Jovem dado como morto aparece vivo depois de família receber cinzas apontadas como suas

Por: Pedro Ivon com O Globo
 / Publicado em 13/02/2024

Tyler Chase | Foto cedida pelo Tyler ao New York Times

O jovem americano Tyler Chase (22) teve uma trajetória complicada: começou a usar metanfetaminas na adolescência e, depois que sua mãe morreu, em 2020, ele se afundou nas drogas e passou a cometer crimes, vindo a ser preso em janeiro de 2023. Ele foi liberado para uma instalação de moradia temporária em Portland, Oregon, com a condição de concluir um programa para tratar seus vícios. Em outubro do mesmo ano, depois de sete meses sóbrio e procurando trabalho, ele soube do seu próprio atestado de óbito.

“Obviamente, você não pode realmente se candidatar para vagas quando está morto”, disse Chase em uma entrevista.

Durante seus anos como usuário de drogas, Tyler Chase passou a viver como sem-teto, com laços familiares rompidos. Além disso, uma burocracia foi responsável por documentar sua morte sem impressões digitais ou a necessidade de qualquer parente próximo quando o corpo foi cremado.

O jovem soube do seu atestado de óbito depois que seu cartão de benefícios não funcionou em uma loja de conveniência. Além disso, uma urna com as cinzas que foram apontadas como dele havia sido entregue à sua família. 

Foi em dezembro de 2023 que um policial do Departamento de Polícia de Portland apareceu na moradia temporária de Chase e quis saber por que estavam buscando os documentos de um homem dado como morto pelas autoridades. Na noite seguinte, o principal investigador do Escritório Examinador Médico do Condado de Multnomah visitou o jovem e explicou seu erro.

O que ocorreu é que meses antes, um morador masculino do centro de recuperação foi encontrado morto e com a carteira de Chase, que havia sido perdida. Além disso, o cadáver também estava em posse da carteira de motorista temporária do jovem.

A família, que havia tido contato com Chase pela última vez no enterro de sua mãe, não ficou surpresa quando recebeu a informação de que ele havia morrido por overdose de drogas. Antes do Natal de 2023, entretanto, a prima do jovem, Latasha Rosales (35), recebeu uma ligação informando que seu familiar estava vivo.

Chase passou o Natal com Rosales e seus filhos e acabou sendo contratado por uma organização que ajuda os sem-teto em Portland.

Deixe uma resposta

Contato

Rua José e Maria Passos, nº 25
Centro - Palmeira dos Índios - AL.
(82) 99641-3231
TELEFONE FIXO - ESTUDIO:
(82)-3421-4842
SETOR FINANCEIRO: (82) 3421-2289 / 99636-5351
(Flávia Angélica)
COMERCIAL: 
(82) 99344-9999
(Dalmo Gonzaga)
O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Segurança e privacidade
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram