Polícia conclui inquérito e prende casal suspeito de torturar crianças

A polícia concluiu o inquérito que investigava um casal suspeito de torturar crianças com queimaduras e afogamentos em balde d’água, em Maceió. Após pedido feito pela delegada Adriana Gusmão, da Delegacia Especial dos Crimes Contra Crianças e Adolescentes (DCCCA), no último mês, mãe e padrasto de cinco crianças foram presos nesta segunda-feira (04).

De acordo com informações do agente Alan Valber, da DCCCA, a mãe, identificada como Layla Mariah Rufino dos Santos, de 22 anos, foi encaminhada para a Delegacia de Viçosa, enquanto o padrasto, Edson José da Silva, de 40, será levado ao Sistema Prisional de Alagoas, em Maceió.

Em depoimento no último mês, Layla Mariah já havia confessado as agressões e contou também que, para castigar os enteados, o companheiro dela os colocava de ponta-cabeça em um balde cheio de água. As crianças chegavam a desmaiar, segundo ela.

O caso

Uma denúncia feita pelo Conselho Tutelar, no dia 3 de maio, levou a polícia a abrir um inquérito contra mãe e padrasto de cinco menores. Eles são suspeitos de maltratar os filhos e provocar ferimentos causados por queimaduras nas mãos e nos pés deles.

Três das crianças, que têm 2, 3 e 4 anos de idade, moravam com a mãe, no Conjunto Denilma Bulhões, no bairro de Santa Amélia. Já as outras duas, de 6 e 7 anos, estavam em Viçosa, na Zona da Mata alagoana, na casa da avó materna. Todas elas apresentaram marca de queimaduras. As crianças contaram que eram queimadas com uma colher quente.

Na época, os garotos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizaram exame de corpo de delito.


Deixe uma resposta