WhatsApp bane ao menos 1 milhão de contas no Brasil por espalhar fake news.

WhatsApp bane ao menos 1 milhão de contas no Brasil por espalhar fake news. — Foto: Divulgação/WhatsApp

O aplicativo de troca de mensagens WhatsApp baniu pelo menos 1,5 milhão de contas de usuários brasileiros de outubro de 2018, antes do segundo turno das eleições presidenciais, até o fim de setembro deste ano. As contas foram banidas por suspeita de uso de robôs, disparo em massa de mensagens e disseminação de fake news e discurso de ódio e incluem perfis banidos temporariamente ou para sempre.

O número foi obtido a partir de uma estimativa com base em cinco comunicados recentes da empresa e confirmado por especialistas em tecnologia da informação que conhecem de perto o trabalho da empresa para combater a epidemia de fake news que tomou conta do aplicativo. O WhatsApp não vai comentar os banimentos, informa sua assessoria de imprensa.

Em média, o WhatsApp bane ao menos 125 mil contas por mês no país por uso irregular da plataforma. Durante as eleições, houve um pico de contas banidas, o que pode distorcer a média para cima.

Algumas contas de WhatsApp com suspeita de serem operadas por robôs chegaram a distribuir 14 mensagens diferentes em apenas 30 segundos.

22 milhões de contas banidas no mundo

WhatsApp bane ao menos 1 milhão de contas no Brasil por espalhar fake news.

De outubro para cá, foram canceladas aproximadamente 22 milhões de contas de usuários em todo o mundo, uma média de 2 milhões de contas por mês.

Hoje, o WhatsApp tem cerca de 1,5 bilhão de contas ativas no planeta. Até 2017, 120 milhões de números brasileiros estavam no aplicativo, segundo informações oficiais da empresa que não foram atualizadas desde então.

O aplicativo possui mecanismos de detecção de atividade anormal e afirma que investe em “machine learning” (aprendizado de máquinas, na tradução livre do inglês), que é o uso de robôs inteligentes que monitoram a rede e aprendem cada vez mais a identificar anomalias a partir da análise do comportamento dos usuários.

Para Uirá Porã, ex-consultor de políticas digitais do Banco Mundial e diretor de governança do Instituto Mutirão, os cancelamentos de contas de usuários no WhatsApp após as eleições chama a atenção. “O debate é ético: quem está melhorando o mundo, quem o está piorando, e quem só está atrás do dinheiro?”.

“Os bugs [defeitos] do WhatsApp e das outras ‘redes sociais’ comerciais são, principalmente, no modelo de negócio, e não na tecnologia”, acredita. “Fake news, manipulação de eleições e outras coisas são os efeitos colaterais desse modelo, assim como os moradores de rua nos grandes centros urbanos são efeito colateral da urbanização”.

 

 

*   Com UOL 


Deixe uma resposta