Cantora Cleide Moraes, a ‘rainha da saudade’, morre em acidente de trânsito

Cleide Moraes (Foto: Toda On)

A cantora paraense Cleide Moraes, conhecida no estado como a “rainha da saudade”, morreu na noite de domingo (26) vítima de acidente de trânsito na rodovia PA-391, a Belém-Mosqueiro, próximo do município de Santa Bárbara.

Ela voltava de um show em Icoaraci, e estava a caminho de Mosqueiro quando teve seu veículo atingido por um carro de passeio. Duas pessoas foram encaminhadas para o hospital Metropolitano de Ananindeua. A cantora não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O corpo de Cleide Moraes foi levado durante a madrugada desta segunda-feira (27) para o Instituto Médico Legal (IML), onde deve passar por necropsia antes de ser liberado. O velório será na sede da escola de samba Rancho Não Posso de Amofiná.

Repercussão

Políticos paraenses, como o governador do estado, Helder Barbalho (MDB); e prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB); além de artistas, usaram as redes sociais para homenageá-la.

“Cleide Moraes era inigualável com sua voz e alegria. Levou seu brilho para o céu e seguirá sendo nossa eterna ‘Rainha da Saudade’. Que Deus possa confortar a dor dos familiares e amigos neste momento”, escreveu Helder Barbalho em uma rede social.
“Estamos todos profundamente tristes com a notícia do falecimento da grande cantora Cleide Moraes. Uma enorme perda para a cena cultural de Belém. Aos familiares, amigos e aos fãs desta grande artista, minha irrestrita solidariedade. Que Deus a receba na luz!”, escreveu Zenaldo Coutinho.

“Belém perde a Rainha da Saudade!!! A Rainha das noites paraenses!!! Que Deus conforte os corações”, escreveu Valeria Paiva em um rede social”, lamentou Valeria Paiva, da banda Fruto Sensual.

“A Rainha se cala! Cleide Moraes. Que Deus a receba e conforte o coração de sua família e amigos!”, escreveu a cantora Hellen Patricia.

A Secretaria de Cultura do Pará (Secult) também emitiu nota lamentando a morte de Cleide Morais.

“Cleide era uma artista muito querida, generosa e batalhadora que, com sua voz marcante embalou gerações de casais e fãs apaixonados pelo brega e pelos boleros que marcaram época. Neste momento de dor, a Secult se solidariza com familiares e amigos, reiterando os votos de pesar pela grande perda da ‘Rainha da Saudade'”.


Deixe uma resposta