Polícia de Nova York nomeia suspeito de tiroteio em estação de metrô

Polícia de Nova York nomeia suspeito de tiroteio em estação de metrô

A polícia de Nova York identificou o suspeito do tiroteio em um trem lotado do metrô no Brooklyn na noite de terça-feira 11. Frank R. James, de 62 anos, é acusado de detonar bombas de fumaça em um vagão e depois atirar nos passageiros. Pelo menos 23 pessoas ficaram feridas.

James alugou uma van na Filadélfia, segundo a polícia. A chave do veículo foi encontrada entre vários pertences no vagão que acredita-se pertencer ao atirador, incluindo uma pistola Glock 9 milímetros, três pentes de munição, um machado, fogos de artifício e um líquido que se acredita ser gasolina.

A polícia encontrou a van abandonada em uma rua no final da tarde de terça-feira, a cerca de cinco quarteirões de uma outra estação de metrô – Kings Highway –, a 8 km da estação 36th Street, onde ocorreu o tiroteio. A investigação aponta que o atirador teria entrado no sistema de transporte por ali.

James continua foragido, segundo o Departamento de Polícia. O suspeito tem endereços tanto na Filadélfia quanto em Wisconsin. Antes do ataque, ele postou dezenas de vídeos no YouTube, fazendo discursos longos e discriminatórios sobre o noticiário diário. Algumas de suas posições incluem a responsabilização de mulheres negras pela violência entre os negros. Ele também é crítico de todas políticas do prefeito de Nova York, Eric Adams.

De acordo com a polícia, pouco antes das 8h30 (horário local, 9h30 de Brasília) de terça-feira, o homem negro, vestindo um colete e um capacete de construção, colocou uma máscara de gás antes de entrar em um vagão lotado de metrô no bairro de Sunset Park, jogou duas bombas de fumaça e começou a atirar. Depois de 33 tiros, ele fugiu.

Dez pessoas foram atingidas, informou a polícia, e cinco delas ficaram gravemente feridas. No entanto, segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém corre risco de morte. Outras 13 pessoas sofreram lesões relacionadas à inalação de fumaça, quedas ou ataques de pânico. As dez pessoas baleadas tornaram o tiroteio o pior da história do metrô de Nova York. A cidade americana passa por uma crise de segurança pública, marcada pelo aumento dos tiroteios e no crime. O prefeito Eric Adams, que assumiu em janeiro, chegou a se encontrar recentemente com o presidente Joe Biden para discutir a escalada de tiroteios.

Até 3 de abril, os incidentes com tiros aumentaram de 260 para 296, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o governo local. Em julho de 2021, o então governador Andrew Cuomo chegou a declarar estado de emergência por “violência com armas de fogo”, anunciando também um pacote milionário para tentar conter o número de casos.


Deixe uma resposta