“Temos que ter consciência da vulnerabilidade da população carente”, afirma especialista sobre doenças que causam cegueira

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true
“Temos que ter consciência da vulnerabilidade da população carente”, afirma especialista sobre doenças que causam cegueira

Dentre os 12 meses do ano, abril foi o selecionado para representar e intensivar campanhas de conscientização para a prevenção da cegueira. O “Abril Marrom” vem sendo cada vez mais presente no calendário temático de precaução de doenças que afetam a visão da população. De acordo com Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos (CBCO), atualmente são 1,2 milhão de pessoas atingidas pela cegueira, e em 60% dos casos de doenças oculares que provocam a cegueira são tratáveis.

Ainda segundo o CBCO, 80% dos casos de cegueira são tratáveis/evitáveis, ou seja, cerca de 700 mil pessoas cegas poderiam estar enxergando se tivessem sido tratadas a tempo. Para falar sobre o assunto, conversamos com a oftalmologista Alberto Antunes, que falou da importância da prevenção da cegueira por meio da realização constante de exames e dos cuidados a serem tomados em tempos de pandemia da Covid-19.

Antunes conta que além dos cuidados básicos que uma pessoa com problemas de visão deve ter, é preciso ficar atento a outros meios de higienização. “Além do básico, que é usar máscaras e luvas, usar produtos para fazer a assepsia das lentes dos óculos e as lentes de contato, além do fundamental, que é evitar o contato direto com os olhos”, explicou.

Ele conta ainda que a “prevenção da cegueira se dá com o exame periódico com o oftalmologista”, e que a principal causa para a perda da visão é a catarata. “Este é um tipo de cegueira reversível, uma vez que operada, a pessoa volta a enxergar normal. Das doenças irreversíveis, temos o glaucoma e a retinopatia diabética, que são as duas principais causas de cegueira”, afirmou.

Antunes falou também da retinopatia diabética, e alerta para que todo paciente diabético realize exames regulares para saber se houve alguma alteração na visão, decorrente da doença. “Para o diagnóstico, é muito importante que haja consulta periódica para prevenir essas e outras doenças da visão”, ponderou.

Por fim, Alberto frisou a importância do Abril Marrom, e que acredita que esta seja uma porta a mais para conscientizar a população. “Temos que ter consciência da vulnerabilidade da população carente, que é a principal acometida por não ter plano de saúde. Ainda mais em casos de cirurgia, como a catarata, há uma grande dificuldade para quem precisa ser operado. Mas tem como melhorar o aumento a acessibilidade”, concluiu o especialista.


Deixe uma resposta