Palmeira dos Índios
23 ºC Céu Limpo

Redes Sociais

Palmeira dos Índios | Céu Limpo
23 ºC

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

Sueca bicampeã olímpica com os EUA será a nova treinadora da seleção brasileira feminina

Sueca bicampeã olímpica com os EUA será a nova treinadora da seleção brasileira feminina
Foto: Reuters

A seleção brasileira feminina já tem um novo comando. Após a demissão de Vadão, a CBF chegou a um acordo com Pia Sundhage, sueca de 59 anos que é bicampeã olímpica com os Estados Unidos e estava dirigindo a categoria sub-16 de seu país. A confederação irá fazer o anúncio oficial nas próximas horas, e a treinadora terá no cargo uma atuação abrangente, desde as categorias de base.

A CBF já conversava com Pia desde o início do mês e tinha definido a saída da comissão técnica de Vadão. Após a eliminação do Brasil na Copa do Mundo feminina, na França, ela foi procurada pelo presidente Rogério Caboclo e se mostrou aberta a uma proposta.

Pia e Caboclo se aproximaram este ano quando a treinadora esteve no Brasil, à convite da CBF, participando de seminário sobre a categoria. Na ocasião, chegou a responder a perguntas da imprensa a respeito da Seleção feminina e mostrou que um namoro seria possível, embora ter dito que seu vínculo com o atual emprego vai até o fim do ano.

Pia Sundhage também levou a Suécia à final da Olimpíadas do Rio em 2016 — Foto: Getty Images
Pia Sundhage também levou a Suécia à final da Olimpíadas do Rio em 2016 — Foto: Getty Images

Após a derrota na França, quando o Brasil caiu nas oitavas de final do Mundial, Pia foi procurada pelo dirigente e o assunto teve continuidade. A ideia da CBF é um contrato de longo prazo para a treinadora e a proposta de que promova uma reformulação da Seleção.

O trabalho da sueca é tido como uma referência no futebol feminino. Além do bicampeonato com as americanas, ela tem no currículo a final da Rio 2016, com a Suécia, quando eliminou sua antiga seleção (a americana), sendo derrotada pela Alemanha na decisão.

A campanha também ficou marcada por ter conseguido reverter uma derrota importante justamente para a seleção brasileira. Depois de levar 5 a 1 do Brasil na primeira fase, reverteu a situação vencendo a equipe de Vadão nos pênaltis, eliminando as donas da casa.

Fonte: Globo Esporte

CRB cresce no segundo tempo e vence o Criciúma no Rei Pelé

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true
Foto: Gustavo Henrique/CRB

O CRB se recuperou na Série B e derrotou o Criciúma. Na noite desta terça-feira (23) o time regatiano venceu por 2 a 0 no Estádio Rei Pelé, com gols de Alisson Farias e Willie.

O “Galo” na próxima rodada enfrenta o Botafogo-SP, na sexta-feira, às 20h30, no Estádio Santa Cruz. Com a vitória o time regatiano está na 10ª colocação, com 16 pontos. O Criciúma recebe o Figueirense, no Estádio Heriberto Hulse, no próximo sábado, às 16h00. O time está na 15ª posição, com 12 pontos conquistados

O JOGO 

A bola rolou no Estádio Rei Pelé e quem começou melhor foi o CRB. Na primeira chance do jogo, Léo Ceará recebeu a bola na entrada da área, girou, chutou forte e viu a bola raspando a trave do Criciúma.

O time “Carvoeiro” teve dificuldades na criação das jogadas. A bola não chegou no atacante Léo Gamalho, que precisou sair da área para buscar o jogo.

A melhor chance do time Catarinense foi quando Marlon cruzou e Léo Gamalho desviou a bola para o gol, mas sem perigo para o goleiro Edson Mardden.

O “Galo” continuava pressionando pelo lado direito, com Willian Santana, que caia pelas pontas. Em jogada do atacante, ele cruzou a bola na área e Léo Ceará cabeceou forte para o gol, mas o goleiro Luiz fez uma grande defesa, salvando o Criciúma.

Primeiro tempo terminou, CRB 0 X 0 Criciuma.

A segunda etapa foi bastante movimentada. O Criciúma começou pressionando o time regatiano, com bolas alçadas na área, mas que não levaram perigo ao gol de Edson Mardden.

O CRB continuava melhor na partida. Wellington Carvalho recebeu cruzamento na área e cabeceou forte, mas o goleiro Luiz fez uma grande defesa.

O time Catarinense fez o gol com o atacante Léo Gamalho, em cruzamento de Daniel Costa, mas o árbitro marcou impedimento.

Aos 28 minutos, em bate e rebate na área, a bola sobrou para Alisson Farias, que chutou colocado, sem chances para o goleiro adversário. CRB 1 a 0.

O time regatiano continuou pressionando e ampliou o placar aos 35 minutos. Léo Ceará foi lançado nas costas da defesa do Criciúma e tocou voltando para Willie, que dominou e chutou forte para o gol. CRB 2 a 0.

 

 

Fonte: Globo Esporte


CSA é goleado por 4×0 pelos reservas do Athletico Paranaense

Desorganizado, CSA é goleado por 4×0 pelos reservas do Athletico-PR no Rei Pelé – Foto: Divulgação

O CSA foi derrotado por 4 a 0, para o Athletico Paranaense pelo Campeonato Brasileiro, neste sábado (20), no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Com o resultado, o Furacão chegou aos 16 pontos, na sexta colocação. Já a equipe alagoana amarga sua terceira goleada é a vice-lanterna, com apenas seis pontos.

A equipe rubro-negra abriu a contagem aos 41 minutos da primeira etapa, com Madson aproveitando cruzamento para testar e balançar a rede. Depois do intervalo, aos 14 minutos, Thonny Anderson ampliou a vantagem. Léo Cittadini fez o terceiro, aos 40 minutos e Braian Romero fechou o placar, aos 47 minutos.

Na próxima rodada, o CSA enfrenta o Grêmio, segunda-feira, dia 29, novamente no Rei Pelé. Já o Athletico terá pela frente o Cruzeiro, sábado, no Mineirão, em Belo Horizonte.

O jogo – Com uma postura mais ofensiva, diante de uma equipe menos entrosada, o time da casa começou impondo o ritmo da partida. Aos seis minutos, recuo errado para Caio, Maranhão quase aproveitou, mas o goleiro se recuperou para afastar. Aos nove minutos, Alecsandro teve a primeira oportunidade, aproveitando cruzamento para testar em cima da zaga rubro-negra.

Mais CSA no ataque, aos 13 minutos, com Ronaldo Alves, que aproveitou cobrança de falta de Dawhan para cabecear e obrigar Caio a fazer grande defesa. O Furacão finalmente chegou com algum perigo aos 19 minutos, com Thonny Anderson pegando sobra de bola e chutando no cantinho para Jordi buscar. No rebote, o goleiro parou o arremate de Vitinho. Aos 26 minutos, Maranhão pegou bola cruzada e cruzou para Caio deixar a meta e tirar de soco.

O jogo ficou mais equilibrado e, aos 33 minutos, Vitinho recebeu na entrada da área, girou o corpo e bateu para fora. Antes dos 40 minutos, Argel queimou a primeira substituição, sacando o atacante Alecssandro para a entrada de Jonatan Gomez. Athletico no ataque, aos 41 minutos, e Madson apareceu no meio da área para cabecear firme e estufar a rede.

Para a etapa final, o CSA voltou com Victor Paraíba no lugar de Cassiano. Aos dois minutos, Bruno Nazário cobrou falta o ângulo e Jordi foi buscar para fazer grande intervenção. Com uma nova formação no segundo tempo, o time da casa buscava se ajustar nos primeiros minutos. Mas, aos 12 minutos, após cruzamento na medida de Abner, Thonny Anderson cabeceou e marcou o segundo do Athletico.

O gol desanimou ainda mais o time alagoano, que não conseguia mais criar no setor ofensivo, O Furacão, por sua vez, tocava bola em busca por espaços para matar o jogo. Aos 27 minutos, cobrança de escanteio e Bambu não pegou em cheio na bola na cabeçada. Recuou errado para Jordi, que deixou a meta, aos 29 minutos, e dividiu com Thonny Anderson, que ficou no chão.

A defesa do CSA estava aberta e, aos 40 minutos, Vitinho fez o lançamento no meio da zaga e Léo Cittadini apareceu em velocidade para tocar na saída do goleiro e marcar o terceiro do Furacão, para acabar de vez com o jejum. Ainda deu tempo para Abner cruzar, aos 47 minutos, e Braian Romero cabecear para fechar a conta.

CSA 0 X 4 ATHLETICO

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)

Data: 20 de Julho de 2019, sábado

Horário: 19 horas (de Brasília)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa/SP) e Ricardo Junio de Souza (MG)

Árbitro de Vídeo: Emerson de Almeida Ferreira (MG)

Assistente de Árbitro de Vídeo: Rodrigo Batista Raposo (DF) e Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)

Cartões amarelos: Apodi, Jean Cléber (CSA); Wellington (Athletico)

Gols

ATHLETICO: Madson, aos 41 minutos do primeiro tempo; Thonny Anderson, aos 14 minutos, Léo Cittadini, aos 40 minutos e Braian Romero, aos 47 minutos do segundo tempo

CSA: Jordi; Apodi (Naldo), Alan Costa, Castán e Rafinha; Dawhan, Jean Cléber e Victor Paraíba; Cassiano (Victor Paraíba), Ricardo Bueno e Alecsandro (Jonatán Gómez)
Técnico: Argel Fucks

ATHLETICO: Caio; Madson, Robson Bambu, Pedro Henrique e Abner Felipe; Wellington, Matheus Rosseto e Bruno Nazário (Léo Cittadini); Vitinho, Thonny Anderson (Tomás Andrade) e Braian Romero. Técnico: Tiago Nunes

 

 

 

 

Fonte: Todo Segundo


CRB abre o placar, mas acaba levando a virada do Operário: 2 a 1

CRB estacionou nos mesmos 13 pontos, na décima posição – Foto: FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

Neste sábado, em partida válida pela 10ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o CRB perdeu para Operário por 2 a 1, de virada. Jogando em casa, no estádio Germano Kruger, o time paranaense saiu perdendo, com gol marcado por Willians Santana, porém reagiu no segundo tempo. Willians Santana e Lucas Batatinha marcaram para os mandantes, garantindo os três pontos.

Apesar de sair perdendo na primeira etapa, o Operário foi superior em campo e criou, pelo menos, cinco chances de gol. Na segunda etapa, o Fantasma não diminuiu o ritmo e logo chegou ao gol de empate. Mantendo a pressão, o time mandante virou o placar com Lucas Batatinha e garantiu o resultado justo para os paranaenses.

Com o resultado, o Operário chegou à 11ª colocação, com 13 pontos somados. Na próxima rodada, o time enfrenta o São Bento, fora de casa, na terça-feira, às 19h15. Enquanto isso, o CRB estacionou nos mesmos 13 pontos, na décima posição. O próximo compromisso do time será contra o Criciúma, em casa, nesta terça-feira, às 21h30.

O jogo – Na primeira chance de perigo do jogo, o Operário chegou em um escanteio batido pela direita. Índio subiu bem na primeira trave e acertou o posto direito defendido pelo CRB. Logo em seguida, o lateral Maílton desceu bem pela direita e arriscou bom chute rasteiro de fora da área. A bola passou rente à trave direita.

O CRB respondeu após saída errada do zagueiro Lázaro, que entregou a bola de graça para Igor. O meia arriscou de direita de fora de área e exigiu boa defesa de Simão. O gol da equipe alagoana saiu logo depois, aos 29 minutos. Alisson Farias serviu Willians Santana dentro da área, que achou um espaço e finalizou rasteiro de esquerda. A bola ainda bateu na trave antes de entrar.

Buscando reagir, o Operário lançou-se ao ataque e continuou levando perigo. Maílton novamente apareceu bem no ataque, dessa vez trazendo a bola para o pé esquerdo e arriscando de uma posição frontal. A bola quicou no gramado antes de chegar no goleiro Edson Mardden. Na sequência, Índio perdeu gol impressionante. O volante cabeceou livre na pequena área após belo cruzamento de Allan Vieira, mas mandou por cima do travessão.

Antes do fim da primeira etapa, o Operário ainda chegou mais três vezes com perigo. Primeiro, Lucas Gaúcho recebeu cruzamento de Maílton e cabeceou para o chão, raspando a trave esquerda. Depois, o centroavante levou perigo novamente, dessa vez em chute forte de fora da área. Edson Mardden foi buscar com a ponta dos dedos. Por fim, o Fantasma chegou novamente em bola levantada na área. Maílton cruzou e Felipe Augusto, sozinho, testou para fora.

Logo no primeiro minuto da etapa complementar, o CRB assustou com Willie. O atacante recebeu passe em contra-ataque e, de pé direito, acertou chute rasteiro na trave defendida por Simão. O Operário respondeu com Lucas Gaúcho, que aproveitou cruzamento de Allan Vieira, subiu muito alto e testou para defesa de Edson Mardden em dois tempos.

O gol de empate do Fantasma saiu aos 15 minutos. Igor bobeou, Marcelo tomou a posse pela direita e cruzou rasteiro para dentro da área. A bola passou por todo mundo e ficou oferecida para Felipe Augusto, que apenas teve o trabalho de mandar para a rede.

Seis minutos depois, a virada veio. Felipe Augusto recebeu passe em profundidade nas costas da zaga, avançou pela esquerda e chutou na trave. Na sobre, Lucas Batatinha, que tinha entrado há um minuto, apareceu livre para mandar para o gol.

Ainda deu tempo do Operário chegar próximo de marcar o terceiro. Revson, que entrou no segundo tempo, recebeu de fora da área e arriscou chute de esquerda. A finalização parou na trave esquerda, assustando Edson Mardden. Depois desse lance, nada mais emocionante aconteceu na partida, que terminou com a vitória de virada do Fantasma.

FICHA TÉCNICA

OPERÁRIO-PR 1 X 2 CRB

Local: Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR)

Data: 20 de julho de 2019, sábado

Horário: 19h (de Brasília)

Árbitro: Jonathan Antero Silva (RO)

Assistentes: Márcea Bezerra Lopes Caetano (RO) e Adenilson de Souza Barros (RO)

Cartão amarelo: Lucas Gaúcho e Lázaro (Operário); Ferrugem (CRB)

Gols: Willians Santana (CRB, 29 minutos do 1º tempo), Felipe Augusto (Operário, 15 minutos do 2º tempo), Lucas Batatinha (Operário, 21 minutos do 2º tempo)

Operário: Simão; Maílton, Rodrigo, Lázaro e Allan Vieira; Índio, Jardel e Marcelo (Lucas Batatinha); Cleyton, Lucas Gaúcho (Jean Carlo) e Felipe Augusto (Revson). Técnico: Gerson Gusmão

CRB: Edson Mardden; Daniel Borges, Edson Henrique, Welligton Carvalho e Igor (Bryan); Claudinei, Ferrugem, Felipe Ferreira; Willie (Léo Ceará), Alisson Farias e Willians Santana (Hugo Sanches). Técnico: Marcelo Chamusca

 

 

 

 

Fonte: Todo Segundo


CSA x Athletico: tudo o que você precisa saber sobre o jogo da rodada #11

O CSA faz neste sábado o primeiro jogo em casa no Brasileiro depois da parada da Copa América. E pega um adversário empolgado. O Athletico vem de um jogo marcante no Maracanã. Até por isso vai escalar um time reserva nesta noite, às 19h, no Rei Pelé.

O Azulão tenta sair da zona do rebaixamento. Com seis pontos, ocupa a penúltima colocação no Brasileiro e precisa reagir. De acordo com o técnico Argel Fucks, a missão do time alagoano é a permanência na Série A. E isso passa pelos jogos em casa.

O Furacão vem de classificação na Copa do Brasil contra o Flamengo. Na última quarta-feira, o time empatou por 1 a 1 no tempo normal, repetindo o placar de ida, e levou a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, levou a melhor e venceu por 3 a 1, garantindo a vaga na semifinal. No Brasileirão, o Rubro-Negro ocupa a 12ª colocação e tenta melhorar o desempenho como visitante – são 11 jogos, oito derrotas e três empates na temporada.

 — Foto: Infografia
— Foto: Infografia

Gabriel Medina dá show, vira no fim e é campeão da etapa de J-Bay

Gabriel Medina dá show, vira no fim, chega perto da nota máxima e é campeão da etapa de J-Bay
Foto: Divulgação/WSL

A final masculina da etapa de Jeffreys Bay do Circuito Mundial de Surfe entrou para a história antes mesmo de começar. Com Gabriel Medina e Ítalo Ferreira decidindo o título sul-africano, era a primeira decisão 100% brasileira da história da etapa. E a coroa ficou com Gabriel Medina, seu primeiro título na África do Sul, com muito estilo. Medina anotou 19.50, de um máximo de 20 pontos, contra 16.77 e Ítalo para ficar com a taça.

Com os resultados da sexta de 11 etapas desta temporada, Filipe Toledo, que caiu na semifinal, ficou com a 2ª posição do ranking mundial, atrás apenas do americano Kolohe Andino, que também foi eliminado na semi. Ítalo Ferreira, apesar do vice, subiu da sexta à quarta posição. Medina, que era oitavo, agora é o sétimo. A próxima parada do Tour é nos tubos de Teahupoo, no Taiti, entre 21 de agosto e 1º de setembro – Medina é o atual vencedor.

É muito bom. É muito difícil ganhar esse campeonato. Eu não estava esperando essa vitória. Tudo isso começou depois da vitória sobre Ryan Callinan, que virei na última onda. Nada é impossível – disse Medina ainda dentro d’água.

A bateria começou forte. Logo de cara, Ítalo Ferreira chegou com o pé na porta, anotando um 9.10 na primeira onda da bateria. Medina demorou um pouco, mas respondeu a altura. Com uma sequência de manobras espetacular em uma onda muito grande, o atual campeão mundial conseguiu um 9.73 e encostou na disputa.

Na reta final, Ferreira conseguiu um 7.67 para colocar pressão no atual campeão mundial e Medina respondeu com outra onda espetacular. Com direito a um tubo sensacional para fechar a onda, Gabriel anotou um 9.77, somando 19.50 e ficando com o título.

Gabriel é o primeiro surfista goofy (que surfa com o pé direito na frente da prancha) campeão em Jeffreys Bay desde 1984, a primeira edição da etapa sul-africana na elite do surfe mundial.

Fonte: Globo Esporte


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2020 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey