Hospital de campanha em São Paulo será fechado por falta de pacientes, dizem profissionais.

Hospital de campanha montado no estádio do Pacaembu para atender casos de covid-19: desmobilização após quase três meses - Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O hospital de campanha do Pacaembu, montado pela Prefeitura de São Paulo no início de abril para tratar doentes de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, será encerrado no próximo dia 30. É o que contam médicos e outros profissionais da saúde que trabalham no local.

De acordo com um médico que trabalha no local e pediu para não ser identificado, parte da equipe que atuava ali já foi transferida para outras unidades administradas pela OS (Organização Social) do Hospital Israelita Albert Einstein, responsável pelo hospital de campanha do Pacaembu. “Já fizeram uma reunião com todo mundo inclusive, agradecendo o empenho de todos e avisando que devido à baixa ocupação, o contrato com a prefeitura não seria renovado.”

“Eu fico até dia 30, que é o último dia previsto de funcionamento, e acho que depois tem um trabalho de desmonte antes de fechar”, diz outro profissional de saúde à reportagem. Um terceiro profissional que trabalha no local confirmou que também foi avisado do encerramento no fim do mês.

Decisão não está fechada, diz secretário

Apesar da desmobilização o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirmou que ainda não há uma decisão fechada.

Procurada pela reportagem pela manhã, a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde não quis confirmar a informação, mas disse que o contrato com o Einstein termina no dia 6 de julho.

O Pacaembu recebeu os primeiros pacientes de covid-19 no dia 6 de abril. O número de pacientes internados na unidade tem caído ao longo do último mês, de acordo com dados da prefeitura de SP.

Hoje há apenas 33 pacientes internados, todos na enfermaria. Na segunda-feira da semana passada, a ocupação do hospital já era baixa e havia somente 54 pessoas internadas.

A taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade está em 58% —no momento mais crítico da pandemia o percentual chegou a 94%.

O município de São Paulo tem 6.422 mortes causadas pelo coronavírus e 118.708 casos confirmados. O hospital de campanha do Pacaembu foi o primeiro dos três montados em São Paulo. No Pacaembu, atuam cerca de 500 profissionais.

Nota à imprensa

Em nota à imprensa divulgada no final da tarde de hoje, a Prefeitura de São Paulo diz que “não há, neste momento, qualquer decisão que envolva o fechamento dos Hospitais Municipais de Campanha do Pacaembu e do Anhembi”. Leia o comunicado na íntegra:

“A Prefeitura de São Paulo esclarece que não há, neste momento, qualquer decisão que envolva o fechamento dos Hospitais Municipais de Campanha do Pacaembu e do Anhembi, unidades fundamentais na estratégia que está garantindo atendimento aos paulistanos e já evitou a perda de pelo menos 30 mil vidas na cidade. O comportamento da pandemia na capital é monitorado diariamente pelo governo municipal e todas as medidas necessárias são tomadas com base em dados técnicos e indicadores das autoridades de saúde pública da cidade em total sintonia com o comitê científico do governo do Estado. Lamentamos que nesse momento de pandemia a imprensa divulgue fake news.”


Deixe uma resposta