‘Pior parte foi depilar na cera’, diz mecânico que foi preso ao tentar fazer prova do Detran no lugar da mãe

Heitor, que tentou fazer prova do Detran no lugar da mãe, fala sobre repercussão do caso — Foto: Diêgo Holanda/G1
Heitor, que tentou fazer prova do Detran no lugar da mãe, fala sobre repercussão do caso — Foto: Diêgo Holanda/G1

Cinco dias depois de ficar conhecido por se vestir de mulher para tentar fazer a prova do Detran no lugar da mãe, o mecânico Heitor Márcio Schiave, 43 anos, tenta voltar à rotina de trabalho na oficina localizada no distrito de Jaci-Paraná, em Porto Velho.

Ainda com as marcas de esmalte nas unhas das mãos, Heitor revelou que decidiu se passar pela mãe porque queria “presenteá-la” neste fim de ano com a CNH de carro. “Eu via o estresse dela nas tentativas frustradas de tirar a CNH, então tive a ideia de me transformar”, contou.

Porém, a atitude terminou em prisão no dia da prova prática do Detran, na terça-feira (10). A foto dele vestido de mulher na delegacia viralizou.

Início do plano e depilação

Segundo o mecânico, há algumas semanas sua mãe, Maria de Lourdes, viajou para visitar outro filho em Ji-Paraná (RO) e esqueceu um documento na casa de Heitor em Jaci-Paraná.

Heitor lembra que, no período, sua filha comentou sobre a semelhante física entre o pai e a avó. Então, o mecânico teve a ideia de se vestir de mulher para fazer a prova do Detran.

A produção para se transformar na própria mãe começou com a ida em uma loja de roupas. Inicialmente, ele queria um vestido, mas acabou optando por uma saia e uma blusa florida de manga longa.

Depois de comprar a roupa feminina, foi a vez de Heitor fazer a depilação da barba, maquiagem e pintura das unhas. A produção para se transformar na própria mãe durou um dia inteiro.

“Passei o dia anterior fazendo a maquiagem. A pior parte foi depilar a barba na cera. Aí eu vou falar pra vocês: se eu soubesse o tanto que doía eu tinha tomado bastante cachaça para amenizar”, brincou.
Na entrevista, o mecânico disse ter passado admirar ainda mais as mulheres por causa da dor na depilação.

Teste de reconhecimento

Mecânico contou com depilação, maquiagem e roupas longas para se passar pela mãe na prova do Detran em Rondônia — Foto: Whatsapp/Reprodução
Mecânico contou com depilação, maquiagem e roupas longas para se passar pela mãe na prova do Detran em Rondônia — Foto: Whatsapp/Reprodução

Uma noite antes de fazer a prova do Detran, Heitor deu uma volta na cidade vestido de mulher e não foi reconhecido por nenhum morador. Por isso, se sentiu seguro para fazer o exame prático de direção no lugar da mãe.

Para evitar que alguém descobrisse o plano dele no dia da prova, o mecânico disse ter colocado a identidade da mãe na máquina de lavar. O objetivo era que a foto do documento ficasse irreconhecível.

“Eu bati o RG na máquina de lavar roupa, aí deu uma estragada, e não dava pra ver certinho como tava o rosto da foto”, explicou.

O teste prático de direção foi marcado para o dia 10 de dezembro no distrito de Nova Mutum, a cerca de 15 quilômetros de onde ele mora.

O mecânico chegou a entrar no carro de teste e fazer a prova de baliza. Mas os examinadores passaram a desconfiar da atitude da “candidata” e chamaram a PM.

“Acho que o examinador desconfiou porque eu estava meio ligeiro na direção, mas tinha tudo para dar certo”, disse, contando que não teve má-fé no ato, porque seria uma prova de amor à mãe.
Diante do flagrante, Heitor foi preso e levado à Central de Polícia em Porto Velho.

Preocupação com a mãe após a prisão

Heitor disse que quando a mãe soube da prisão dele chorou bastante e se sentiu culpada. “Ela ficou bastante preocupada no dia, mas acabei sendo solto.”

O filho de Maria de Lourdes contou ainda que não sabe se repetiria o plano da CNH, mas que pela mãe dele faria qualquer coisa.

“Eu sou muito emotivo, eu vivo intensamente e vivo minha mãe intensamente. O que tem de ser, é. Nunca teve meio-termo. Eu amo ela demais”, diz emocionado.

Questionado sobre o que pensou quando viu o plano dar errado, ele disse que sabia que seria preso, mas que não tinha ideia de uma possível condenação criminal por falsidade ideológica, por exemplo.

Heitor Márcio Schiave voltou ao trabalho após a prisão e diz não se importar com as brincadeiras dos amigos — Foto: Diêgo Holanda/G1
Heitor Márcio Schiave voltou ao trabalho após a prisão e diz não se importar com as brincadeiras dos amigos — Foto: Diêgo Holanda/G1

O irmão de Heitor, o advogado Arthur Bagder Schiave, é quem vai cuidar da defesa do caso no Judiciário. Um inquérito policial foi instaurado pela Polícia Civil para investigar a prática dos crimes de estelionato e falsidade ideológica.

‘Vovozona’

Já livre e de volta ao trabalho na oficina, Heitor Schiave leva a situação de forma descontraída. No distrito, todas as pessoas ouvidas pela reportagem sabiam do caso e disseram entender o “ato de amor” de um filho pela mãe, apesar de a prática ser um crime.

Com a repercussão do caso, o mecânico ganhou um apelido no distrito de Jaci-Paraná:

Repercussão

Não foi apenas no distrito de Jaci-Paraná que o caso repercutiu nesta semana. A imagem de Heitor vestido de mulher, ainda na delegacia, foi destaque até na Europa.

O site da rede BBC destacou que o homem tentou se passar pela mãe porque ela teria reprovado três vezes nas provas do Detran em Rondônia.

Já o jornal “The Guardian”afirmou que, em uma das tentativas de tirar a CNH, a mãe de Heitor chegou atrasada no local da prova e não pôde entrar no carro.

Rede britânica BBC repercutiu caso de Heitor — Foto: Reprodução
Rede britânica BBC repercutiu caso de Heitor — Foto: Reprodução

*   Com G1


Deixe uma resposta