da media nacional identificada. Os municípios das regiões Sul e Sudeste foram os que apresentaram maior participação no financiamento do gasto público em saúde – consequência, segundo o CFM, de sua maior capacidade de arrecadação.

O município de Borá (SP) lidera o ranking de gastos per capita na saúde, com R$ 2.971,92 gastos em 2017. Em segundo lugar aparece Serra da Saudade (MG), cujas despesas em ações e serviços de saúde alcançaram R$ 2.764,19 .

A lista completa, do levantamento, com os dados por município pode ser acessada aqui.

 

*Com informações Agência Brasil


Vacinas devem ser distribuídas aos municípios, Palmeira está incluída

Após problemas na distribuição de vacinas para os municípios, em decorrência de defeito numa câmera fria onde os produtos são armazenados, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) deve normalizar a entrega a partir desta segunda-feira (21).

A intenção é que até o fim desta semana todos os 102 municípios do Estado estejam abastecidos.

De acordo com a assessora especial do Programa de Vacinação da Sesau, Denise Castro, os municípios de Palmeira dos Índios e Santana do Ipanema devem receber ainda nesta segunda doses de diversos tipos de vacina.

Ainda conforme ela, os produtos serão entregues, nesta terça-feira (22), na central de distribuição de União dos Palmares. “Até o final de semana todas as vacinas serão entregues”, assegura.

Denise Castro afirmou, em entrevista ao Bom Dia Alagoas, na TV Gazeta, que a distribuição inclui todas as vacinas do calendário de vacinação anual para crianças, jovens e idosos, entre as quais a tríplice viral, tétano, hepatite B, entre outras.

O problema no envio aos municípios teve início desde o último dia 7, quando uma peça da câmera fria quebrou e teve que ser trazida do estado de São Paulo.

Mesmo diante desta ocorrência, Denise minimiza a situação e garante que, mesmo assim, não houve prejuízos ao armazenamento dos produtos. No total, segundo ela, são mais de 1 milhão de doses para distribuição.


Mais Médicos: Maioria das vagas restantes em Alagoas fica no Sertão

O Ministério da Saúde divulgou esta semana um balanço das vagas ofertadas para o Mais Médicos e quantas ainda faltam ser preenchidas, dois meses após a abertura do programa para substituir os médicos cubanos. Em Alagoas, restam 15 vagas a serem preenchidas em 12 localidades do estado. A maioria está no Sertão e a mais de 100 km da Capital.

Os municípios com carência são Campestre, Igreja Nova, Mata Grande, Olho d’Água das Flores, Olivença, Pão de Açúcar, Piaçabuçu, Piranhas, Santana do Ipanema, Cacimbinhas e São Brás. Existe ainda o Distrito Sanitário Especial Indígena AL/SE que oferta duas vagas.

Em todo o Brasil, restam 1.460 vagas a serem preenchidas, que correspondem a 82% das 8.517 dispostas no edital. Com a publicação do resultado dos selecionados na segunda chamada, mais de 7 mil médicos com registro no Brasil se apresentaram aos municípios.

Dos 1.707 profissionais que se inscreveram na última chamada, 1.089 compareceram aos locais escolhidos e tiveram a participação validada pelos gestores municipais até o dia 14 de janeiro.

O resultado dos selecionados está disponível no site do Programa Mais Médicos. Os médicos ocuparam as vagas de mais da metade das cidades com oportunidades abertas (689) e de 11 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Ao todo, a etapa contou com 2.549 vagas em 1.197 municípios e 34 distritos indígenas.

Próxima etapa

Os postos que estiverem em aberto serão disponibilizados na próxima etapa, entre os dias 23 e 24 de janeiro, para os profissionais brasileiros formados no exterior. Se não forem preenchidas, as vagas serão reabertas, nos dias 30 e 31 de janeiro, para os médicos estrangeiros participarem do programa.

As inscrições para o atual edital começaram com os profissionais com registro no Brasil escolhendo as cidades disponíveis. Em seguida, o Ministério da Saúde abriu prazo para que os brasileiros formados no exterior e estrangeiros também participassem da iniciativa. Ao todo, 10.205 profissionais completaram a inscrição. O prazo para o envio da documentação dos profissionais encerrou em dezembro de 2018 e estão em análise pela pasta.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2019 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey