Oito pessoas são presas em uma semana suspeitas de estupro de vulnerável em Alagoas

Oito pessoas são presas em uma semana suspeitas de estupro de vulnerável em Alagoas

A quantidade de casos de prisões por acusação de estupro de vulnerável tem chamado atenção em Alagoas. Somente na última semana, entre os dias 13 e 21 de abril, o estado registrou a prisão de oito pessoas, uma delas sendo mulher. As ocorrências aconteceram no interior e na capital alagoana.

O primeiro caso dentro do período analisado ocorreu em Marechal Deodoro, na Região Metropolitana de Maceió, no dia 3 de abril. Um homem de 37 anos foi preso e autuado por estupro de vulnerável após passar a mão na nádega de uma adolescente de 14 anos. À polícia, a vítima relatou que estava muito nervosa, por sofrer de ansiedade, e precisou ser medicada.

No mesmo dia, outro homem foi preso, no bairro Santos Dumont, em Maceió, suspeito de estuprar a própria filha de 11 anos, que está grávida de 7 meses do genitor.

Segundo o Chefe de Operações, agente Alan Barbosa, a menina disse que vinha sendo abusada pelo pai há algum tempo. “Os pais são separados e os abusos aconteciam quando ele pegava a menina e levava para sua casa”, pontuou.

Inclusive, para tentar despistar a polícia, o suspeito de estupro chegou a obrigar que a criança fosse até a Central de Flagrantes registrar um Boletim de Ocorrência (BO), dizendo que ela foi estuprada por outro homem. Chegando em casa, a menina relatou tudo para a mãe, que procurou a delegacia especializada e fez a denúncia.

Ainda em Maceió, um terceiro homem foi preso, no dia 19 de abril, por estuprar uma adolescente de 13 anos. Ele é companheiro da avó da menina. “Em determinados momentos, ele estava em um quarto dentro da casa, a avó no térreo e ele com a adolescente no primeiro andar. Ela, temendo a morte, porque ele a ameaçava constantemente. Ele se masturbava com frequência para a menina, apesar de não ter havido a cópula vaginal. Ou seja, houve atos libidinosos”, contou o delegado Gustavo Xavier, da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC).

O delegado ainda afirmou que, após a notícia desse fato, que ocorreu há dois anos, diversas crianças e adolescentes foram chamadas à delegacia, prestaram depoimento e confirmaram que era uma prática comum e que não procuraram a polícia por medo de morrerem, já que ele também ameaçava as vítimas.

O quarto caso aconteceu no município de Atalaia, mas o suspeito foi preso no bairro Vergel do Lago, em Alagoas. Ele – identificado apenas como Josafar – está sendo investigado por estuprar a filha de seis anos. O flagrante foi feito pela mãe da menina, que acionou o Conselho Tutelar da região. O crime vinha ocorrendo nos últimos dois anos.

“A mãe pegou no flagra o pai com as calças abaixadas e a filha também. Ela puxou o lençol e visualizou na hora. Ele, na mesma hora, pegou as coisas e saiu correndo de casa, enquanto a mãe procurou o Conselho Tutelar e a criança foi levada ao IML [Instituto Médico Legal], que confirmou a lesão”, relatou o delegado Gustavo Xavier, que também é responsável pelas investigações deste caso.

Prisões no interior

Já no dia 19 de abril, a Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação e prendeu um homem de aproximadamente 25 anos suspeito de abuso sexual de crianças. Ele é investigado por abusar de uma menor, tendo filmado e fotografado o ato.

Em um vídeo encontrado pelos agentes, a vítima seria o sobrinho. O homem foi indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável e produção de material pornográfico contendo cenas de abuso sexual de criança.

No dia seguinte, 20 de abril, um cabo reformado do Exército de 54 anos e uma mulher de 23 anos foram presos por estupro de vulnerável e satisfação da lascívia mediante a presença de criança. Isso porque a suspeita recebia R$ 30 para levar as menores até o homem. Na casa dele, além de serem estupradas e ameaçadas com arma de fogo, as meninas eram obrigadas a assistirem os dois praticarem atos sexuais.

Testemunhas relataram à polícia que a mulher chegou a levar duas meninas, uma de 11 anos de idade e outra de 12, para a casa do homem, em oportunidades diferentes. Ela se aproveitava da amizade e confiança que tinha com as mães das menores e as chamava para irem ao supermercado.

O último caso registrado no período analisado aconteceu nesta quinta-feira (21), na cidade de Murici. Um homem de 32 anos, foi preso por estuprar a própria cunhada, uma adolescente de 13 anos. Segundo a polícia, o crime aconteceu em fevereiro de 2019, quando o homem foi chamado pela família para levar a vítima a um hospital, tendo em vista que ela estava passando mal.

Na volta, após o atendimento médico, ele teria levado a adolescente a um matagal e praticado o ato sexual, ameaçando matá-la caso contasse para alguém o que teria ocorrido. No dia seguinte ao estupro, a vítima foi até a delegacia de Murici e relatou os fatos. Ele estava foragido, mas, após novas informações de que estava utilizando outro nome, o suspeito foi preso.


Deixe uma resposta