Próxima pandemia pode ser mais letal, diz criadora da vacina Oxford-AstraZeneca

Professora da Universidade de Oxford, Sarah Gilbert começou a trabalhar no desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19 no início de 2020 Foto: Reprodução/Universidade de Oxford

Sarah Gilbert, uma das pesquisadoras que criou a vacina Oxford-AstraZeneca contra a Covid-19, fez um alerta sobre a letalidade de futuras pandemias e a necessidade de mais financiamento para a prevenção de doenças como a causada pelo coronavírus. Durante a conferência Richard Dimbleby, na Inglaterra, nesta segunda-feira, Sarah disse também que teme pela perda dos avanços científicos conquistados nos últimos dois anos.

Esta não será a última vez que um vírus ameaçará nossas vidas e meios de subsistência. A verdade é que o próximo poderá ser pior. Pode ser mais contagioso, ou mais letal, ou ambos. Não podemos permitir uma situação em que passamos por tudo isso e depois descobrimos que ainda não há financiamento para a preparação para uma nova pandemia. Os avanços que fizemos e o conhecimento que adquirimos não devem ser perdidos — ressaltou.

Sarah também falou sobre a variante Ômicron e o temor de que as vacinas existentes atualmente não sejam eficazes contra ela. Segundo a pesquisadora, a variante tem mutações conhecidas por aumentar a transmissibilidade, mas são necessários aspectos adicionais para saber se os anticorpos induzidos pela imunização serão suficientes para prevenir casos graves da doença.

— Até que saibamos mais, devemos ser cautelosos e tomar medidas para desacelerar a disseminação dessa nova variante — disse.

Professora da Universidade de Oxford, Sarah começou a trabalhar no desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19 ainda no início de 2020, logo após os primeiros casos serem reportados na China.


Deixe uma resposta