82 99641-3231

Palmeira dos Índios: Vereadores não apresentam defesa sobre danos de R$ 30 mil aos cofres públicos

Vereadores de Palmeira dos Índios (Foto: Assessoria)

Portal Rádio Sampaio

Após recesso legislativo, nessa quarta-feira (21), aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores de Palmeira dos Índios à sessão para apresentação da defesa do Presidente da Casa, vereador Junior Miranda e do 1º secretário, vereador Fabiano Gomes, sobre a denúncia da ausência de repasses da Câmara de Vereadores à Previdência Social que causou prejuízo ao erário de R$ 30 mil.

A sessão de defesa aconteceu após a sessão ordinária, que foi presidida pelo presidente Junior Miranda, após encerra a sessão, o vereador se retirou do plenário da casa junto com o 1º secretário sem dá nenhum esclarecimento aos membros das comissões.

Confira o vídeo da sessão processante que investiga o Presidente Junior Miranda;

Segundo os presidentes das comissões, vereador Madson Monteiro e o vereador Val Enfermeiro, todos os vereadores foram comunicados oficialmente sobre a sessão e ela foi marcada para a quarta-feira, justamente, para garantir o direito de defesa dos investigados sem atrapalhar suas agendas pessoais.

Os pedidos de destituição da mesa diretora de Júnior Miranda e Fabiano Gomes foi formulado no início do ano, pelos vereadores Agenor Leôncio (PSB), Abraão do BMG (PRTB), Pedrinho Gaia (PSDB), Ronaldo Raimundo Jr. (PROS) e Cristiano Ramos (PDT), por meio de um requerimento para que fossem instauradas duas comissões processantes para apurar as denúncias contra ambos.

Confira o vídeo da sessão da comissão processante que investiga o vereador Fabiano Gomes;

 

 

 

 


Tribunal Internacional decide que impeachment de Dilma foi golpe de estado

“O processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff se caracteriza como um golpe ao Estado democrático de direito e deve ser declarado nulo em todos os seus efeitos.” Esta foi a tônica da sentença proferida hoje (07) pelos nove especialistas internacionais em direitos humanos que constituíram o júri do Tribunal Internacional Sobre a Democracia no Brasil, evento organizado no Rio de Janeiro pela Via Campesina, a Frente Brasil Popular e a Frente de Juristas pela Democracia. Segundo a sentença, que será encaminhada ainda esta semana aos senadores e aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), “o processo de impeachment da presidenta da República, nos termos da decisão de sua admissibilidade pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, viola todos os princípios do processo democrático e da ordem constitucional brasileira.

Participaram do corpo de jurados o bispo mexicano Raul Veras, que ficou conhecido por suas ações em prol dos direitos humanos quando era frei dominicano e concorreu ao Prêmio Nobel da Paz em 2010; o advogado e político mexicano Jaime Cárdenas; o jurista italiano Giovanni Tognoni, membro do Tribunal Permanente dos Povos; a senadora pelo Partido Comunista Francês Laurence Cohen; a filósofa espanhola Maria José Dulce, especialista em temas ligados à globalização; a advogada norte-americana com ascendência iraquiana Azadeh Shahshahani, especializada em defesa dos direitos humanos de imigrantes muçulmanos; o jurista e acadêmico costa-riquenho Walter Montealegre; o professor de Direito colombiano Carlos Augusto Argoti, da Universidade de Rosário, em Bogotá; e o argentino Alberto Felipe, professor da Universidade Nacional de Lanús.

Antes de proferir a sentença, os jurados tiveram de responder a quatro perguntas apresentadas pelo presidente do Tribunal, o jurista Juarez Tavares: 1) O impedimento da presidenta da República, em conformidade com os termos de sua tramitação no Congresso Nacional, viola a Constituição da República?; 2) O procedimento de impeachment, sem obter a demonstração do cometimento de delito de responsabilidade pela presidenta da República, se caracteriza como golpe parlamentar?; 3) No curso do procedimento de impeachment, o devido processo legal, cláusula constitucional com igual respaldo na Convenção Americana de Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica) tem sido violada?; 4) O procedimento de impeachment caracterizado como golpe parlamentar deve ser declarado nulo e, portanto, também todos os seus efeitos?

Após ouvir as testemunhas e sustentações orais da acusação e da defesa e examinar todos os documentos, pareceres e declarações constantes dos autos, o júri internacional por unanimidade respondeu sim às quatro perguntas propostas por Tavares: “O fundamento comum de todos os pronunciamentos ofertados no Tribunal reside na vacuidade do pedido de impeachment e na inexistência de delito de responsabilidade ou de conduta dolosa que implique um atentado à Constituição da República e aos fundamentos do Estado brasileiro. Os jurados entenderam que o impedimento neste caso se caracteriza como verdadeiro golpe ao Estado Democrático de Direito e deve ser declarado nulo em todos os seus efeitos”, diz a sentença. Segundo os jurados, “o golpe em curso no Brasil também incorpora outras motivações, como o mal-estar das elites frente ao acesso das camadas mais pobres da população aos recursos da sociedade de consumo e também frente à ampliação dos gastos com programas sociais de integração necessários ao cumprimento de finalidades expressas na Constituição brasileira em seu Artigo 3, como a redução da pobreza e da marginalização e a redução das desigualdades sociais e regionais.


Sessão da Câmara de Vereadores de Palmeira é encerrada após desentendimento

Frente Câmara Municipal de Vereadores de Palmeira dos Índios (Foto: Rádio Sampaio)

A sessão ordinária de número 34 da Câmara de Vereadores do município de Palmeira dos Índios que aconteceu na manhã desta quarta-feira (06), foi encerrada em meio a confusão e desentendimentos entre vereadores que participavam da sessão.

O fato aconteceu durante a leitura da votação do projeto de Lei nº PM 012/2017, de autoria do poder executivo municipal, que pela ordem da pauta do dia seria a votação 02 de 15 projetos que estavam em pauta. O vereador Maxwell Feitosa estava realizando a leitura do projeto quando foi interrompido pela vereadora Adelaide França, que segundo ela não estava entendendo e pediu para debater o projeto. Ainda segundo o vereador Maxwell ele iria ler todo o projeto e no final ás duvidas seriam sanadas e deu continuidade sendo interrompido novamente, só que dessa vez pelo vereador Fabiano Gomes que pediu que fosse discutido por partes.

Nesse momento alguns vereadores discordaram do pedido, e com os microfones cortados questionaram o presidente da casa, vereador Júnior Mirada, que visivelmente exaltado encerrou a sessão deixando a população que acompanhava a sessão e a secretária de saúde, Katia Born que também estava presente perplexos.

Com isso a sessão foi encerrada sem votar e nem aprovar nenhum projeto que estava em pauta para aquela sessão, entre elas o projeto que dispõe sobre a lei orçamentária para 2018 e o projeto do Plano Plurianual. “Sempre que o presidente é questionado ou contrariado ele ameaça encerrar ou encerra a sessão e isso é um absurdo, estamos aqui para debater e questionar.” afirmou um vereador enquanto ia embora da casa de leis.

“Me sinto na locução de uma partida de futebol narrada pelo rádio, quando penso que vão votar os projetos ele já diz que foi aprovada, várias vezes presencie do vereadores votarem contra, mas ele estava tão apressado que não da tempo dos vereadores ficarem em pé.” disse o cidadão.

 


Motociclista fica ferido após bater em caminhão em Palmeira dos Índios

Homem de 57 anos sofreu cortes na face e tem suspeita de fratura na costela. Ele foi levado para a UPA da cidade.

SAMU/ILUSTRAÇÃO

Um motociclista de 57 anos ficou ferido após colidir contra um caminhão na AL-115, no município de Palmeira dos Índios, Agreste de Alagoas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima, que não teve a identidade revelada, foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. O homem sofreu cortes na face e tem suspeita de fratura na costela. O estado dele é estável.

Já o motorista do caminhão não sofreu ferimentos.


Ocupantes de caminhão são baleados na estrada durante tentativa de assalto

Um condutor de um caminhão e o ajudante dele ficaram feridos após serem baleados, no início da manhã desta quarta-feira (7), no trevo que fica próximo ao município de Tanque d’Arca. Eles teriam sido abordados na estrada por um grupo de criminosos.

O bando exigiu que o condutor parasse o caminhão e, diante da negativa do motorista, efetuaram disparos contra os ocupantes do caminhão.

Segundo testemunhas que passavam pelo local, após ser baleado, o motorista perdeu o controle do caminhão e acabou capotando o veículo. Ele teria sido atingido na cabeça. Já o ajudante ficou ferido de raspão.

As identidades das vítimas não foram reveladas e nem o estado de saúde deles. Até as 8h50, o caminhão continuava no acostamento da pista esperando ser removido.

Equipes do Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Tanque d’Arca foram acionadas para fazer os primeiros levantamentos da ocorrência.


Vazador do vídeo de William Waack posa em bancada da Globo

A Globo ordenou uma varredura em câmeras de segurança na sua redação em São Paulo na noite desta terça-feira (5). Segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL, o motivo foi que Diego Rocha, ex-funcionário da Globo que disse ter gravado e vazado o vídeo que exibia William Waack fazendo um comentário racista, entrou na emissora sem ser notado.

Segundo o colunista, uma prova de que a foto é recente é que a redação sofreu mudanças, com alteração no layout e disposição das mesas. A Globo estaria tentando descobrir quando e quanto tempo Diego Rocha ficou na emissora, por onde andou, quem autorizou sua entrada e quem foi que o fotografou dentro da redação posando na bancada.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey