Eleição do Conselho Tutelar em Palmeira tem nomes novos

Fazer parte do Conselho Tutelar significa ser responsável por uma série de tarefas. Entre elas, atender as crianças e adolescentes nas hipóteses de descumprimento de proteção previstas em seu estatuto, aplicando algumas medidas. Atender e aconselhar pais ou responsáveis. Além disso, também é sua função promover a execução de suas decisões, usando para tanto, requisitos de serviços públicos nas áreas de saúde, educação, serviço social, previdência, trabalho e segurança, ou representação junto à autoridade judiciária nos casos de descumprimento injustificado de suas deliberações, são atribuições do Conselho Tutelar.

Preservar os direitos de crianças e adolescentes é função primordial dos que assumem esse cargo, diante do quadro violento que se vê nos últimos anos. O buscado salário de mais de dois mil reais, faz com que os postulantes à função invistam grandes quantias e envolvam vários assessores. Tanto é que nos dois únicos locais de votação, um número imenso de eleitores se aglomeraram em frente aos seus portões.

Pela segunda vez na história o Brasil teve uma data unificada para a eleição dos conselhos tutelares existentes em todos os estados da Federação. Neste domingo (6), apesar do voto ser facultativo, os eleitores tiveram a oportunidade de ir às urnas para escolher cerca de 30 mil novos conselheiros que vão compor os 5.956 colegiados espalhados por todas as regiões do país. Em Alagoas, os centenas de candidatos disputaram uma das 585 vagas disponíveis, sendo 50 só na capital. E para fiscalizar o pleito, o Ministério Público Estadual (MPAL) esteve de plantão em todas as promotorias de justiça. O objetivo é garantir a lisura do processo de escolha dos futuros conselheiros.

Infelizmente, Alagoas será o único estado do Brasil a fazer eleição com voto de papel.

De cinco vagas, postularam 25 candidatos em Palmeira dos Índios, as quais, depois do pleito, serão ocupadas por: Wallison Cícero de Oliveira Santos, José Eduardo Silva Targino, Agnaldo Tenório de Barros, Tiago José Silva da Costa e Cleiton Rafael Holanda Ferreira.


Deixe uma resposta