Toninho Garrote comemora Projeto que tornou lei a Semana de Conscientização sobre a Síndrome de Down

Vereador Toninho Garrote acompanhado da Prof. Waleska, do grupo Amor 21 e do Fernando Barros e seus pais (Foto: Assessoria/Câmara)

Um Projeto de Lei (PL), apresentado no ano passado pelo Vereador Toninho Garrote (PP), entrou em vigor esse ano e cria a Semana de Conscientização sobre a Síndrome de Down. O PL foi aprovado por unanimidade e se tornou Lei.

Por isso a Prefeitura Palmeira dos Índios está realizando de 21 a 23 de março uma série de ações educativas que  contribuem para a inclusão, acessibilidade e autonomia das pessoas com síndrome de Down.

 

 

Segundo Toninho Garrote, a Semana de Conscientização sobre Síndrome de Down tem como finalidade a divulgação de informações que ajudem a sociedade a compreender e lidar com portadores da Síndrome. “O projeto prevê a implantação de um serviço de comunicação com os diversos setores do município e da sociedade organizada, para a prestação de informações ao público a respeito da Síndrome de Down, tendo em vista a educação, saúde, trabalho e a prática de modalidades artísticas e esportivas para os portadores”, destaca.

 

 

O projeto de lei prevê que as ações sejam realizadas em parceria pelas secretarias de Educação e Saúde e direcionadas, em especial, aos alunos das redes estadual e privada de ensino, por meio de palestras e esclarecimentos, a fim de combater qualquer preconceito contra quem tem a Síndrome.

 

Toninho Garrote também enfatizou: “Dizemos sempre que a informação é libertadora, pois retira a angústia do desconhecido e elimina o preconceito. A síndrome de Down é um modo de estar no mundo que demonstra a diversidade humana. Poderemos demonstrar, nesta Semana de Conscientização, relatos de pessoas com síndrome de Down que estudam, trabalham e contribuem como membros participativos de suas comunidades, como qualquer outra pessoa. O amor ao próximo e a informação são as melhores formas para correção das injustiças. Todos somos iguais na nossa diferença. Ser diferente é normal, precisamos exercitar isso” enfatizou Garrote.


Deixe uma resposta