A campanha Setembro Amarelo do movimento mundial contra o suicídio é marcada por ações e conscientização contra o suicídio, que a cada ano tem crescido assustadoramente em todo o mundo.

O Setembro Amarelo vem chamar a atenção para esta doença que existe prevenção em mais de 90% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde.

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Pelo menos o triplo de pessoas tentaram tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio. Apesar de números tão alarmantes, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que só colabora para seu aumento dos casos, pois as pessoas muitas vezes não sabem que podem procurar ajuda.

Por essa razão, o CVV – Centro de Valorização da Vida, uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962, está engajada e promovendo atividades neste  movimento iniciado há dois anos no Brasil, chamado Setembro Amarelo. A ideia é divulgar a causa intensamente durante o mês, já que no dia 10 é celebrado o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, tendo como parte fundamental a iluminação ou coloração de amarelo de locais, construções ou monumentos e, ainda, a colocação de laços amarelos nas fachadas de prédios públicos e privados para lembrarmos que devemos, sim, falar sobre a prevenção do suicídio.

Em Paracatu, os casos de suicídios aumentado se comparado com o ano passado. Segundo dados do Registro de Eventos de Defesa Social (REDS) divulgado pela Polícia Miliar de Paracatu, em 2017 foram registrados 13 ocorrências relacionadas a casos de suicídios. Sendo que em 2018, foram registradas 14 ocorrências de suicídios no município, somando um total de 27 suicídios.

Entre os casos de suicídios no município, 11 são mulheres e 16 são homens, destes casos, dois envolvendo adolescentes com idade de 12 a 17 anos. Oito casos registrados com idade entre 18 a 29 anos e dois casos com idade entre 35 a 64 anos. A maioria dos casos de suicídios consumados, foram registrados com idade de 35 a 64 anos, somando 15 pessoas.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *