Por 14 a 2 , ALE mantém veto a projeto que altera idade máxima na Polícia Militar

Assembleia Legislativa de Alagoas manteve o veto parcial do governo do Estado à emenda do deputado estadual Francisco Tenório (PMN) que altera a idade máxima de ida para a reserva de militares da PM e do Corpo de Bombeiros, com 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. Na votação, o governo contou com o apoio de 14 parlamentares contra dois votos contrários.

Proposta pelo deputado Francisco Tenório (PMN), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa de Tavares Bastos, a matéria foi aprovada em plenário, mas vetada pelo Poder Executivo, quando submetida a sua apreciação. Se a proposta defendida por Tenório fosse aprovada, os militares poderiam trabalhar até os 65 anos.

De volta ao plenário para ser apreciado, o texto contou com o voto contrario do Cabo Bebeto (PSL), que até o ano passado integrava as fileiras da Polícia Militar. Segundo revelou, o veto se derrubado iria prejudicar a promoção dentro da corporação.

Foi o Cabo Bebeto quem conseguiu adiar a apreciação da matéria em plenário em duas oportunidades, o que acabou arrastando a matéria para a sessão da tarde desta quarta-feira. Mesmo tendo sido eleito fora do “chapão” que deu maioria ao governo na Casa, Bebeto optou por se manter ao lado da maioria dos militares da corporação.

A favor

A opinião do deputado vai de encontro ao que defendia a Associação dos Coronéis Militares de Alagoas. De acordo com a entidade, a medida vai evitar que pouco mais de 2 mil militares sigam para a reserva ao longo deste ano, obrigando o governo de Alagoas a fazer uma nova seleção para recompor as fileiras da corporação.

Os oficiais e as entidades de classe compareceram as galerias para pressionar os parlamentares. Mas, o esforço não surtiu efeito, já que com ampla maioria na Casa, o Executivo se articulou e manteve sua posição contra a alteração do texto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *