82 99641-3231

Unidades de saúde preparam programação para a Semana da Luta Antimanicomial, em Palmeira

A Secretaria Municipal de Saúde de Palmeira dos Índios, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) Osvaldo Silva e Espaço Renascer, promove de 16 a 18 de maio de 2017 a Semana da Luta Antimanicomial no município. A programação conta com capacitação para profissionais das áreas de Educação, Saúde e Assistência Social, além de uma caminhada de conscientização sobre o dia da Luta e o que ela representa.

O Movimento da Luta Antimanicomial se caracteriza pela luta dos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro dessa luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, noção baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. O Movimento da Luta Antimanicomial faz lembrar que, como todo cidadão, estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento, sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos.

O Movimento da Luta Antimanicomial teve seu início marcado em 1987, em continuidade a ações de luta política na área da saúde pública no Brasil por parte de profissionais de saúde. Naquele ano a discussão sobre a possibilidade de uma intervenção social para o problema da saúde mental, e dos absurdos que aconteciam nos manicômios, ganhou relevância, permitindo o surgimento específico deste movimento. Assim, a participação paritária de usuários de serviços e seus familiares se tornou característica deste movimento. Em 1987 o dia 18 de maio foi definido como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, data comemorada desde então em todo o Brasil.

“A semana da luta antimanicomial é uma data muito significativa para as unidades que trabalham com usuários que sofrem de transtornos mentais e dependência química, pois é uma forma de mostrar para a sociedade que esses usuários devem ser reinseridos na sociedade, e assim, desmistificar a ideia do louco. Sempre abordamos temas relevantes para os profissionais que já trabalham com esse público, como também para os que possam vir a trabalhar e assim, melhorar a forma de atendimento e acolhimento a essas pessoas”, explicou a coordenadora do Caps Osvaldo Silva, Vera Lúcia.

 

Confira a programação:

16/05 – Capacitação para Profissionais da Educação

Local: Auditório da Unimed (Hotel São Bernardo)

8 h – Credenciamento e Café da Manhã

Apresentação: música e exposição de vídeo em nome da razão; o Holocausto brasileiro 1979 de Helvécio Ratton

9 h – Mesa de abertura

10 h – Coffee Break

10 h:15min – Desmistificando a ideia do louco e do dependente químico: Marcos Leandro e Taciana de Araújo

11 h: 10 min – Debate

 

17/05 – Capacitação para Profissionais da Saúde e Assistência Social

Local: Auditório da Unimed (Hotel São Bernardo)

8 h – Credenciamento e Café da Manhã

Apresentação: música e exposição de vídeo em nome da razão; o Holocausto brasileiro 1979 de Helvécio Ratton

9 h – Mesa de abertura

10 h – Coffee Break

10 h:15 min – Assistência ao usuário em crise na saúde mental: Alice Correia e Lucas Kayzan

11 h:10 min – Debate

 

18/05 – Mobilização e apresentações

Local: Praça São Pedro

9 h – Caminhada com usuários das unidade de saúde, profissionais e familiares


Dia D de Vacinação contra a gripe imuniza população da zona urbana, em Palmeira

O município de Palmeira dos Índios participou ontem (13) do Dia D de Vacinação contra a gripe Influenza, que também ocorreu em todo o Brasil. A expectativa do Ministério da Saúde foi de imunizar 90% das 54, 2 milhões de pessoas que são público-alvo da campanha. Em Palmeira, apenas os moradores da zona urbana do município receberam as doses, pois a zona rural já teve cobertura de 100% de imunização da doença.

Para o Dia D, os postos de saúde e os conjuntos habitacionais das áreas descobertas receberam 8 mil doses, que beneficiou, preferencialmente, idosos, gestantes, puérperas, indígenas, portadores de doenças crônicas e crianças com idades entre seis meses e 5 anos.

A abertura do Dia D aconteceu no PSF Denilma Bulhões, e contou com as presenças do prefeito Julio Cezar, do secretário de Convívio Urbano Marcos Beserra, da primeira-dama do município Alexandra Ludugero e da secretária de Saúde Katia Born. “Hoje temos a certeza de que estamos melhorando, e muito, a saúde pública do município. Até agora a campanha 2017 tem superado as metas do ano passado, pois já vacinamos 100% da zona rural e isso é muito importante para os nossos índices. Já atingimos boa parte da meta anual, e isso é um incentivo para melhorarmos os demais índices da saúde pública aqui em Palmeira”, explicou a secretária Kátia Born.

