82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

Eleições 2020: TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas

Eleições 2020: TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas

Consultas por município e cargo, acesso à informações detalhadas sobre a situação dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador, que pediram registro para concorrer às Eleições Municipais de 2020 já estão disponíveis na plataforma DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ferramenta traz ainda todos os dados declarados à Justiça Eleitoral, inclusive informações relativas às prestações de contas dos concorrentes

Acesso

O sistema é aberto a todos os cidadãos, sem necessidade de cadastro prévio ou autenticação de usuário. Na consulta, basta selecionar a unidade da federação no mapa ou a sigla do estado que quiser informações.

Na página principal do sistema, o interessado encontrará o quantitativo total de candidaturas por cargo (prefeito, vice-prefeito e vereador). No mapa do Brasil, é possível filtrar a pesquisa clicando na unidade da Federação e depois no cargo desejado. Em seguida, aparecerá uma lista com todos os políticos que concorrem ao cargo no estado.

Selecionado o nome do candidato, é possível obter informações sobre o seu número, partido, composição da coligação que o apoia (se for o caso), nome que usará na urna, grau de instrução, ocupação, site do candidato, limite de gasto de campanha, proposta de governo, descrição e valores dos bens que possui, além de eventuais registros criminais. Também é possível acompanhar a situação do pedido de registro e eleições anteriores das quais o candidato tenha participado.

Prazo

A ferramenta é atualizada toda hora à medida em que chegam solicitações de registros à Justiça Eleitoral. No dia 26 de setembro, às 19h, termina o prazo para os partidos políticos e coligações apresentarem o requerimento de registro de candidatos e chapas à Justiça Eleitoral.

Caso os partidos políticos ou coligações não tenham requerido o registro de algum candidato escolhido em convenção, a data-limite para a formalização individual do registro perante o TSE ou algum Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é o dia 1º de outubro, também até as 19h.

Situação da candidatura

A situação do registro do candidato aparece ao lado da foto, além do tipo de eleição à qual ele está concorrendo e um guia sobre os termos, inclusive os jurídicos, utilizados para definir a situação dele perante a Justiça Eleitoral.

Quando o processo é registrado na Justiça Eleitoral, é informada a palavra “cadastrado” e, em seguida, “aguardando julgamento”. Isso significa que o candidato enviou o pedido de registro de candidatura, mas o pedido ainda não foi julgado, ou seja, o processo está tramitando e aguarda análise.

Após o processo ser apreciado, o registro pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”. Candidatos que aparecem como aptos, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto”, e o complemento será “indeferido com recurso”.

Há ainda candidatos que apresentaram o registro e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz e, no entanto, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda há possibilidades de situações como “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Por fim, também consta do sistema a condição de “inapto”, com os complementos: “cancelado”, quando o candidato teve o registro cancelado pelo partido; “cassado”; “falecido”; “indeferido”, quando o candidato não reuniu as condições necessárias ao registro; “não conhecimento do pedido”, candidato cujo o pedido de registro não foi apreciado pelo juiz eleitoral; e “renúncia”.

Contas

O sistema também disponibiliza as informações relativas às prestações de contas dos candidatos das eleições. O usuário pode fazer a pesquisa das receitas dos concorrentes por doadores e fornecedores, além de acessar a relação dos maiores doadores e fornecedores de bens e/ou serviços a candidatos e partidos políticos.


Produção industrial é a que mais cresce em Alagoas no mês de agosto, diz Sefaz

Produção industrial é a que mais cresce em Alagoas no mês de agosto, diz Sefaz

A produção industrial em Alagoas avançou 20% no mês de agosto, na comparação com o mesmo período de 2019. O balanço econômico foi divulgado pela Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz-AL), na sexta-feira (11).

Dentro do setor, a atividade que mais avançou foi a de produtos químicos, que registrou um crescimento de 79%, seguida pelo de resinas (43%), bebidas (25%) e alimentos (34%).

Lojas de departamento registram alta de 65%

O segundo setor que mais cresceu, nesse comparativo, foi o de varejo, que avançou 19%. Mesmo com a pandemia do coronavírus, as lojas de departamentos registraram um crescimento de 65%, seguidos pelo comércio varejista de material de construção (50%), comércio de alimentos (31%), mercadorias (30%), hipermercados (30%) e supermercados (29%).

Por outro lado, o mês de agosto não foi muito bom para o setor de calçados, que recuou -11%. Outros segmentos também registraram queda, o de tecidos (-11%), e de artigos de armarinho (-11%).

Já a atividade de atacado teve aumento de 9% no seu total. O comércio atacadista diversificado cresceu 50%. Também contribuíram para o resultado do mês os segmentos de material de construção (43%), produtos químicos (18%), alimentos (16%), e bebidas (10%).

As atividades econômicas de atacado, varejo e indústria obtiveram um crescimento nominal, em conjunto, de 16% no mês de agosto em relação ao mesmo período de 2019.

Resultado por setores

  • Produção industrial – crescimento de 20%

  • Varejo – crescimento de 19%

  • Atacado – crescimento de 9%

  • Crescimento nominal, em conjunto, de 16%


Ninja, um dos principais gamers do mundo, assina contrato milionário com Amazon

Depois de um ano produzindo conteúdo em plataforma da Microsoft, o streamer Ninja voltou a transmitir seus jogos no Twitch, da Amazon

Ninja, o streamer de Fortnite mais conhecido do mundo, está retornando à plataforma Twitch, da Amazon, com um contrato exclusivo de vários anos. Sua equipe disse à CNN que ele explorou “todas as opções” antes de se decidir pela Twitch.

Tyler “Ninja” Blevins é uma estrela do mundo dos jogos. Ele diz que ganhou perto de US$ 10 milhões em 2018. Atualmente, ele tem 15 milhões de seguidores na Twitch e acordos de patrocínio com a Adidas e a Red Bull.

No ano passado, Ninja sacudiu a indústria de streaming de jogos quando fechou um acordo exclusivo com o Mixer, da Microsoft, por um valor estimado entre US$ 20 milhões e US$ 30 milhões.

A Microsoft adquiriu a Mixer, anteriormente chamada de Beam, em 2016. Apesar de sua forte posição no mercado videogames com o Xbox, a Microsoft e a Mixer ficaram atrás da Twitch em número de usuários ativos e horas assistidas.

Depois de Ninja, outros streamers também anunciaram contratos de vários milhões de dólares com Facebook Gaming, YouTube ou Mixer.

Mas mesmo com a exclusividade de Ninja, o Mixer não conseguiu atrair uma base significativa de usuários, e a Microsoft a fechou em julho. O anúncio deixou seus outros streamers desamparados.

Ninja mudou brevemente para o YouTube, alimentando especulações entre seus seguidores sobre onde ele acabaria.

A Twitch, principal plataforma de transmissão ao vivo em termos de horas assistidas, tem sido a escolha natural para alguns dos maiores streamers que estavam no Mixer.

O acordo com o Ninja é uma ótima maneira para a Twitch flexibilizar seu status de liderança no espaço de transmissão ao vivo, disse Doron Nir, CEO do StreamElements, que fornece serviços para criadores de conteúdo.

Ele observou, porém, que embora Ninja não vá mais transmitir vídeo ao vivo no YouTube, seus vídeos ainda estarão disponíveis sob demanda dos usuários.

Assim como a mudança de Ninja para o Mixer levou outros streamers a fazerem o mesmo, uma tendência semelhante pode ocorrer desta vez com a Twitch.

“No último trimestre, a Twitch atingiu o máximo de horas assistidas, horas transmitidas, canais exclusivos”, disse Ashray Urs, chefe de produto da empresa de software de transmissão ao vivo Streamlabs, de propriedade da Logitech, em um comunicado.

“Com a última mudança do Ninja e a prevalência da Twitch como líder do setor, esperamos que mais streamers migrem para a plataforma nas próximas semanas.”

Ninja fez sua primeira transmissão ao vivo na Twitch na quinta-feira (10), depois de mais de um ano de ausência na plataforma

“Eu realmente demorei para decidir qual plataforma era a melhor e a Twitch tem sido muito favorável ao longo desse processo, entendendo meus objetivos gerais de carreira”, disse ele em um comunicado à imprensa.

O vice-presidente sênior de conteúdo da Twitch, Michael Aragon, disse em um comunicado que a empresa estava “emocionada” com o retorno de Ninja e que “ele está apenas começando”.


Simone e Simaria é a dupla sertaneja mais seguida no Instagram

Simone e Simaria é a dupla sertaneja mais seguida no Instagram

Simone e Simaria conseguiram o feito de ser a dupla sertaneja mais seguida no Instagram, na noite desta quinta-feira (3). Ao todo, as famosas somam mais de 17 milhões de seguidores.

Sucesso absoluto, as irmãs ainda têm o feito de 68 milhões de seguidores, se comparado com os perfis da dupla, e com os de Simone e Simaria. Uma marca histórica!

Em entrevista exclusiva ao Observatório dos Famosos, Simaria falou sobre a conquista de liderar o ranking. “Amore, estamos muito felizes. Hoje em dia, as redes sociais são ferramentas muito importantes para nos aproximar, ainda mais, dos fãs. Ser a dupla mais seguida é mais um presente que o público nos dá”, celebrou.

Simone também falou sobre o sucesso da dupla nas redes sociais. “Miglo, acredito que [o sucesso] seja pela forma como falamos com nossos fãs. Pela interação que temos com eles, além de procurarmos sempre levar conteúdos leves para o dia a dia do nosso público. A gente procura fazer as pessoas sorrirem”, disse a coleguinha.

Com todo o sucesso, as cantoras revelaram o que farão após o fim da pandemia de Covid-19. “Acredito que nossa maior saudades, hoje, é poder voltar a cantar e levar nosso show pelos quatro cantos do país, fora isso, não vejo a hora de poder viajar com a minha família, dar uma volta no shopping”, disse Simaria.

Já Simone concordou com a irmã e destacou desejo em viajar. “Simaria disse tudo! Risos. Saudade gigante dos nossos shows e de viajar, de ter a nossa liberdade”, disse a famosa intérprete de Amoreco.


Estudante do Paraná desenvolve respirador emergencial de baixo custo

Estudante do Paraná desenvolve respirador emergencial de baixo custo

Um estudante de engenharia civil na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), criou um respirador emergencial de baixo custo, utilizando componentes nacionais. Os respiradores são um dos maiores gargalos nas demandas que surgem desde o início da pandemia do novo coronavírus.

O custo médio total do equipamento criado por Robson Muniz – R$ 2,5 mil – é bem inferior ao dos ventiladores mecânicos de preços mais acessíveis no mercado atual, como os adquiridos pelo Ministério da Saúde em abril deste ano, a US$ 13 mil cada (cerca de R$ 69,6 mil).

Para desenvolver o aparelho, o estudante utilizou uma bolsa de ressuscitação manual, conhecida como “bolsa Ambu”, um motor de vidro elétrico de carro, de fácil disponibilidade, e peças mecânicas projetadas para permitir que a máquina seja potente, mas leve.

“Na parte eletrônica que controla o motor, o respirador usa uma placa (de prototipagem eletrônica de código aberto) chamada Arduíno, que tem hardware (parte física de um computador) incorporado”, explicou Muniz.

Esse hardware serve para controlar a velocidade com que a bolsa vai ser pressionada, assim como o volume de ar que o paciente vai receber por minuto.

Muniz esclareceu que o projeto foi desenvolvido obedecendo a todos os requisitos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e contou com o apoio de todos os professores do curso de engenharia da PUCPR.

O estudante vem trabalhando no respirador manual desde maio e aguarda a certificação pela Anvisa – que deve chegar nesta semana – para que possa buscar investidores interessados em produzir o equipamento em escala.

A ideia, segundo Muniz, é “fazer uma coisa bem acessível que possa servir em postos de saúde, hospitais, no atendimento a pessoas infectadas pela Covid-19, desde a unidade de pronto atendimento até a unidade de terapia intensiva”.

Testes foram realizados nos dois hospitais da PUCPR, o Universitário Cajuru (HUC) e o Marcelino Champagnat.

Montagem rápida

Como a demanda mundial para respiradores durante a pandemia do novo coronavírus é muito maior do que a oferta, onde a doença está fora de controle, a intenção do estudante foi desenvolver um respirador artificial que pudesse ser produzido rapidamente.

Cada motor desenvolvido por ele é montado em menos de uma hora, sem a necessidade de uma segunda pessoa.

“Dá para montar centenas em um dia só”, afirmou Muniz. O projeto pode ser reproduzido em nível nacional, para alcançar o maior número possível de pessoas.

Muniz observou, no entanto, que esse é um equipamento emergencial, liberado pela Anvisa para uso durante a pandemia.

“Depois da pandemia, ele tem que ser recolhido. Ele é justamente para aliviar o sistema de saúde neste momento”, esclareceu o estudante.

O projeto tem que ser muito robusto pois fica ligado direto, no mínimo durante 15 dias. “Ele não pode dar defeito porque o paciente fica sedado e respira por meio dele.”

A máquina foi validada no Centro de Simulação da PUCPR, sob a supervisão da direção-geral do Hospital Universitário Cajuru (HUC), localizado em Curitiba.

O diretor geral do HUC, Juliano Gasparetto, afirmou que, pelos testes executados, “o aparelho já teria condições de ser utilizado para atender aos pacientes infectados pelo novo coronavírus e até em cirurgias”.


Usuários voltam a relatar falhas no aplicativo Caixa Tem

Usuários voltam a relatar falhas no aplicativo Caixa Tem

Beneficiários do Auxílio Emergencial e do saque emergencial do FGTS estão relatando dificuldades para acessar os recursos por meio do aplicativo Caixa Tem. É por meio dele que os beneficiários dos programas conseguem movimentar o dinheiro para fazer compras e pagamentos, até chegar a data em que os saques são liberados.

Nas redes sociais, há relatos de pessoas que não estão conseguindo acessar o Caixa Tem, seja para usar o dinheiro do auxílio emergencial ou do FGTS, seja para acessar o saldo, e falam ainda da demora para concluir uma simples transação de compra usando o próprio app. E que a fila virtual de acesso persiste.

Quando é possível acessar o app, surge uma sala de espera virtual. E quando o acesso é autorizado, o aplicativo não carrega.

Volume grande de acessos

A Caixa Econômica Federal informou que, devido ao grande volume de acessos simultâneos nesta segunda-feira com o pagamento do Fundo de Garantia para os nascidos em abril, o aplicativo FGTS apresentou intermitência no início da manhã, mas já voltou a ficar estável. “Os recursos disponíveis aos trabalhadores com direito ao saque emergencial de até R$ 1.045 seguiram podendo ser consultados normalmente no aplicativo Caixa Tem e no site fgts.caixa.gov.br”, afirmou em nota.

O banco disse ainda que já pagou pelo Caixa Tem mais de R$ 121 bilhões do Auxílio Emergencial para 65,2 milhões de pessoas.

O app Caixa Tem foi criado para os beneficiários do Auxílio Emergencial sem conta em banco poderem ter o pagamento do benefício, por meio da poupança social digital. Depois o acesso foi estendido para todos os beneficiários, mesmo aqueles com conta bancária, para que pudessem receber o Auxílio em um primeiro momento, para fazer compras e pagamentos, até o saque ser autorizado.

Os problemas relatados com o aplicativo Caixa Tem começaram ainda no mês passado, quando a Caixa Econômica Federal incluiu o pagamento do FGTS no app que dá acesso ao uso da poupança social digital.

Sem acesso

Nascida em abril, Julianni Oliveira, de 20 anos, deveria receber o dinheiro do FGTS nesta segunda-feira (20). O montante já foi retirado da sua conta do fundo, mas ela relata que não consegue utilizar o aplicativo.

Situações como a de Julianni se repetem em relatos nas redes sociais. Há casos de beneficiários nascidos em janeiro que tiveram o dinheiro do FGTS debitado da conta do fundo de garantia – mas no app aparece saldo zerado.

Outros relatos mostram que o dinheiro do FGTS saiu do fundo, mas no app Caixa Tem vem a mensagem “Verifique sua solicitação”, como é o caso de Julianni Oliveira. E, depois vem a mensagem de que a pessoa não tem direito ao dinheiro.

Atualização

No último dia 7, a Caixa Econômica Federal anunciou uma atualização no aplicativo Caixa TEM para corrigir falhas na ferramenta. O banco afirmou à época que havia aumentado para 72 horas o período de sessão do aplicativo nesta nova atualização, o que fez com que o usuário não precisasse entrar novamente na fila de acesso para uma nova operação.


Redes sociais


Whatsapp: 82 99641-3231

Contato


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Tel: (82) 99641-3231

© 2020 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey