Mãe de bebê que morreu carbonizado, em Joaquim Gomes, nega que deixava os filhos sozinhos em casa

bebê de 1 ano e 6 meses que morreu carbonizado – Foto: Divulgação

A mãe do bebê de 1 ano e 6 meses que morreu carbonizado, prestou depoimento na tarde desta terça-feira (11) na delegacia da cidade de Joaquim Gomes. Vizinhos disseram que Adriana Maria da Silva costumava deixar os filhos de 5 e 2 anos, além do bebê, sozinhos em casa. Ela negou.

“Sozinhos eu não deixava não. Deixava com umas pessoas assim, com vizinhos, mas sozinhos eu não nunca deixei meus filhos sozinhos não”, disse a mãe.

A tragédia aconteceu na noite de domingo (9). Testemunhas disseram que a mãe não estava em casa quando o fogo começou. Os vizinhos perceberam a fumaça e foram socorrer. O bebê dormia na cama e não sobreviveu.

A mãe da criança está sendo investigada por negligência e abandono de incapaz. Segundo o Conselho Tutelar, Adriana já vinha sendo denunciada há quatro anos.

“O que foi feito desde 2016, quando nós tivemos a primeira situação com essa mãe, com essa família, de início foi a orientação. Mas aí a gente sentiu que se agravou e a gente percebeu que tinha o risco até de vida. Ela estava colocando as crianças em risco de vida”, disse a conselheira Lidiane Gregório.

As outras duas crianças foram encaminhadas para casa de parentes da mãe.

“Estamos aguardando que o juiz resolva como de fato vão ficar essas crianças. Tem um processo demorado, se trata de vidas e tem que se avaliar com quem vão ficar porque elas já sofreram muito, estão traumatizadas. Para o Conselho Tutelar, nós entendemos que o melhor não é ficar perto da mãe. No momento não”, disse Lidiane.


Deixe uma resposta