Laudo do IML diz que jovem estava morta há 48 horas; família acusa hospital

| Redação Rádio Sampaio


O laudo da necropsia do corpo da jovem Debora Isis, emitido pelo Instituto Médico Legal Estácio de Lima na noite desta terça (14) atesta que a jovem estava morta há pelo menos 48 horas. O laudo confirma o atestado emitido anteriormente pelo médico do hospital particular onde a jovem morreu.

Ainda durante a tarde, enquanto aguardava a necropsia, o irmão de Débora, Paulo Daniel, falou com a imprensa e, em tom de desabafo, afirmou que acredita na tese de negligência por parte do Hospital Vida, onde foi constatado o óbito de Débora, no último domingo (12).

O caso inusitado chamou a atenção da população de Rio Largo, região metropolitana de Maceió. Dezenas de pessoas estiveram no velório de Débora e cada um deles narrou um relato diferente, onde todos apontavam possíveis sinais de vida da jovem que já estava no caixão sendo velada.

Em entrevista, Paulo Daniel garantiu que identificou também vários sinais de vida: como a temperatura corporal e uma respiração ainda fraca. Logo em seguida, a atitude da família foi de entrar em contato com o hospital, e afirmam não terem obtido nenhum retorno.

“Eles não deram mais informações. Ela foi internada com infecção urinária e por lá tomou muito medicamento, por volta das 14h [do domingo] eles nos disseram que ela tinha morrido de parada cardíaca. Parece que nem tentaram reanimar ela, nem nada. Em seguida já foram dando o atestado de óbito e mandaram o corpo direto para a funerária”, narrou o jovem.

A prática, se for comprovada, teria ignorado a passagem pelo SVO (Serviço de Verificação de Óbitos). A instituição é a única responsável por verificar a causa de mortes naturais e que permite que o corpo seja liberado para sepultamento.

“Pode parecer ‘doideira’, mas eu senti ela respirando, senti a pulsação dela. Ela tava (sic)bem fraquinha, mas como botaram algodão e ela estava sedada havia quatro dias eu tenho quase certeza que ela pode ter morrido depois do domingo”, explica Paulo Daniel.

A equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria do Hospital Vida. Segundo nota enviada à redação, o hospital afirma que adotou todos os procedimentos necessários e que não há nenhuma anomalia no atendimento, tendo sido oferecida toda assistência à paciente. A assessoria informa ainda que entende a dor da família, mas que não vai se pronunciar sobre as declarações dos familiares.

Laudo do IML

O Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima informa que após realização de exame de necropsia ficou confirmada a morte da jovem Débora Isis Mendes de Gouveia, 18 anos de idade.

No exame de necropsia realizado pela perita médica legista Magda Vilela ficou constatado que a vítima estava morta há mais de 48 horas.

O laudo cadavérico completo, com todas as informações sobre a causa da morte, será encaminhado para o 12° Distrito Policial de Rio Largo no prazo de 10 dias úteis.

O corpo Débora Isis foi liberado para sepultamento.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: