‘Minha filha ressuscitou’, diz mãe de paciente que se curou da Covid-19

Professora de 39 anos recebe alta depois de passar 17 dias entubada por causa da Covid-19 — Foto: Ascom Sesau
Professora de 39 anos recebe alta depois de passar 17 dias entubada por causa da Covid-19 — Foto: Ascom Sesau

A professora Maria Betânia dos Santos Silva, de 39 anos, ficou internada 24 dias no Hospital da Mulher , em Maceió, por causa da Covid-19. Ela recebeu alta nesta sexta-feira (8). Durante o período de internamento Betânia ficou 17 dias entubada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Na saída, ela se emocionou: “Agradeço a todos vocês por tudo que fizeram por mim durante esse tempo”

Betânia mora na cidade de Capela, interior do estado e chegou no Hospital da Mulher no dia 13 de abril. Ela apresentava quadro de febre, tosse seca, dores musculares e dores na parte superior do abdomen.

O quadro de Betânia se agravou dois dias depois que ela deu entrada na unidade e precisou ser internada às pressas na UTI porque o sistema respiratório piorou e os médicos avaliaram que ela precisava ser entubada para receber ventilação mecânica.

Ao sair da UTI, Betânia falou a todos os profissionais que a acompanharam durante o tratamento. “Quero agradecer a equipe que me deu banho, remédios e alimentação pela sonda e me socorreu durante as horas de angústia. Por isso, serei grata a vocês pelo resto da minha vida”. Mãe de dois adolescentes, ela disse que está ansiosa para voltar a trabalhar dando aulas às crianças do ensino fundamental na cidade onde mora.

Na saída, Betânia foi recebida pelo filho e pela mãe, que fez um apelo emocionado — Foto: Ascom Sesau
Na saída, Betânia foi recebida pelo filho e pela mãe, que fez um apelo emocionado — Foto: Ascom Sesau

O coordenador médico do Centro de Terapia Intensiva do Hospital da Mulher, Luiz Guilherme Almeida, disse que ela chegou com muita falta de ar e por isso houve a necessidade de entubação e ventilação mecânica por um período longo. O quadro evoluiu até ela não precisar mais dos aparelhos. “São histórias como a dela que incentivam nossa equipe multidisciplinar a continuar trabalhando 24 horas por dia para o bem-estar da população alagoana. Como ela ficou muito tempo entubada, passei um encaminhamento para o fonoaudiólogo, a fim de ela deglutir melhor novamente e exercer com maestria o ofício de ser professora”, disse o médico.

Na saída, Betânia foi recebida pela mãe, Maria Benedita, de 61 anos. Ela disse que ver a filha internada foi o maior sofrimento de sua vida. Por outro lado, ganhou como presente de aniversário a alta hospitalar da filha.

“Só Deus pra ter me confortado durante esse tempo. Foi uma luta grande que não desejo nem pro meu pior inimigo. Minha filha ressuscitou”, disse a mãe emocionada
Ao receber a filha curada, Maria Benedita fez um apelo emocionado para que as pessoas fiquem em casa.

“Eu peço que a população acredite nas palavras que os médicos e o governador estão dizendo na tevê e na internet. Essa doença pode matar. Estou vendo a minha filha hoje e sei o quanto sofri durante esse tempo, achando que a qualquer momento podia receber a pior notícia da minha vida. Por favor, fique em casa! Se você não tiver motivo pra sair, não coloque os pés na rua. É triste quando a gente tem um caso como essa na família. A gente liga a tevê e o mundo só fala disso. Se preservem. Se cuidem. Se amem”, disse ela.


Deixe uma resposta