Mais de 300 alagoanos tomaram doses vencidas da AstraZeneca, diz Ministério da Saúde

Mais de 300 alagoanos tomaram doses vencidas da AstraZeneca, diz Ministério da Saúde

Pelo menos 45 municípios alagoanos aplicaram doses vencidas da vacina AstraZeneca segundo dados de registros oficiais do Ministério da Saúde, divulgados nesta sexta-feira, 2, pelo jornal Folha de S.Paulo. Ao todo, 328 pessoas receberam os imunizantes.

Em Alagoas, o município que mais vacinou com doses fora do prazo de validade, segundo dados do próprio MS foi o de Maceió, com 109 vacinas aplicadas. A capital é seguida por Delmiro Gouveia e Batalha, com 67 e 17 respectivamente. Confira a lista completa ao final do texto.

No Brasil, até o dia 19 de junho, os imunizantes com o prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros.

Em âmbito nacional, a campeã no uso de vacinas vencidas é a cidade de Maringá, que vacinou 3.536 pessoas com o produto da AstraZeneca fora da validade (primeira dose em todos os casos). Depois aparecem Belém (PA), com 2.673, São Paulo (SP), com 996, Nilópolis (RJ), com 852, e Salvador (BA), com 824. As demais cidades aplicaram menos de 700 vacinas vencidas, sendo que a maioria não passou de dez doses.

Todos os imunizantes expirados integram oito lotes da AstraZeneca importados ou adquiridos por consórcio. Um deles passou da validade no dia 29 de março. O que venceu há menos tempo estava válido até 4 de junho. São eles: 4120Z001 (29.mar), 4120Z004 (13.abr), 4120Z005 (14.abr), CTMAV501 (30.abr), CTMAV505 (31.mai), CTMAV506 (31.mai), CTMAV520 (31.mai) e 4120Z025 (4.jun).

A maioria (70%) das doses aplicadas depois da validade é de um mesmo lote do Instituto Serum, identificado como “4120Z005”. O bloco venceu em 14 de abril, mas continuou sendo aplicado depois dessa data pelo país.

O lote pode ser conferido na carteira individual de vacinação. Quem tiver recebido uma dose de um desses oito lotes de AstraZeneca após a data de validade deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento.

Além disso, de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, quem tomou imunizante vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias depois de ter recebido a dose administrada equivocadamente. Na prática, é como se a pessoa não tivesse se vacinado.

O plano define, também, que cada indivíduo vacinado seja identificado com o lote da imunização recebida, o produtor da vacina e a dose aplicada. Isso é feito justamente para acompanhamento do Ministério da Saúde e eventual identificação de erros vacinais.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou “que acompanha rigorosamente todos os prazos de validade das vacinas Covid-19 recebidas e distribuídas” e que “as doses entregues para as centrais estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério.”

Confira a quantidade de doses aplicadas por município:

Maceió (109), Delmiro Gouveia (67), Batalha (17), Taquarana (13), Arapiraca (12), Santa Luzia do Norte (11), Santana do Ipanema (10), Novo Lino (10), Matriz de Camaragibe (8), Feira Grande (7), São Miguel dos Campos (5), Viçosa (5), São Sebastião (5), Santana do Ipanema (5), Craíbas (3), São Luís do Quitunde (3), Pilar (2), Campo Grande (4), Canapi (2), Paulo Jacinto (2), Paripueira (2), Porto Real do Colégio (2), Marechal Deodoro (1), Coruripe (1),Cajueiro (1), Igaci (2), Anadia (1), Rio Largo (1), Murici (1), Flexeiras (1), Girau do Ponciano (1), Rio Largo (1), Piaçabuçu (1), Coqueiro Seco (1), Traipu (1), Palestina (1), São José da Tapera (1), Maragogi (1), Teotonio Vilela (1), Major Isidoro (1), São José da Laje (1), União dos Palmares (1), Campestre (1), Girau do Ponciano (1) e Porto de Pedras (1).


Deixe uma resposta