Mãe sabia que filha de 3 anos era estuprada e agredida pelo padrasto, diz Conselho Tutelar

Continua grave o estado de saúde da criança de três anos que teria sido estuprada pelo padrasto. De acordo com a assessoria de comunicação do Hospital Geral do Estado (HGE), a menina, identificada apenas como A.J.M.V.S., continua entubada e sedada na UTI Pediátrica da unidade de saúde.

O suspeito, Clayton Silva de Souza, de 19 anos, foi detido por uma guarnição do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM), mas foi liberado pela polícia por falta de provas.

Conforme a conselheira tutelar do Vergel do Lago, Ruth Moura, o termo de entrega e responsabilidade sobre a criança será entregue para uma tia materna. De acordo com a conselheira, a tia informou, durante conversa nesta segunda-feira (8), que os abusos já eram conhecidos. Ainda segundo ela, a mãe da criança e a menor eram frequentemente espancadas pelo suspeito.

“Ela me mostrou um áudio da mãe contando que eram surradas por ele. Além disso, a ex-sogra dela, que cuidou da criança por um tempo, contou que quando a criança ficava com ele e voltava para casa, se queixava de dor na região genital e não deixava ninguém dar banho nela”, disse Ruth Moura, que questionou ainda o trabalho do Conselho Tutelar de Messias, município onde mora o casal.

A conselheira explicou que a criança morava com a ex-sogra da mãe até a mesma entrar com um pedido de guarda, que foi acatado. Ainda segundo a conselheira, o pedido pela guarda da criança foi incentivado pelo padrasto.

Na última quinta-feira (4), a criança deu entrada no hospital com traumatismo craniano. Ao ser examinada pela equipe médica, foi identificado que a criança estava com rupturas no órgão genital e anal. O Conselho Tutelar do Vergel do Lago foi acionado e o padrasto que acompanhava a criança no hospital foi detido.

Apesar de morarem em Messias, o padrasto e a criança estavam em Maceió quando ela foi encaminhada para o hospital por uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A conselheira explicou que a mãe da criança, que está grávida de nove meses, não sabia que a criança estava internada. Na quarta-feira (3), o padrasto teria sumido de Messias com a vítima.


Deixe uma resposta