Em Alagoas, Bolsonaro diz que o que acontece na CPI “é um crime”

Foto: Pedro Ferro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta quinta-feira (13) em Alagoas, que “é um crime” o que acontece na CPI da Covid, em que, segundo ele, há “vagabundo inquirindo pessoas de bem”. O xingamento é o mesmo usado pelo filho do presidente, senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para atacar o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), na quarta-feira (12).

“Se Jesus teve um traidor, temos um vagabundo inquirindo pessoas de bem no país. É um crime o que vem acontecendo com essa CPI. Mas o que interessa são as boas ações”, declarou Bolsonaro.

O presidente não citou o nome de Renan, mas, na sequência, apoiadores gritaram “Renan, vagabundo”. Mais cedo na cerimônia, o presidente fez um sinal positivo e acenou para os apoiadores que fizeram o mesmo ataque ao senador alagoano.

Em seguida, ainda sem falar o nome de Renan, Bolsonaro disse que “o recado que tenho para esse indivíduo: se quer fazer um show, tentando me derrubar, não o fará. Somente Deus me tira daquela cadeira”, em referência à cadeira presidencial.

Bolsa família

Ainda na cerimônia de inauguração dos prédios populares, Bolsonaro afirmou que será feita mudança no Bolsa Família, dizendo que “está quase pronto o novo Bolsa Família” com o desenvolvimento de um aplicativo para avaliar quem está apto a receber o benefício.

“A inclusão no Bolsa Família não será mais procurando prefeituras pelo Brasil, será feito através de um aplicativo. Vamos libertar as pessoas mais humildes do jugo de quem quer que seja”, declarou o presidente.

A ideia já era tratada pelo líder do governo no Congresso. Segundo o blog da Andreia Sadi, Ricardo Barros (PP-PR) estudava substituir o novo auxílio emergencial na pandemia da Covid pela ampliação do Bolsa Família.


Deixe uma resposta