Patrimônio Vivo de Alagoas, Marinalva Bezerra morre aos 83 anos

Ceramista Marinalva Bezerra da Silva era mestra do Patrimônio Vivo de Alagoas — Foto: Agência Alagoas

A ceramista Marinalva Bezerra da Silva faleceu nesta quinta-feira (28) aos 83 anos. Marinalva era considerada uma mestra do Patrimônio Vivo de Alagoas, pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), desde 2019. A causa da morte não foi divulgada.

Nascida, criada e moradora do Povoado Muquém, em União dos Palmares, a artesã adotou o conhecimento passado por gerações sobre o manuseio do barro para ajudar no sustento de casa. E foi assim que, do barro vermelho retirado do Rio Mundaú, Marinalva começou a registrar a história viva de Alagoas.

A mestra produzia peças de cerâmica utilitária com movimentos contínuos e sem torno. Entre as suas produções estão as panelas, os potes, as moringas, entre outras que são utilizadas no dia a dia. Ela era a última remanescente do Quilombo dos Palmares que fazia os utilitários de barro.

Inclusive, foi pela representatividade ancestral, que Marinalva foi escolhida para moldar em suas mãos a obra que foi entregue como troféu na edição 2019 do Prêmio Tia Marcelina. Esta honraria é concedida às personalidades alagoanas, como reconhecimento de trabalho em prol do empoderamento negro no Estado.

O velório ocorrerá na residência de Dona Marinalva, no Muquém. E o sepultamento está previsto para às 16h, no Cemitério Público Santo Campo dos Palmares.


Deixe uma resposta