Adele, enfim de volta: amigas da cantora explicam como ela cria as músicas que te fazem chorar

Adele, enfim de volta: amigas da cantora explicam como ela cria as músicas que te fazem chorar

As letras mais cantadas de Adele narram momentos de fossa. São bem pessoais. Mas ela conta com a ajuda de compositores para dar um tapa em seus lamentos musicais. Das 34 músicas de seus três álbuns, apenas seis foram escritas sem parceiros: todas da estreia, chamada “19”.

Depois, vieram “21” e “25”. Em todos os casos, os números correspondem à idade que ela tinha ao criar as músicas. Será assim com “30”. De novo.

Anunciado para 19 de novembro, o quarto álbum da cantora de 33 anos é a forma que encontrou de explicar ao filho por que ela se divorciou. O primeiro single, “Easy on me”, foi lançado nesta quinta-feira (14).

Dan Wilson já compôs com Taylor Swift, Dixie Chicks, Halsey, Weezer, Panic! at the disco, Florence and the Machine, Pink e John Legend. Mas nenhuma das canções lançadas com esses artistas tem a mesma força de “Someone like you”.

A balada foi composta por Adele com o cantor do Semisonic, banda do hit “Closing Time”, em dois dias. Quando se encontraram em um estúdio em Los Angeles, rolou um quase climão. “Ela não conhecia minhas músicas, mas falou que a mãe dela era uma grande fã do Semisonic”, relembrou Wilson.

Na sequência, os dois ficaram por quase meia hora vendo vídeos de Wanda Jackson. Adele disse que estava obcecada com a voz da “rainha do rockabilly”.

Findada a “Wanda audition”, Adele apresentou duas canções inacabadas para Dan. Uma era “Rumor has it”. Adele costuma mostrar ideias inacabadas para os parceiros e eles dizem como poderiam ajudar.

“Em seguida, ela tocou para mim os primeiros três ou quatro versos do que mais tarde se tornaria ‘Someone Like You’. Ela não tinha um refrão ainda. Ela só tinha aqueles versos.”

Foi a escolha óbvia. Para ele, “Rumour has it” era “engraçada” demais. “Eu adoro, mas eu não sou engraçado, pelo menos não nas minhas músicas.” A música acabou ficando com Ryan Tedder, outro líder de banda de pop rock (Onerepublic).

“Vamos trabalhar na balada triste”, disse ele para Adele. No primeiro dia, “Someone like you” ficou quase pronta. Eram só duas diferenças da versão que todo mundo conhece: “Não havia ponte e o segundo verso estava terrível.” No dia seguinte, eles se reencontram para trabalhar mais.

Antes, rolou outro quase climão. Adele foi logo falando que tinha mostrado a música ao empresário e à mãe dela, algo que Dan preferia que ela não tivesse feito. “Tudo que eu conseguia pensar era ‘oh, o segundo verso é terrível’.”

Mesmo assim, ele quis saber o que eles tinham achado. Adele disse que o empresário adorou e a mãe chorou. Só isso. Eles passaram o dia reescrevendo o segundo verso e transfor a segunda metade do segundo verso em um pré-refrão.

“A voz soou mais áspera, mais firme. E então tive que mudar o rumo. Nós aperfeiçoamos aqueles ‘Don’t forget me, I beg’. Ela não gostou dessas partes. Eu apenas disse: ‘não se preocupe’.”

Os dois fizeram uma gravação bem caseira no quarto e ela levou a música para uma reunião com Rick Rubin, produtor geral de “21” e o pessoal da gravadora Sony.

Semanas depois, Dan recebeu uma mensagem dela e da equipe. Eles queriam as gravações originais, as “tracks” deles compondo ao piano.

“Era o microfone esquerdo do piano, o microfone direito do piano, Adele e uma faixa harmonizando, apenas quatro faixas.” Ele enviou, perguntou para que era, mas não disseram nada. Era para usar aquelas gravações caseiras na música original. “Foi uma surpresa maravilhosa, não fazia ideia.”


Deixe uma resposta