82 99641-3231

‘Estou lidando com médicos, não com vigaristas’ afirma Júlio Cezar em resposta a médicos da UPA

aqui achei

Prefeito se pronunciou após Rádio Sampaio levar ao ar informações de que os médicos da UPA estariam limitando o atendimento 

Prefeito Júlio Cezar (Foto: Arquivo/TodoSegundo)

Por Cayo César

Na manhã desta terça-feira, 22, o Programa Nosso Encontro da Rede Sampaio de Comunicação, levantou em pauta a respeito da recusa de atendimento de um médico da Unidade de Pronto Atendimento de Palmeira dos Índios. Populares entraram em contato com nossa redação informando que teria um limite de atendimento de apenas 140 pessoas em 24 horas.

 

O relato principal que tomou as redes sócias nesse final de semana partiu de um desabafo de uma cidadã nas redes sócias, que segundo ela, procurou a UPA e foi informada que não teria o atendimento, já que já teria chegado ao limite de atendimento.

 

“Eu levei meu pai meia noite da sexta feira pra UPA 24 horas de Palmeira dos Índios, e não foi atendido, por que o médico já tinha passado da quantidade de pacientes a ser atendido. Era para ter três médicos, mas infelizmente não tinha. Fui pessoalmente na sala do médico, perguntei.. Meu pai vai ser atendido? A resposta do médico foi que eu falasse com as enfermeiras lá na sala, fui lá e falei e a resposta foi, não.. Agora eu pergunto, de quem é a culpa? Do paciente ou das autoridades? Do prefeito da cidade, vamos lá, quero resposta.”

 

O Prefeito Júlio Cezar (PSB), que estava escutando o programa, entrou imediatamente em contato com a redação e explicou no ar a situação da UPA. Segundo o Prefeito, essa determinação de atendimento não foi orientada pela prefeitura e não deveria acontecer já que compromete o atendimento a população e caracteriza crime.  “O que eu não posso é passar a mão no erro, aceitar que isso possa acontecer. Isso compromete a assistência a população, e também caracteriza omissão de socorro.” afirmou o prefeito Júlio Cezar.

 

Júlio afirmou também que ficou impressionado quando soube da informação e logo mandou apurar. “E a gente vai combinar quantas pessoas adoecem? Depois de 140 ninguém pode mais adoecer? não é para isso que esses médicos estão lá! Não é para isso que eles são pagos e fizeram juramento para atender seja quem for!”, afirmou.

 

Questionado pelo ancora do programa, Edvaldo Silva se os médicos estariam com os pagamentos em dia, o prefeito respondeu que era uma desculpa “esfarrapada” dos médicos e que eles estavam fazendo isso para “fazer jogo” e durante a leitura de um nota oficial da empresa que tem o contrato com os médicos Júlio Cezar disparou: “Mentira desses médicos! mentirosos! Eles estão mentindo, o próprio IPAS está dizendo que o pagamento está em dias.” e continuou “Médicos não é para isso, não é para está indo a uma emissora de rádio  e dizer que não está recebendo, eu estou lidando com médicos, eu não estou lidando com vigarista nem também com maloqueiros. Está tudo pago!” afirmou o prefeito.

 

Ouça a entrevista na integra:

 

 


Presidente da Câmara de Vereadores abre sessão e encerra sem a quantidade mínima de vereadores

aqui achei
Vereadores que estavam na Câmara em reunião com o Secretário de Articulação do Prefeito. (Foto: Cayo César/Rádio Sampaio)

 

Um fato inusitado aconteceu na manhã desta quarta-feira (16), na Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios. O Presidente do poder legislativo, Vereador Júnior Miranda (PSL), iniciou a sessão e, em seguida, encerrou. O chefe do legislativo municipal deu início a sessão com a presença de apenas quatro vereadores, Ana Adelaide (PMDB), Fabiano Gomes (PSC), Toninho Garrote (PP) e o próprio presidente, sendo o número insuficiente para o quórum legal que é de oito edis, ferindo o regimento interno.

 

O que chama a atenção é que 8 dos 15 vereadores estavam  presentes na Câmara em reunião com o Secretário de Articulação Política, Emílio Silva, mas, mesmo assim, foram considerados como faltosos.

