Polícia indicia mãe de Nego do Borel por agressão à enteada; Roseli Gomes nega as acusações

Polícia indicia mãe de Nego do Borel por agressão à enteada; Roseli Gomes nega as acusações

A Polícia Civil do RJ indiciou Roseli Viana Gomes, mãe do cantor Nego do Borel, pela suspeita de lesão corporal contra a enteada, uma menina de 8 anos. O pai da garota, Alex Alves Gomes, também foi indiciado por suspeita de maus-tratos. Roseli nega as acusações.

As supostas agressões foram registradas pela mãe biológica na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, no Centro do Rio, no dia 24 de maio.

O Bom Dia Rio teve acesso a um relatório da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) que detalha a investigação.

A mãe biológica, em áudio, afirmou que só tem a agradecer após a decisão. “Isso tudo vai passar. Agradeço muito”. Nesta segunda-feira (7), ela conseguiu a guarda provisória da criança.

O documento da Dcav resume os depoimentos tomados até então e apresenta o laudo do corpo de delito feito na criança.

“Fez constar o perito que a menina seria vítima de diversas agressões com arranhões, chineladas e tapas, praticadas por diversas vezes, e que a última agressão teria ocorrido no dia 17”, afirma a Dcav.

Na descrição, o perito apontou “duas escoriações lineares de dimensões castanhas médias localizadas nas regiões escapular esquerda e antebraço esquerdo” praticadas por ação contundente.

O que disse a criança

A enteada foi ouvida por policiais especializados e detalhou episódios de agressão. Ela disse que a madrasta “errou o xampu”, atingindo-lhe os olhos, e que as agressões “ocorrem com chinelo e com a mão”.

Segundo a menina, na frente de Alex, Roseli fingiria gostar dela. A madrasta teria dito para não contar sobre as agressões ao pai. A garota, no entanto, relatou que contou sobre as agressões para a mãe, que reclamou com o ex.

“Em razão disso, ao retornar, Alex teria batido de chinelo na menor e a colocado de castigo, inclusive sendo obrigada a ficar em posições, de pé, e de joelhos, no cumprimento do castigo”, diz o relatório.


Deixe uma resposta