Atendente de lanchonete que teve orelha arrancada por cliente pede justiça

Atendente de lanchonete que teve orelha arrancada por cliente pede justiça

O jovem Guilherme Souza Santos, 20 anos, cobra justiça após ser vítima de agressão e ter parte da orelha arrancada por um cliente. O crime ocorreu na última sexta-feira, 1º de outubro, na cidade de São José da Tapera.

Guilherme foi atacado por um cliente após ele recusar a venda de bebidas fiado. O jovem precisou ser hospitalizado e levou mais de 10 pontos na orelha. Ele recupera-se em casa, está afastado do trabalho e pede por justiça.

Conforme Guilherme, o agressor escolheu a cerveja que levaria e disse que conhecia o dono da lanchonete, não iria efetuar o pagamento. Após o jovem afirmar que o cliente não poderia levar o produto fiado, e recolheu o produto. Guilherme também mostrou o aviso que reforçava a não comercialização fiado.

O cliente, insatisfeito, invadiu o balcão e puxou um colega de Guilherme, ele foi imobilizado e após não conseguir se soltar, o homem arrancou parte da orelha de Guilherme.

“Nós acionamos a polícia logo após, mas o atendente fez muitas perguntas e alegou que não poderia deslocar uma equipe porque a viatura estava em outra ocorrência. Ele [agressor] poderia ter sido preso em flagrante se a polícia tivesse agido naquele momento. Ele é arrogante e conhecido na cidade por ser violento. Não foi a primeira vez. Ele já responde, inclusive, por violência doméstica”, lamentou Guilherme.

O jovem está apreensivo com a possibilidade do agressor voltar ao local. Agentes do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de São José da Tapera fizeram rondas na cidade, mas o homem havia fugido.

“Ele estava alcoolizado e portava um canivete. Fico imaginando o que aconteceria se este rapaz estivesse com uma arma de fogo. Esperamos que ele pague pelo que fez, para que situações como esta não se repitam”, completou o jovem.


Deixe uma resposta