 

Nossa equipe esteve na Câmara e encontrou os vereadores Agenor Leôncio (PSB), Cristiano Ramos (PDT), Madson Monteiro (PHS), Val Enfermeiro (PMN), Pedrinho Gaia (PMDB), Joelma Toledo (PMDB), Ronaldo Raimundo (PROs)e Maxuel Feitosa (PMN), sentados em seus respectivos locais, porém com a mesa diretora vazia. “O presidente iniciou a sessão e logo após botar falta na gente, mesmo estando na câmara, ele encerrou a sessão e se retirou sem nenhuma explicação.” Falou o vereador pelo PDT, Cristiano Ramos.

 

Revoltado com a atitude do Presidente Junior Miranda o Vereador Agenor Leôncio disse que: “O presidente agiu de forma arbitraria e com total desrespeito ao regimento interno, desrespeitando até o Prefeito Julio Cezar e o Secretário de Articulação Politica que estava presente em reunião com os vereadores”.

 

A população que estava assistindo na plenária ficou sem entender a ação do presidente, “Na mesma velocidade que ele conduz a sessão, ele iniciou e encerrou sem explicar nada” citou uma senhora que assistia na plenária e preferiu não se identificar.


MPE pede afastamento do prefeito de Igaci por Improbidade Administrativa

aqui achei

 

Na manhã da última terça-feira (13), o Ministério Público do Estado de Alagoas ingressou com uma ação civil pública contra o atual prefeito do município de Igaci. Drº Oliveiro, como é conhecido, teve o pedido de seu afastamento do cargo solicitado pelo promotor de justiça Luiz José Gomes Vasconcelos, segundo a promotoria no dia quatro de maio, o prefeito deveria ter entregue, através de um acordo trabalhista, um aparelho de TV ao Instituto Irmã Dorathy e 80 conjuntos de cadeiras universitárias por decisão de uma causa privada com a instituição.

A justificativa da ação do MPE é que Oliveiro teria emitido um nota fiscal onde mostra que foi utilizado dinheiro público do Fundo Municipal de Assistência Social para pagar uma divida pessoal. “O que veio a demostrar que o demandado fez uso de dinheiro público para cumpri uma obrigação de cunho exclusivamente pessoal”, justificou.

O prefeito tem um prazo de 10 dias para apresentar sua defesa, após isso o juiz Sergio Persiano irá decidir de afasta Oliveiro do cargo ou não.

 

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo, mandato, função ou emprego. “Vê-se, assim que restam perfeitamente atendidos os requisitos impostos pela legislação e pela doutrina para a configuração de ato de improbidade administrativa praticado por Oliveiro Torres Pianco, que importa em enriquecimento ilícito, previsto no art. 9°, inc. I, impondo-se a aplicação ao requerido das sanções previstas no art. 12, inc. I da Lei 8.429/92.

A pena de “perda da função pública” foi prevista no texto da Constituição de 1988, que estabelece expressamente: “Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível”.

 

 

 

Tribuna do Sertão com Redação da Rádio Sampaio


Palmeira: Criança consegue atendimento na UPA após denuncia da Rádio Sampaio

aqui achei

Prefeito estava ouvindo o programa e entrou em contato com a Rádio Sampaio para resolver problema de imediato

Pediatria da Unidade de Pronto Atendimento (Foto: Cayo César)

 

A mãe de uma menina de apenas 9 anos de idade, procurou a equipe de jornalismo da Rádio Sampaio para noticiar o não atendimento médico de sua filha. A criança apresentou sinais de infecções após uma ferroada de escorpião em sua perna, segundo relato a menina foi levada para a urgência na Unidade de Pronto Atendimento, mas teve o socorro negado.

No momento que o caso era divulgado o Prefeito do município de Palmeira dos Índios, Julio Cezar, que estava ouvindo a Rádio Sampaio, ligou para a produção do programa e falou ao vivo que iria imediatamente procurar a

Prefeito Julio Cezar junto com representantes da secretaria de saúde e assistência social da UPA. (Foto: Cayo César)

direção da UPA para esclarecer o fato e a criança ter o atendimento adequado.

 

“Agradeço imensamente a equipe da Rádio Sampaio que me socorreu e me deram voz de pedir socorro as autoridades para que minha filha tivesse atendimento médico.”, disse a mãe da criança.

