Deputados devem votar, na próxima semana, projeto que reduz mensalidades escolares em AL

Foto: Vinícius Firmino

Durante vigência de ato normativo nº 06/2020 da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Inácio Loiola (PDT) protocolou projeto de lei que dispõe sobre a flexibilidade de medidas socioeconômicas para a adoção de redução proporcional nas mensalidades da rede privada de ensino, em razão da suspensão temporária de aulas presenciais para cumprimento do decreto governamental nº 69.541/2020, considerando situação emergencial na saúde pública do Estado.

O projeto vem estabelecer medidas socioeconômicas tornando imprescindível um ajuste de custos para que estudantes e/ou seus responsáveis financeiros, que tiveram seus rendimentos afetados, sejam atendidos com a redução proporcional de mensalidades no período que resultar necessidade da suspensão de aulas e atividades presenciais enquanto perdurarem as medidas de enfrentamento da Covid-19.

Essa adaptação necessária provocou uma série de questionamentos e posicionamentos das partes envolvidas na relação contratual.

De acordo com o parlamentar o projeto de lei tem previsão de não acarretar prejuízo financeiro às instituições privadas de ensino, no qual celebramos medidas diversas para equilibrar e ajustar o déficit de ordem econômica dos responsáveis financeiros pelos alunos, ora matriculados.

“Ao mesmo tempo, vimos possibilitar que as instituições também tenham condições de manter em dia o pagamento salarial de funcionários, professores, e demais despesas que não se alteram mesmo com a suspensão das aulas presenciais”, reforçou Inácio Loiola.

Em decorrência disso, para ajustar as medidas que necessitam ser flexibilizadas pelas instituições de ensino, Loiola retirou de pauta o projeto inicial e protocolou novo projeto no dia 6 de abril, buscando atender as escolas que se disponham a oferecer as aulas pela internet – gravadas ou transmitidas ao vivo, que de forma emergencial comprovem novos gastos com equipamentos tecnológicos, treinamentos para o corpo acadêmico e aquisição de licenças ou plataformas para a transmissão remota das aulas, promovendo a atualização do calendário escolar.

No mesmo sentido, o deputado estadual Cabo Bebeto (PSL) também protocolou projeto semelhante que institui a aplicação do desconto proporcional durante o enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus, em que as instituições de ensino poderão aplicar a redução proporcional a partir do 31º (trigésimo primeiro) dia de suspensão das aulas.

Os dois projetos de lei tramitam na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde aguardam parecer da relatoria, antes de seguir para discussão e votação no plenário da Casa Legislativa na próxima semana.

Por Yela-Diane.


Deixe uma resposta