Primeiro carregamento da CoronaVac chega a Alagoas e vacinação vai começar nesta terça-feira (19)

Avião trazendo vacinas para Alagoas pousa no Aeroporto Zumbi dos Palmares — Foto: Ragi Torres/ TV Gazeta

O primeiro carregamento das doses da CoronaVac chegou em Alagoas na noite desta segunda-feira (18). A aeronave aterrissou no Aeroporto Zumbi dos palmares, em Rio Largo, por volta das 22h50 trazendo as caixas térmicas com o imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Seguindo o protocolo, logo após o desembarque as caixas com as doses seriam colocadas em câmaras frias de caminhões pertencentes ao governo do estado e escoltadas pelas Polícias Federal, Rodoviária Federal e Militar até a sede do Programa Nacional de Imunização (PNI), no bairro do Farol.

A previsão inicial era que as doses enviadas pelo Ministério da Saúde chegassem ao Aeroporto Zumbi dos Palmares às 16h45. O governador e o secretário de Estado da Saúde estavam no aeroporto quando foram informados sobre o atraso.

A vacinação no estado vai começar nesta terça-feira (19). O grupo prioritário é formado por indígenas, profissionais de saúde e idosos em abrigos.

“Nós vamos iniciar amanhã [terça] a distribuição das doses para todo o estado utilizando nossas aeronaves para garantir ainda mais segurança e agilidade na imunização dos alagoanos”, disse o governador.

A primeira alagoana a ser vacinada será uma assistente social de 50 anos, que trabalha no Hospital da Mulher e atua na linha de frente do combate ao coronavírus.

O estado informou que a previsão é receber 71.080 doses da CoronaVac, mas o número só será confirmado quando as doses chegarem. O Ministério da Saúde disse que serão 87.760 doses (16.600 para a população indígena e 71.080 para profissionais de saúde e idosos em abrigos). Cada pessoa vai tomar duas doses da vacina.

“A expectativa é que a gente passe, a partir de agora, a receber vacinas com regularidade. Espera-se que a Fiocruz e o Instituto Butantan produzam entre 100 e 150 milhões de doses no Brasil pelos próximos quatro meses”, disse o governador.


Deixe uma resposta