Anitta chega ao 1º lugar no Spotify Global com ‘Envolver’

Anitta chega ao 1º lugar no Spotify Global com ‘Envolver’

A cantora Anitta fez história mais uma vez e alcançou hoje a incrível marca de 1º lugar do Spotify Global, ou seja, o topo dentre as músicas mais escutadas em todo o mundo na plataforma de música.

“Envolver” soma 4,344 milhões de reproduções no Spotify por usuários da plataforma em todo o mundo. A canção superou “Heat Waves”, da banda britânica Glass Animals, que ontem estava na primeira posição e acumula 3,946 milhões de execuções. “Plan A”, de Paulo Londra, subiu para a segunda posição, com 3,559 milhões de reproduções.

Antes de “Envolver”, Anitta havia alcançado a 18º posição no Top Global com “Vai Malandra”, em 2017.

Não bastasse ter sido a primeira brasileira na história a entrar no Top 10 do Spotify Global, foram necessários uma semana desde que ela saiu do 9º lugar na última sexta-feira (18) para chegar no Top 1.

A música entrou no Top 48 há cerca de duas semanas, em 12 de março, um dia após completar quatro meses de lançamento. A conquista teve influência principalmente devido ao sucesso dos vídeos de challenge (desafio) no TikTok, deixando — até agora — a faixa ainda mais popular.

A dança ficou conhecida nos países vizinhos latinos como “El Paso de Anitta” (O passo de Anitta, em tradução livre) e gerou vídeos de diversas partes do mundo.

Quando chegou no Top 5, Anitta até brincou que já podia se aposentar: “Se eu quiser aposentar agora eu me aposento, já fiz o que podia e o que não podia. Se quiser aposentar, eu posso… Calma, eu disse que ‘se eu quiser’. Não disse que eu vou, mas que poderia”, falou.

Após comemorar a chegada no Top 4 comemorando em três idiomas diferentes, ontem a cantora agradeceu os esforços dos fãs, que inclusive fizeram um “flash mob” simultâneo “de parar o trânsito” em oito capitais brasileiras para divulgar a música: “Gente… Nunca vi o Brasil tão unido. Passada. Obrigada”.

Ela também pediu que o empenho dos brasileiros em fazer “Envolver” chegar ao Top 1 fosse o mesmo para tirar o presidente Jair Bolsonaro (PL) do cargo.


Deixe uma resposta