Peste Suína: Animais são apreendidos em Palmeira dos Índios após registro da doença no Estado

Veterinário Gustavo Galindo

O médico Veterinário Gustavo Galindo esteve na manhã desta quinta-feira concedendo entrevista ao Programa Nosso Encontro da Rádio Sampaio FM para explicar o motivo da apreensão de porcos na última segunda-feira durante a feira de animais em canafístula de Frei Damião.

Após exames feitos no local da feira nenhum animal foi diagnosticado com a doença, mesmo assim foram recolhidos e sacrificados na base sanitária por conta da situação que foi diagnosticada em Traipú onde todos os animais foram sacrificados. O médico veterinário afirmou que alguns criadores sabiam da proibição de trânsito de suínos no estado, mas insistiram em levá-los para a comercialização durante a feira.

Está proibida a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) para suídeos no território alagoano, para quaisquer destinos ou finalidades, exceto abate imediato em estabelecimentos com serviço de inspeção oficial. Fica suspensa, também por tempo indeterminado, a aglomeração de animais da espécie suídea, como em feiras de animais espalhadas pelo estado.

A medida foi instituída pelo órgão, considerando as diretrizes do Programa Nacional de Sanidade dos Suídeos (PNSS), após a confirmação de um foco de PSC no município de Traipu, no interior alagoano. Com o objetivo de evitar a disseminação do vírus e reduzir ao máximo as perdas produtivas e econômicas decorrentes, a Adeal está atuando diariamente na região para combater a doença.

imagem ilustrativa

Fica estabelecido que, em Traipu, na área correspondente ao raio de 10 km a partir de propriedade rural com registro de foco da doença, é vedada a entrada ou saída de animais da espécie suídea, independentemente do destino ou finalidade, exceto para abate imediato após aprovação prévia do Serviço Veterinário Oficial (SVO).

Além disso, cargas de suídeos e de seus produtos e subprodutos, quando abordadas dentro do Estado de Alagoas, por servidores da ADEAL no exercício da fiscalização, estarão passíveis das medidas de controle sanitário previstas em Lei.

Na mesma publicação, a Adeal suspende em caráter emergencial a Feira de Animais do município de Campo Grande, a fim de complementar as medidas de segurança adotadas para conter o avanço do agente patogênico no estado, até disposição em contrário.

Carlos Mendonça Neto, diretor-presidente da Adeal, explica que o intuito das medidas é proteger Alagoas da disseminação do vírus. Segundo ele, a Agência continua atenta ao surgimento de novos casos e informa que todas as medidas estão sendo tomadas para o controle da doença e consequentes prejuízos econômicos ao setor.

“Pedimos que casos suspeitos sejam imediatamente comunicados aos escritórios da Adeal através das nossas mídias sociais, ou pelo telefone 0800 082 0050”, ressalta o diretor-presidente.

 


Deixe uma resposta