A criança foi levada por uma ambulância até a unidade de saúde, onde foi acompanhada por nossa equipe de reportagem e pelo prefeito. Já na UPA, a criança foi classificada e atendida pela equipe médica, onde viu a necessidade de sua internação para tratar uma infecção que atingia sua perna.

“Como prefeito eu vim aqui dá apenas um recado a UPA, e espero que seja a ultima vez que um caso como esse aconteça na unidade de pronto atendimento de Palmeira, porque se a UPA não mudar eu não tenho problema nenhum de mudar a administração da UPA.”, enfatizou o prefeito durante reunião com a direção da UPA.

 

Vigilância Sanitária

Vigilância Sanitaria em fiscalização na UPA (Foto: Cayo César)

Ainda na UPA o prefeito acionou a Vigilância Sanitária para que os técnicos realizassem uma inspeção por toda a instalação da unidade de saúde e apresentassem um relatório com todos os problemas e irregularidades encontradas no local.

“Aqui a gente coloca 600 mil reais todo mês, e esse dinheiro precisa ser revertido com qualidade para essas pessoas.” Disse o prefeito Júlio Cezar.


Prefeitura de Palmeira alerta sobre risco de deslizamentos nas subidas das Serras

aqui achei

Equipes da prefeitura e da Defesa Civil se revezam para minimizar o caos causado pelas fortes chuvas que caem na cidade há vários dias

A prefeitura de Palmeira dos Índios alerta sobre risco de deslizamentos de terra e pedra na zona rural. A maioria das Serras do município estão com os acessos comprometidos por por conta de pequenos desabamentos. Os trechos mais perigosos são os da Serra do Muro, Serra da Espia e parte alta da cidade. Desde sexta-feira (27), a população foi avisada por um Estado de Alerta, declarado pelo prefeito Júlio Cezar.

Equipes da prefeitura se revezaram neste sábado (27) e fizeram monitoramento nas áreas de risco.  Na Tabacaria, onde vive a comunidade Quilombola, algumas casas desabaram, outras tiveram rachaduras e muitas famílias perderam bens materiais. A Defesa Civil fez interdições no local.

O prefeito e sua equipe acompanharam e coordenaram ações em ocorrências. Em uma delas, na subida da Serra do Muro, local que apresentou bastante perigo para os veículos, por conta de deslizamentos, Júlio Cezar se encontrou com o prefeito de Quebrangulo, Marcelo Lima. A prefeitura de Palmeira dos Índios estava limpando o local.

A Prefeitura continua em Estado de Alerta, e houver alguma ocorrências a pessoa deve ligar para o celular 99301.6633, e pelos números 192, 193 ou 199. Através destes telefones a população pode solicitar a intervenção do órgão 24h, em casos emergenciais, como por exemplo, alagamentos, deslizamentos, desabamentos e rachaduras.

 


Juíza suspende aumento salarial do prefeito e vice de Quebrangulo

aqui achei
Juíza Luana Cavalcante de Freitas, titular da Comarca de Quebrangulo.

A juíza de Quebrangulo, Luana Cavalcante de Freitas, suspendeu nesta terça-feira, 17, o aumento salarial do prefeito Marcelo Lima e de sua vice-prefeita Andréa Maia Lima, aprovado dia 22 pela Câmara Municipal de Vereadores, em sessão extraordinária. Segundo a magistrada, que acatou ação popular ajuizada pelo vereador Emanoel Cardoso de Albuquerque (PSDB), houve violação à lei de responsabilidade fiscal e à lei orgânica do município.

O vereador que entrou na Justiça contra o aumento, explicou que a Câmara Municipal não obedeceu aos ritos legais. “Não se deu publicidade ao fato, não se discutiu a matéria”, criticou Emanoel Cardoso. Pelo projeto, o subsídio do prefeito pularia de R$ 12 mil para R$ 18 mil, e o da vice-prefeita, esposa de Marcelo Lima, passaria de R$ 6 mil para R$ 9 mil. Já os salários dos vereadores seriam mantidos em R$ 2.200,00.

“Em uma época de crise financeira nos municípios, é um absurdo que dias antes de assumir o mandato o prefeito esteja pensando em aumentar seu próprio salário”, enfatizou o vereador tucano. A juíza intimou o presidente da Câmara Municipal e o próprio Marcelo Lima para o cumprimento da decisão, sob pena de multa pessoal e diária pelo seu descumprimento, além da aplicação das penalidades do crime de desobediência.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2019 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey