82 99641-3231

Sintomas do infarto variam entre homens e mulheres; entenda

Existem alguns sinais que o corpo nos dá antes de um infarto acontece, quanto antes os reconhecermos, maior a probabilidade de salvar sua própria vida ou a de alguém próximo. Existem algumas diferenças entre os sintomas nos homens e nas mulheres. Aprenda a reconhecê-los:

Sintomas de infarto nas mulheres

  • Fadiga: algumas mulheres sentem muito cansaço, mesmo tendo ficado sentadas o dia todo. Andar de um lado da casa para o outro já pode ser cansativo.
  • Dor de estômago: as mulheres podem sentir uma pressão abdominal intensa e uma forte dor de estômago antes de sofrerem um ataque cardíaco.
  • Dor no peito: a dor no peito pode não incindir sobre um ponto específico do lado esquerdo do peito. É possível que se estenda a qualquer outro ponto da região, causando rigidez.
  • Tonturas, náusea e falta de ar: esses sintomas podem ocorrer de forma conjunta, de um momento para outro e sem nenhuma razão aparente.
  • Suor repentino: o suor repentino é mais comum nas mulheres do que nos homens. Algumas mulheres podem confundir esse sintoma com o estresse.
  • Dores no pescoço e na mandíbula: para mulheres, a dor no braço esquerdo pode não aparecer, mas elas podem sentir dores no pescoço e na mandíbula – a dor pode ser súbita ou gradual.

Sintomas de infarto nos homens

  • Dor torácica: a dor torácica é um dos sintomas mais comuns infarto, principalmente para os homens. Neste caso, pode ocorrer no centro do peito ou no sentido direita-esquerda, em direção ao coração. Sensações de peso no peito de forte pressão também são relatadas.
  • Dores nos braços: a dor no peito se espalha não só para os braços, ombros e cotovelos, como também para o pescoço, mandíbula e abdômen. Às vezes a dor no peito não ocorre, mas a dor em pelo menos um dos braços ou nas costas entre os ombros sim.
  • Fadiga: a sensação de cansaço e fadiga pode ser um indicativo de que um infarto está para acontecer. Pode aparecer alguns dias ou semanas antes do infarto.
  • Tosse: a tosse persistente pode ser um indicativo de que um ataque cardíaco está por vir, por causa da acumulação dos fluídos nos pulmões. Tosse com sangue pode ocorrer.
  • Ânsia: o ataque cardíaco pode causar um estado de ânsia e medo de morrer, tudo ao mesmo tempo, podendo também causar taquicardia.
  • Insônia: antes de ter um ataque cardíaco, uma pessoa pode ficar meses sofrendo de insônia, ansiedade e agitação – essa é uma forma que nosso corpo mostra que algo está errado.
  • Fraqueza: dias antes de um ataque cardíaco, o indivíduo pode sentir uma imensa sensação de fraqueza.
  • Batimentos cardíacos rápidos e irregulares: batidas rápidas e irregulares no coração, principalmente se forem acompanhadas de fraqueza, tontura e dificuldades para respirar podem ser indícios de ataque cardíaco, arritmia ou insuficiência cardíaca.
  • Tonturas e vertigens: tonturas e vertigens podem ser indícios que um ataque cardíaco está por vir.
  • Suores frios: suores frios que surgem de repente, mesmo que não tenha havido atividade física intensa, podem ser um indicativo de ataque cardíaco.
  • Inchaço: inchaço em pés, tornozelos, abdômen, pernas, um súbito aumento de peso ou a perda de apetite também são sintomas de risco.
  • Indigestão: sentir desconfortos no estômago, como azia e dificuldades na digestão, podem ser outro indicativo.
  • Problemas respiratórios: dificuldades para respirar e falta de ar, possivelmente acompanhados de dores no peito podem ser indicativos de ataque cardíaco ou de insuficiência cardíaca.
  • Náuseas e falta de apetite: a náusea e a falta de apetite podem ser sinais de que um infarto está por vir, podem ocorrer vômitos um pouco antes ou durante o ataque cardíaco.

Como prevenir um ataque cardíaco

  • Pare de fumar;
  • Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física por dia;
  • Mantenha o peso corporal saudável, tome cuidado com o sobrepeso;
  • Tenha uma alimentação saudável, com mais alimentos ricos em nutrientes, invista nas verduras e frutas e coma menos carne e frituras;
  • Faça exames de rotina regularmente para checar o estado da sua saúde.

Prefeitura de Palmeira esclarece equívocos sobre repasse financeiro ao Hospital Santa Rita

Prefeitura informa que fez um contrato emergencial de 90 dias com a instituição, até que a contratualização final seja formalizada

Hospital Regional Santa Rita
O governo de Palmeira dos Índios esclarece à população que houve um equívoco na divulgação dos valores referentes ao repasse financeiro feito pelo município, mensalmente, ao Hospital Regional Santa Rita. O governo informa que fez um contrato emergencial de 90 (noventa) dias com a instituição, até que a contratualização final seja formalizada.De acordo com o prefeito Júlio Cezar, o contrato com Hospital só será renovado, de maneira definitiva, se a unidade abrir as portas para os palmeirenses sem que, para isso, seja cobrado qualquer valor para consultas, ou outros serviços que precisem ser prestados à população.

Leia, na íntegra, a nota divulgada pelo governo de Palmeira dos Índios

Nota:
O governo de Palmeira dos Índios esclarece que houve um equívoco no montante financeiro repassado pelo município ao Hospital Santa Rita, referente ao contrato emergencial de três meses, publicado há poucos dias pela imprensa. O valor pago pelo município àquela instituição hospitalar é infinitamente menor e terá vigência até que a contratualização, que está em andamento, seja finalizada.

O valor, por mês, repassado pela Prefeitura de Palmeira, junto com os serviços de saúde como Autorização de Internação Hospitalar (AIH), Média e Alta Complexidade (MAC), Rede de Urgência e Emergência (RUE), Programa de Implementação da Rede de Atenção Materno-Infantil (Promater) e Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Prohosp), somam R$ 2.176.517, 78. O valor total, para os 90 dias do contrato, é de R$ 6.529.553,34 e não o valor informado equivocadamente. Por fim, pedimos desculpas pelos transtornos gerados, mesmo que tenham sido feitos alheios à vontade e interesses da gestão.

Governo de Palmeira dos Índios


Campanha de vacinação contra a Influenza começa nesta segunda-feira

Ação vai ocorrer nos 102 municípios de Alagoas e deverão ser vacinadas 662.388 pessoas até o dia 23 de maio

A Secretaria de Estado da Saúde dá início, nesta segunda-feira (17), à campanha de vacinação contra a Influenza. Para esta edição, Alagoas recebeu 735.987 doses e devem ser vacinadas 662.388 pessoas, o que equivale a 90% do público-alvo. A vacinação segue até 23 de maio.

Segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI), deverão ser vacinados os profissionais da área de saúde, crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto).

Também devem ser vacinados os idosos com 60 anos ou mais, pessoas com comorbidades (doenças crônicas respiratórias, do coração, com baixa imunidade, entre outras), trabalhadores da saúde, indígenas aldeados e o público penitenciário.

De acordo com Arlete Farias, técnica do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas, outra categoria que foi incluída no esforço de vacinação neste ano foi a dos professores. “Serão imunizados os professores das redes pública e privada, dos níveis fundamental, médio e superior”, reforçou.

Arlete Farias salientou que os municípios ficarão responsáveis pela aplicação das vacinas. “Cada município irá desenvolver a sua estratégia para vacinação do público-alvo”, explicou a técnica.


Campanha de vacinação contra a Influenza começa no dia 17 de abril

Ação vai ocorrer nos 102 municípios e deverão ser vacinadas 662.388 pessoas

A campanha de vacinação contra a Influenza acontece no período de 17 de abril a 23 de maio. Para esta edição, Alagoas recebeu 735.987 doses e devem ser vacinadas 662.388 pessoas, o que equivale a 90% do público-alvo.

Segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI), deverão ser vacinados os profissionais da área de saúde, crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto).

Também devem ser vacinados os idosos com 60 anos ou mais, pessoas com comorbidades (doenças crônicas respiratórias, do coração, com baixa imunidade, entre outras), trabalhadores da saúde, indígenas aldeados e o público penitenciário.

De acordo com técnica do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas, Arlete Farias, outra categoria que foi incluída no esforço de vacinação neste ano foi a dos professores. “Serão imunizados os professores das redes pública e privada, dos níveis fundamental, médio e superior”, reforçou.

Arlete Farias salientou que os municípios ficarão responsáveis pela aplicação das vacinas. “Cada município irá desenvolver a sua estratégia para vacinação do público-alvo”, explicou a técnica.

 


Musculação versus pilates: descubra qual a prática ideal para você

Fisioterapeuta explica os prós e contras e sugere frequência para a prática dos exercícios

Muay thai, crossfit, musculação e pilates são apenas algumas opções de exercícios físicos para quem busca hábitos mais saudáveis e melhor qualidade de vida. No entanto, a grande quantidade de práticas disponíveis pode acabar gerando dúvidas na hora de escolher a que melhor combina com o gosto pessoal e objetivo final de cada um. Dessa forma, a fisioterapeuta Leticia Barros, esclarece as principais questões acerca do pilates e da musculação.

As diferenças começam já nas ferramentas utilizadas para os exercícios. Enquanto o pilates trabalha com um sistema de molas e poucas repetições, a musculação possui cargas de peso que tendem a aumentar, além de quantidade pré-definida de repetições e séries. Sobre os benefícios, Leticia explica que o pilates tem foco no tratamento, não levando em consideração perda de peso e emagrecimento. “As condutas de tratamento e exercícios indicados variam de acordo com a patologia, por isso depende muito de cada caso”, explica.

Já para quem quer emagrecer, a musculação tem um gasto calórico maior que o pilates e esse gasto se estende até 15 horas pós-treino, ou seja, durante esse período o processo de emagrecimento continua. “Em caso de pacientes que necessitam de um processo rápido de perda de peso e medida, a musculação é indicada por ser mais eficaz para essa finalidade. O pilates é para quem busca, além de tratamento, condicionamento físico e equilíbrio do corpo e da mente”, afirma a profissional.

A principal semelhança está na frequência sugerida. “Duas a três vezes por semana é o ideal para que o corpo seja capaz de obter bons resultados”, diz. Ela reforça ainda que é importante, porém, mencionar que uma prática não substitui a outra, e que ambas devem ser realizadas com o acompanhamento e supervisão adequada de profissionais especializados.


Crianças com doenças cardíacas têm futuro garantido em Alagoas

Mais de 110 crianças já fizeram cirurgias e mais de 900 foram atendidas

Logo aos 10 meses de vida Adonay Mendes foi diagnosticado com um sopro no coração e, por causa dessa cardiopatia, precisou realizar, fora de Alagoas, uma intervenção cirúrgica no de ano 2014, quando ainda não existia o Serviço Estadual de Cardiopediatria, criado em 2015 pelo Governo de Alagoas. Devido a essa carência – naquela época, o menino precisou utilizar o Tratamento Fora de Domicilio (TFD) e fazer a operação em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Os pais levaram Adonay ao médico depois de perceberem um forte cansaço e manchas vermelhas pelo corpo, características da doença que pode prejudicar a comunicação entre o coração e o pulmão. “Logo quando o médico identificou o problema, disse que seria necessário passar por uma cirurgia, pois o quadro dele poderia se agravar. Ainda de acordo com o médico, fazendo o procedimento aos 10 meses, a recuperação seria muito melhor e mais rápida”, relatou José Assis Mendes, pai do garoto.

Após essa notícia, o pai buscou ajuda junto a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para poder realizar a cirurgia em outro Estado, por meio do TFD. Isso porque, em 2014 Alagoas não possuía as condições necessárias para realizar as cirurgias em crianças cardiopatas. “Após entrarmos em contato com a Sesau conseguimos uma vaga para o Adonay em Porto Alegre, onde ele precisou ficar internado durante um mês e sete dias para se recuperar da cirurgia pela falta de consultas e exames específicos em Alagoas”, contou a mãe, Amanda Mendes, que ficou sozinha com o garoto na capital gaúcha.

Mesmo após a boa recuperação do procedimento cirúrgico, o menino, agora com 3 anos, ainda precisa passar por um cateterismo para a correção definitiva do sopro. Sendo que dessa vez Adonay não vai precisar se distanciar da família e se deslocar para outra cidade. Isso porque, desde 2015 o menino vem tendo o acompanhamento garantido pelo Serviço Estadual de Cardiopediatria, implantado pela Sesau, graças à parceria com o Hospital do Coração de Alagoas.

“Só temos a agradecer ao Governo do Estado por esse projeto, porque agora o Adonay está sendo acompanhando pela equipe multidisciplinar da Casa do Coraçãozinho. Agora ele não vai mais ficar longe da família quando for fazer essa próxima cirurgia”, disse com alegria o pai, ao lembrar da angustia que passou por ter ficado longe do filho durante o tempo em que o menino ficou em Porto Alegre.

Serviços – Entre os atendimentos disponibilizados para a população, está a garantia de consultas, realização de exames e as cirurgias cardiopediátricas, realizadas no Hospital do Coração de Alagoas. Os atendimentos foram ampliados no final de 2016, com a inauguração da Casa do Coraçãozinho, onde os pequenos alagoanos são acompanhados por uma equipe multidisciplinar, composta por assistentes sociais, enfermeiros, médicos, cirurgiões cardiovasculares pediátricos, cardiopediatras, psicólogos e fisioterapeutas.

De acordo com Otoni Verissimo, diretor executivo da Casa do Coraçãozinho, desde o início da parceria com a Sesau, o Serviço Estadual de Cardiopediatria já atendeu 912 crianças e realizou 112 cirurgias. “A Casa do Coraçãozinho foi criada para ser o centro de referência para o tratamento de cardiopatias congênitas em Alagoas, trazendo resolutividade para os casos. Podendo receber qualquer criança que precise de consultas, diagnósticos e cirurgias, com um acolhimento humanizado e dignificado”, afirmou o diretor.

A cardiopediatra, Maria Goretti, explicou qual o trajeto que a criança percorre quando entra no Serviço Estadual de Cardiopediatria do Estado. “Os pequenos precisam passar por exames de ecocardiagrama e eletrocardiograma e, com o resultado, é feita uma avaliação de um cirurgião cardíaco, onde será definido se a criança irá precisar de intervenção cirúrgica ou somente o acompanhamento clínico”, afirmou a médica.

Para o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira, essa parceria veio preencher uma lacuna que existia em Alagoas nos atendimentos as crianças cardiopatas. “Serviço Estadual de Cardiopediatria tem trazido muitos benefícios para os nossos pequenos alagoano, que agora possuem um local exclusivo onde são tratados e acompanhados. Uma realidade que antes não acontecia e as crianças precisavam se deslocar para outros estados em busca das cirurgias”, frisou o gestor da Sesau.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey