‘Rolling Stone’ coloca Marvin Gaye no topo de nova lista de melhores álbuns

‘Rolling Stone’ coloca Marvin Gaye no topo de nova lista de melhores álbuns

Dezessete anos após a primeira publicação da lista “500 Melhores Álbuns de Todos os Tempos”, a revista Rolling Stone anunciou que atualizou a escolha, tornando-a “menos centrada no rock”.

“Quando publicamos os 500 melhores álbuns de todos os tempos em dezembro de 2003, Amy Winehouse ainda estava a três anos de lançar ‘Back to Black’, e ‘good kid, m.A.A.d city’, de Kendrick Lamar, estava a quase uma década de distância. Muitos dos melhores músicos (e fãs) de hoje ainda não estavam no ensino médio”, disse a revista em um artigo anunciando a atualização.

A nova lista apresenta 154 novos álbuns que não estavam anteriormente na lista de 500. Na atual, 86 álbuns são deste século. A publicação representa uma grande mudança para a revista, passando a reconhecer álbuns mais contemporâneos e uma gama mais ampla de gostos.

Entre os destaques estão a adição de dois álbuns de Prince ao Top 50, “Sign O ‘the Times” no 45º lugar e “Purple Rain” em 8º. “The Miseducation of Lauryn Hill” saltou mais de 300 pontos para agora ficar em 10º na lista.

“What’s Going On”, álbum de 1971 de Marvin Gaye, substituiu “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, dos Beatles, na primeira posição.

“Uma diferença da lista antiga é a ideia de que não há uma história objetiva da música popular”, disse o editor de críticas da Rolling Stone, Jon Dolan, em um comunicado. “Acho que é um reflexo honesto de como é o gosto atual”.

De acordo com a revista, o processo de reformulação levou um ano. Mais de 300 artistas, jornalistas e figuras da indústria da música – incluindo estrelas como Beyoncé, Carly Rae Jepsen e membros do U2 – votaram e ajudaram a determinar a nova compilação.

Os eleitores enviaram cédulas classificando seus 50 álbuns favoritos de todos os tempos, e a revista tabulou os votos. Mais de 3.000 álbuns receberam pelo menos um voto.

A nova lista agora inclui clássicos mais modernos, incluindo álbuns como o epônimo “Beyoncé”; “Blond”, de Frank Ocean; e “21”, de Adele.


Deixe uma resposta