Ministério Público pede expulsão e condenação máxima de militar por homicídio e estupro em Maceió

Josevildo Valentim dos Santos Junior

O Ministério Público de Alagoas ingressou uma ação penal pedindo a expulsão e a condenação máxima do policial militar Josevildo Valentim dos Santos Junior, que confessou ter estuprado e matado uma jovem em Maceió e ter tentado matar o namorado dela. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (4).

O crime ocorreu no dia 15 de outubro. Aparecida Rodrigues Pereira, 19 anos, foi estuprada e morta a tiros. O namorado dela ficou ferido e, mais tarde, reconheceu o policial militar como autor dos crimes. Na residência do acusado foram encontradas as sandálias que a vítima que morreu estava usando no momento em que foi levada, junto ao namorado, para o Pontal da Barra.

O promotor Rodrigo Soares informou durante uma entrevista coletiva à imprensa nesta manhã que as penas somadas dos crimes praticados pelo militar podem chegar a 60 anos.

“Além disso, deixamos expresso o pedido de expulsão do militar no processo. Ficamos muito surpresos da conduta desse militar, porque ele deveria proteger a sociedade e não praticar essa barbárie”, reforça.

Além desse caso, o soldado também é investigado por casos de estupro em Maceió, Marechal Deodoro e também em Rio Largo.

“Além dessa pena de 60 anos que o MP pediu, ele pode ser condenado em outro crimes e as penas são somadas. Nós vamos nos juntar às outras comarcas para atuarmos juntos na tentativa de esclarecer todas as denúncias envolvendo o policial”, reforça o promotor.

O promotor Rodrigo Soares disse ainda que o militar contou para a sua esposa que tinha cometido um estupro há sete anos.

“Em depoimento, ela disse que ele confessou um crime e disse que ele usava drogas há cerca de três anos. Ou seja, ele [Josevildo] alegou que estava sob efeito de drogas, mas ele já confessou um estupro há sete anos, então essa conduta dele é antiga”, avalia Soares.

 

 

 

*    Com G1


Deixe uma resposta