Bombeiros retiram boi de poço depois de quatro horas de resgate, em Arapiraca

Bombeiros resgatam boi que caiu num poço com 10m de profundidade, em Arapiraca — Foto: Ascom CBMAL

Militares do Corpo de Bombeiros foram acionados, na tarde desta sexta-feira (1), para resgatar um boi que caiu num poço, no Sítio Barro Vermelho, zona rural de Arapiraca.

O resgate durou cerca de quatro horas. O animal, considerado de grande porte, caiu de uma altura de 10m e no poço havia cerca de um metro de lâmina d´água.

Foram necessários seis militares para retirar o boi. Eles tiveram que descer de rapel para amarrar o animal e depois puxar com cuidado para não assustá-lo, até a saída do poço. O boi foi resgatado com vida.

Segundo o Corpo de Bombeiros é comum, em áreas rurais, a população escavar poços por conta própria devido à escassez de água. A maioria sem sinalização ou proteção, que poderiam evitar acidentes como esse. E mesmo depois que esvaziam, eles continuam abertos.

O Sargento Rodolfo Marcelo informou que ocorrências desse tipo são consideradas de complexidade alta e necessitam de um planejamento efetivo, preconizando-se sempre a retirada do animal sem o acesso do bombeiro, de forma indireta com equipamentos de salvatagem. Mas nesse caso, os militares tiveram que descer para retirar o boi.

Ele orienta sobre os cuidados que os moradores devem ter em situações como essa.

“Quando na desativação se faz necessário fechar o acesso do poço ou cisterna para evitar acidentes de queda de animais ou até mesmo de pessoas que não tenham conhecimento na área”, disse o sargento.

Ele alertou ainda para os riscos após a queda, tanto para as vítimas quanto para quem for fazer o resgate.

“Muitas vezes o perigo está na queda, pela própria profundidade e outras vezes pelo ambiente insalubre onde o animal ou a vítima podem ficar inalando aquela atmosférica tóxica oriunda de material biodegradável. Em certas situações o bombeiro militar precisa fazer uso de equipamento de oxigênio autônomo para efetivar o resgate sem comprometer e se expor a esse ambiente insalubre”, explicou.


Deixe uma resposta