Fiocruz alerta para aumento na tendência de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Alagoas

Fiocruz alerta para aumento na tendência de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Alagoas

No boletim InfoGripe divulgado nesta quinta-feira (28), a Fundação Oswaldo Cruz alertou para sinal de crescimento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Alagoas.

O destaque do boletim é o alerta para o reaparecimento de vírus que estão causando Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças de 0 a 9 anos no país.

Os vírus, segundo a Fiocruz, vem causando SRAG desde o começo de 2021 nas crianças pequenas, além do Sars-Cov-2:

  • Bocavírus

  • Parainfluenza 3 e 4

  • Vírus Sincicial Respiratório (VSR)

  • Rinovírus

“Com exceção da região Norte, todas as regiões do país apresentam diversos estados com número de casos semanais em crianças (0-9 anos) relativamente altos para o histórico da epidemia de COVID-19, mantendo volume de casos de SRAG similares ou até mesmo acima dos picos registrados em 2020 nessa população. Como já destacado, a situação é particularmente preocupante nos estados da região Sul do país, onde a presença de VSR também contribuiu para o aumento de casos nas crianças. Além dos estados da região Sul, diversos estados da metade Centro-Sul do país apresentam presença relevante de casos positivos de VSR em crianças”, diz o boletim.

Alagoas já registrou ao todo 18.484 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, levando em conta todas as faixas etárias.

Para a soma dos casos, são registrados pacientes que precisam de hospitalização ou mesmo casos de mortes decorrentes de sintomas como dor de garganta ou tosse; dispneia ou saturação de oxigênio menor que 95% ou dificuldade respiratória.

O coordenador do InfoGripe, pesquisador Marcelo Gomes, destacou o reaparecimento de outros vírus respiratórios que estão gerando SRAG.

“O número de casos de SRAG segue abaixo dos picos de março e maio deste ano, porém mantendo valores superiores aos de 2020. Houve apenas um leve aumento nas últimas semanas em alguns locais, mas se mantendo dentro da média recente. O importante é destacar essa volta de outros vírus respiratórios gerando SRAG”, afirma o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

SRAG em AL

Segundo boletim da Fiocruz, Alagoas apresenta sinal de forte crescimento na tendência de longo prazo (últimas 6 semanas) e indícios de crescimento moderado na tendência de curto prazo (últimas 3 semanas).


Deixe uma resposta