Para o prefeito Júlio Cezar, a área de saúde vem conseguindo, com um passo por vez, conquistar espaços nunca antes alcançados no município. “Na última sexta-feira demos um passo inédito na saúde pública de nosso município. Instituímos a Mesa Permanente da Saúde e da Assistência, onde discutiremos assuntos pertinentes, relacionados a essas duas pastas. Vamos continuar com as melhorias e investimentos nas unidades de saúde de Palmeira, que é um trabalho que está apenas começando. Com essa campanha, Palmeira vai estar na linha de frente dos municípios que atingiram a meta de vacinação anual da influenza”, completou o prefeito.


Cinco situações em que é possível pegar uma DST sem fazer sexo

As relações sexuais sem preservativo são consideradas de risco e são a principal forma de pegar uma doença sexualmente transmissível, mas não são as únicas.

O uso de seringas contaminadas também é bem conhecido, mas o uso comum de objetos cotidianos, como batom, ou até a ida a estabelecimentos de tratamentos de estética com pouca higiene também pode trazer uma surpresa desagradável.

A Cosmopolitan destaca cinco situações, que apesar de pouco prováveis, podem fazer com que você pegue uma doença sexualmente transmissível (DST):

1. Através do batom/ hidratante labial de outra pessoa. A herpes (oral e genital) é transmitida por contato direto, por isso alguém com herpes oral pode espalhar o vírus ao usar um batom ou hidratante labial na área infectada ou se fez sexo oral há pouco tempo. Apesar de o vírus sobreviver pouco tempo fora do corpo humano, o melhor é não usar batons ou hidratantes labiais de outras pessoas.

2. Através da barba de alguém. Os piolhos púbicos ou chatos podem abrigar-se nas barbas e depois repassados.

3. Ao depilar a virilha numa salão. Nos casos em que a cera é reutilizada, há risco de pegar uma doença sexualmente transmissível. Além disso, estudos apontam que a ação de arrancar os pelos púbicos pode prejudicar a membrana da pele, que por sua vez pode deixar o corpo mais suscetível a vírus e bactérias.

4. Ao fazer bronzeamento artificial. Não, os raios ultravioleta não matam as bactérias e até podem tornar-se resistentes. Por esta razão, as câmaras de bronzeamento artificial são habitats perfeitos para vírus como herpes ou do papiloma humano (HPV).

5. Ao fazer uma tatuagem ou piercing. Um pouco como na depilação, o risco de contaminação depende das práticas de segurança e higiene do estabelecimento. As agulhas reutilizadas podem trazer hepatite B ou C e HIV, por isso nunca aceite que usem agulhas que não sejam novas.


Em Alagoas, 15,7% do público-alvo se vacinou contra gripe; prazo acaba dia 26

Faltando menos de 20 dias para o fim da campanha nacional de vacinação contra a Gripe, apenas 150 mil alagoanos procuraram os postos de saúde para se imunizar. Segundo dados do Ministério da Saúde, o número representa apenas 15% do público-alvo do estado, que totaliza 636,5 mil pessoas. A meta é vacinar 90% do público até o próximo dia 26 de maio.

Dados do Ministério da Saúde apontam que os idosos registraram a maior cobertura vacinal em Alagoas, com 42,9 mil doses aplicadas, o que representa 15,3% deste público, seguido pelos trabalhadores de saúde (34,3%), gestantes (17,5%) e puérperas (17,2%). Os grupos que menos se vacinaram são as crianças (13%), professores (8,6%) e indígenas (5%). Entre as regiões do país, o Sul apresentou o melhor desempenho em relação à cobertura vacinal contra a influenza, com 48,5%, seguida pelas regiões Sudeste (28,3%); Centro-Oeste (23,2%); Nordeste (19,5%) e Norte (16%).

Para esta campanha, o Ministério da Saúde adquiriu 60 milhões de doses da vacina, garantindo estoque suficiente para a vacinação em todo o país. A coordenadora Nacional do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, alerta sobre a importância do público-alvo se imunizar dentro do prazo de vacinação para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos. “É de fundamental importância que a população-alvo busque, o quanto antes, os postos de vacinação para garantir a proteção contra a influenza, principalmente neste período, que antecede o inverno”, destacou.

Desde o dia 17 de abril, a vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação a crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores que são a novidade deste ano.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica. A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

PREVENÇÃO – A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

É importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.


Hemoal está com apenas 28% do estoque de sangue necessário



Unidade necessita de 300 bolsas diariamente e só dispõe de 86, confirma Sesau

Necessitando de pelo menos 300 bolsas de sangue, o Hemocentro de Alagoas (Hemoal) dispõe de apenas 86. Uma situação classificada como crítica pela gerência da unidade, uma vez que este número representa apenas 28% do estoque mínimo necessário.

Para se ter ideia, segundo o relatório do Setor de Dispensação de Sangue, o Hemoal não possui nenhuma bolsa das tipagens A e B Negativas. Já da tipagem AB Negativa, só há uma bolsa, além de duas da tipagem O Negativa e quatro da B Positiva.

Números que colocam mais uma vez o Hemoal em alerta, uma vez que o sangue não é produzido artificialmente, segundo a assistente social Rayara Andrade. Por esta razão, a técnica apela para que os alagoanos se sensibilizem e se candidatem à doação de sangue.

“É necessário ter peso igual ou superior a 50 kg, idade entre 16 e 69 anos, além de portar um documento de identificação com foto. No caso dos menores de 18 anos, é imprescindível estar acompanhado dos pais e portar um documento de identificação oficial e original dos responsáveis”, esclareceu a assistente social.

Rayara Andrade salientou que, ficam impedidos de doar sangue àqueles que tenham contraído hepatite após os 11 anos de idade, além de sífilis, Aids e doença de Chagas. “Já as gestantes e lactantes é proibida a doação e, para repetir o ato solidário, os homens devem respeitar um prazo de dois meses e as mulheres ficam impedidas durante três meses”, explicou.

Onde doar – Os voluntários podem realizar suas doações de sangue em três postos fixos do Estado. Em Maceió é possível doar sangue no Hemoal Trapiche, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e das 8h às 12h no sábado. A unidade está localizada na Rua Dr. Jorge de Lima.

Também é possível se candidatar a doação de sangue no Hemoal Farol, que funciona no Hospital do Açúcar, e atende de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h. Já no interior do Estado, as doações podem ser realizadas no Hemocentro Regional de Arapiraca (Hemoar), que provisoriamente está funcionando no Laboratório Municipal, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.


Banco de Sangue de Palmeira dos Índios é inaugurado na manhã desta sexta-feira

Hemocentro de Palmeira dos Índios (foto: Cayo César/ Rádio SAMPAIO)

Na manhã desta sexta-feira (05), o primeiro bando de sangue de Palmeira dos ´ndios foi inaugurado. A inauguração contou com a presença de autoridades do município como o Prefeito Júlio Cezar, a secretária de saúde Katia Born, vereadores e o Provedor do Hospital Santa Rita, Drº Pedro Gaia.

O Banco de Sangue atenderá as necessidades do Hospital Regional Santa Rita e toda a região que necessitar. O Hemocentro de Palmeira dos Índios (HEMOPI) levará o nome de Drª Wilson Vieira Costa, uma homenagem a Drº Wilson que trabalhou a 51 anos na unidade hospitalar e foi o primeiro médico a realizar uma transfusão de sangue em Palmeia dos Índios.

Doutor Wilson Costa (foto: Cayo César/Rádio SAMPAIO)
Katia Born, Secretária de Saúde de Palmeira dos índios. (Foto: Cayo César/Rádio SAMPAIO)

“Essa unidade vai melhorar a qualidade e o atendimento a população […] quando você inaugura uma unidade como essa melhora a capacidade de atendimento do hospital, a inovação tecnológica. Isso é um sonho, Maceió e Arapiraca já têm, e agora Palmeira dos índios também tem.” Ressaltou a Secretária de Saúde de Palmeira dos Índios, Katia Born.

Ainda segundo o Prefeito Júlio Cezar, “Palmeira ganhou autonomia, antes precisava solicitar sangue a Arapiraca, hoje não.”, ainda segundo o prefeito a homenagem a Drº Wilson Costa é muito merecida já que ele revolucionou a medicina em Palmeira. O Prefeito aproveitou para informar que vai fazer um novo contrato com o hospital e nele o não poderá ser cobrado nada da população para pode ser atendida.

 


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey