Em jogaço, Brasil vence a França e fecha a fase de grupos nos Jogos de Tóquio

Brasil vence batalha contra França rumo às quartas no vôlei masculino

A vaga já estava garantida. Mas, em um clássico, isso pouco importa. Neste domingo, o Brasil mostrou força e derrubou a França na Arena Ariake. Com direito à maior parcial das Olimpíadas de Tóquio até aqui – vencida pelos rivais- , a seleção fechou a fase de classificação em 3 sets a 2, parciais 25/22, 37/39, 25/17, 21/25 e 20/18. Um triunfo na medida certa rumo às quartas de final dos Jogos.

Ngapeth, da França marcou incríveis 29 pontos e foi o maior pontuador da partida. Pelo lado brasileiro, Wallace fez 23. Lucarelli (21), Leal (20) e Lucão (19) completaram a lista.

E agora?

O Brasil ainda vai precisar esperar para conhecer seu rival nas quartas em Tóquio. Com a vitória da Rússia por 3 a 0 sobre a Tunísia, a seleção brasileira avançou no segundo lugar da chave, atrás apenas dos rivais europeus.

Do outro lado, o grupo A ainda segue indefinido. O Brasil vai enfrentar o terceiro colocado do outro lado. Um sorteio no fim da rodada entre os segundos e terceiros lugares de cada grupo vai definir o chaveamento nas quartas. São três possíveis rivais: Itália, Japão e Irã.

1° set – Brasil saca firme e controla o jogo

Um saque de Lucarelli na rede abriu a conta no jogo. Mas foi um início de poucos erros do lado brasileiro. Ao forçar o saque, a seleção conseguia quebrar o passe francês e tornar o bloqueio mais eficiente. O ataque, com Lucarelli, Leal e Wallace, também funcionava bem. A França até conseguia evitar uma distância maior no placar, mas o Brasil era superior. No bloqueio de Lucão, 16/13.

A França tentou a reação ao colocar Boyer em quadra. Até chegou a encostar novamente no placar, mas por pouco tempo. No ritmo da trinca ofensiva, a seleção abriu 24/20 e se aproximou da vitória. Ngapeth ainda conseguiu um ace para descontar, mas errou na sequência, e o Brasil fechou em 25/22.

2° set – No set mais longo dos Jogos, França empata

O Brasil voltou à quadra errando um pouco mais do que o normal. Ao ceder pontos e desperdiçar contra-ataques, viu a França abrir 7/5 na conta. O Brasil, porém, reagiu. Chegou ao empate com um ace de Lucarelli, que resvalou na fita e foi direto ao chão: 8/8. A partida seguiu equilibrada. Em uma nova sequência de erros do lado brasileiro, os franceses voltaram à dianteira, em 15/14.

No bloqueio sobre Leal, festa do lado francês, que abriu 17/15 na conta. O Brasil ensaiou a reação, mas viu Ngapeth explorar o bloqueio para abrir 22/19. Na tentativa derradeira de arrumar a casa, Renan pediu tempo e mandou Douglas Souza à quadra no lugar de Leal. Funcionou. O Brasil chegou ao empate em um bloqueio de Wallace. A partir dali, virou um drama. A França teve cinco set points em sequência, mas o Brasil conseguiu evitar. No contra-ataque de Lucarelli, a seleção passou à frente em 29/28.

Mas quem disse que o set terminava? A França só conseguiu fechar quando Ngapeth foi para a rede: 39 a 37. Foram 51 minutos no total, no set mais longo dos Jogos até aqui. Por pouco, não estabeleceu o novo recorde olímpico no vôlei masculino. Em 2000, no primeiro set, a Itália venceu a Argentina por 40/38, no maior da história das Olimpíadas.

3° set – Brasil acelera e volta à frente

O Brasil acelerou na volta à quadra. Ao ignorar o cansaço pela parcial anterior, logo abriu vantagem contra os franceses. No golpe cruzado de Lucarelli, marcou 14/9 na conta. Lucão, pouco depois, fez a a vantagem subir para 17/10. Se o segundo set parecera interminável, o terceiro foi curto e rápido. Com tranquilidade, a seleção garantiu o triunfo em 25/17.

4° set – França se impõe, vence set e garante vaga nas quartas

A seleção tentou manter o ritmo para fechar logo a partida. Do outro lado, porém, a França ainda precisava de um set para garantir o lugar nas quartas sem depender dos outros resultados. O Brasil abriu vantagem, mas a França foi buscar. No bloqueio sobre Leal, deixou tudo igual, em 10/10. Os dois times brigavam muito – Lucão, inclusive, salvou uma bola incrível com o pé.

A França, porém, conseguiu abrir vantagem. Ao marcar 17/15, viu Renan Dal Zotto pedir tempo. Pouco adiantou. Foi a vez de a França acelerar. O time europeu, que defendia absolutamente tudo, abriu 23/19 pelas mãos de Ngapeth. Renan parou a partida mais uma vez e mandou Cachopa e Alan à quadra. Logo depois, Isac também entrou na vaga de Maurício Souza. Ainda assim, em uma largadinha de Patry, viu os rivais fecharem em 25/21.

5° set – Brasil se impõe e fecha a conta

Com a vaga garantida, a França pareceu relaxar. E abriu espaço para que o Brasil disparasse no tie-break. Mais firme no ataque, a seleção conseguiu voltar a dominar os rivais e abriu 8/4. Mas os franceses voltaram à briga e deixaram tudo igual em 12/12. A partir daí, foi no detalhe. O Brasil salvou três match points e conseguiu a virada no fim: 20/18, em um jogaço em Tóquio.


Deixe uma resposta