Homem morde e arranca pedaço da orelha de funcionário de lanchonete em São José da Tapera

Funcionário de lanchonete teve parte da orelha arrancada por cliente em São José da Tapera, Alagoas — Foto: Arquivo pessoal

Dois funcionários de uma lanchonete em São José da Tapera, no Sertão de Alagoas, foram agredidos por um cliente que tentava comprar cervejas fiado na madrugada desta sexta-feira (20). Durante a briga, o homem mordeu e arrancou um pedaço da orelha esquerda do chapeiro, um jovem de 20 anos.

A mãe do funcionário, que é atendente na lanchonete, presenciou as agressõese ficou desesperada. A lanchonete divulgou uma nota de repúdio e cobrou que o agressor seja responsabilizado. Os dois funcionários agredidos disseram que vão prestar queixa neste sábado (2).

O chapeiro Guilherme Souza Santos, 20 anos, e o outro funcionário agredido, Carlos Eduardo, contaram como as agressões ocorreram. Os dois disseram que o homem já chegou ao estabelecimento alterado e iniciou as agressões quando foi impedido no balcão de levar as cervejas que não tinha pagado.

O homem agrediu primeiro o funcionário Carlos Eduardo, que é responsável pela parte de fritas e sanduíches, mas estava trabalhando nas entregas no momento das agressões.

“Eu fui o menino que ele veio para cima primeiro. Ele meteu a cabeça dele na minha, feriu a minha boca. A minha cabeça ficou doendo. Assim que ele veio em cima de mim, os meus amigos funcionários vieram me ajudar, e assim começou a briga. O meu [machucado] não foi muito, porém dói demais. O pior é o do meu amigo”, contou.

Guilherme, o funcionário que perdeu parte da orelha, explicou que eles não têm autorização para vender nada fiado no local, por isso negaram o pedido do cliente. No momento em que a briga começou, ele foi chamado para ajudar a conter o agressor.

“Eu apareço segurando ele pelas costas. Logo depois de separar, ele tenta entrar na cozinha, onde eu fecho a porta para ele não passar. Ele tenta ir para cima da minha mãe, enquanto outros caras estão segurando ele. Quando ele avança pra atacá-la, tomo sua frente tentando afastá-lo dela. Sem conseguir me bater de alguma maneira, ele mordeu minha orelha, arrancando e cuspindo fora”, explicou a vítima.

O agressor foi colocado para fora da lanchonete, mas ainda tentou entrar novamente. Guilherme contou que o esse cliente costuma frequentar o local, mas nunca tinha agredido ninguém. “Sempre foi um bêbado chato, mas nessa magnitude, não”.

Sem parte da orelha, Guilherme foi socorrido. Ele levou vários pontos no ferimento.

O funcionário Carlos Eduardo disse que espera que o homem pague pelas agressões. “Só quero que ele pague pelo que fez com a gente. Estou muito mal pela situação”.


Deixe uma resposta