Alagoas tem mais de 180 pessoas na fila de espera por um transplante de medula óssea

Alagoas tem mais de 180 pessoas na fila de espera por um transplante de medula óssea

Com 183 alagoanos na fila de espera por um transplante de medula óssea, o Hemocentro de Alagoas (Hemoal) reforça a Campanha Fevereiro Laranja, que incentiva a doação. O estado tem um pequeno número de pessoas inscritas no no Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), o que faz diminuir as chances de quem espera pelo transplante.

Apenas um a cada 100 mil brasileiros será compatível com um paciente. A hematologista do Hemoal, Verônica Guedes, diz que as chances de encontrar um doador podem aumentar se mais pessoas se sensibilizarem pela importância da doação de medula óssea.

“Com mais alagoanos cadastrados como doadores de medula óssea, crescem, exponencialmente, as chances de encontrar doadores compatíveis com pacientes acometidos pela leucemia, e alagoanos com outras doenças hematológicas, que também necessitam de um transplante. Por isso, reforçarmos que, aqueles que tenham boa saúde, se disponham a comparecer ao Hemoal e venham a se cadastrar como doadores de medula óssea”, apela Verônica Guedes.

Como se tornar um doador

O procedimento é simples e precisa apenas realizar um cadastro no Hemoal, cujos dados serão disponibilizados no Redome. O voluntário deve:

  • Ter idade entre 18 e 55 anos;

  • Estar com a saúde em bom estado;

  • Não ter doença infecciosa ou que incapacite;

  • Não estar com câncer e não possuir doenças do sistema imunológico e hematológicas;

  • Realizar a doação de 5 ml de sangue para que o código genético seja analisado.

“O voluntário deve comparecer ao Hemoal munido do CPF, Carteira de Identidade, além de informar o endereço residencial. Após preencher um formulário com os dados pessoais, ele já estará cadastrado e, caso ocorra a compatibilidade com algum paciente que aguarda por um transplante de medula óssea, o candidato à doação será convocado para fazer outros exames complementares e a doação de medula será realizada”, explicou a médica.

Como ocorre a doação

Com a compatibilidade comprovada, o doador será encaminhado para uma unidade hospitalar onde o paciente acometido pela leucemia está internado.

“Por meio de uma punção na medula óssea, que não deve ser confundida com a coluna vertebral, será retirado um pouco de sangue do local, que irá ser transplantado no paciente. Após 24 horas, o doador já pode receber alta médica e em uma semana, ele já pode retornar às suas atividades normais, sem nenhuma sequela e com a sensação de que salvou uma vida”, destaca a hematologista do Hemoal.

Em Alagoas o cadastro pode ser feito nos seguintes locais:

  • Hemoal Maceió

Rua Drº Jorge de Lima, Trapiche (Ao lado do Hospital Geral do Estado – HGE)

Segunda a sexta-feira – das 7h às 18h / sábados – das 8h às 17h

Informações: 3315 2109

  • Hemoal Arapiraca

Rua Desportista Ernesto Alves Siqueira, 49, Centro (Sede do Laboratório Municipal de Arapiraca)

Segunda a sexta-feira – das 7h30 às 17h30

Informações: 3521 4934


Deixe uma resposta