Spike Lee pede desculpa após defender Woody Allen

Spike Lee e Woody Allen.
Spike Lee e Woody Allen – Foto: Getty Images

O diretor de cinema Spike Lee se descupou após defender o cineasta Woody Allen e criticar a cultura do cancelamento.

Durante uma entrevista que foi ao ar na última sexta-feira (12) no programa “In the Morning”, em Nova York, Lee usou o exemplo de Allen enquanto falava sobre a “cultura de cancelamento”.

“Eu gostaria de dizer que Woody Allen é um ótimo cineasta e esse cancelamento não é apenas com Woody”, disse Lee, que estava no programa para promover seu novo filme da Netflix “Da 5 Bloods”.

“E acho que, quando olharmos para trás, veremos que, além de matar uma pessoa, não sei se você pode apagar alguém como se nunca tivesse existido.”

Lee se referiu a Allen como “um amigo meu” e “um colega fã do Knick [time de basquete norte-americano]”, acrescentando: “Então eu sei que ele está passando por isso agora”.

Woody Allen foi considerado “cancelado” porque a filha, Dylan Farrow, 34 anos, disse que foi estuprada pelo diretor em 1992, quando ela tinha 7 anos de idade.

O cineasta negou o crime e não foi acusado. Na época, os investigadores concluíram que Dylan Farrow não havia sido abusada, de acordo com o The New York Times, que cobriu o processo depois que Allen entrou com a custódia de seus três filhos com Mia Farrow, em 1992.

Os comentários de Lee não foram bem recebidos por fãs, e o cineasta foi ao Twitter para tentar se redimir: “Peço desculpas profundamente. Minhas palavras estavam erradas”.

“Eu não tolero e não tolerarei assédio, agressão ou violência sexual”, dizia o tweet. “Esse tratamento causa danos reais que não podem ser minimizados. – Verdadeiramente, Spike Lee.”

Em março, a editora Hachette Book Group recebeu críticas após o anúncio de que uma de suas divisões, a Grand Central Publishing, lançaria as memórias de Allen intituladas “Apropos of Nothing”.

A Hachette cancelou os planos de publicar o livro após reações negativas. No entanto, o material foi lançado por outra editora, a Arcade Publishing.


Deixe uma resposta