Mortes no trânsito caem 74% nos últimos seis anos em Alagoas, aponta Detran

As mortes por acidentes de trânsito em Alagoas reduziram 74,5% entre 2011 e 2017, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (15) pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AL). Os índices de atendimento a vítimas de acidentes também caiu.

De acordo com o Detran, a meta na redução das mortes no trânsito era de 50% até 2020. Esse índice foi estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), na Década de Ações para a Segurança do Trânsito, iniciada em 2011.

O percentual que mostra que Alagoas superou a meta definida pela ONU três anos antes do fim da década foi obtido a partir de dados fornecidos pelo Instituto de Medicina Legal (IML).

Nos últimos três anos, o número de mortes caiu gradativamente. Em 2015, foram 115, em 2016, 91, e no ano passado, 70.

Com relação ao atendimento a vítimas de acidentes, a queda foi sentida a partir de 2012, ano da implantação da Operação Lei Seca. O ano de 2017 terminou com 32% menos ocorrências do tipo do que 2012.

Estratégias

A Lei Seca, inclusive, é apontada como a maior responsável pela queda desses índices. Ainda segundo o Detran, em 2013, a cada 11 testes do bafômetro, em um era comprovada a embriaguez do motorista. Em 2017, passou a ser comprovada embriaguez em um a cada 19 motoristas.

O chefe de segurança de trânsito do Detran, Antônio Monteiro, explica que, além da operação, o estudo de estatísticas de acidentes a partir de 2010 ajudou a entender qual era o problema e a definir métodos para combatê-lo.

“A intensificação da fiscalização, a definição de foco de políticas públicas nos acidentes com motos, que consistem em cerca de 40% das mortes no trânsito em Alagoas, e o Plano de Segurança Viária para Motociclistas (PSVM), que foi implantado como projeto-piloto em Arapiraca e contribuiu para a redução de 32% no número de mortes no Estado e, indiretamente, para os números de Maceió, foram fatores essenciais”, afirma Monteio.


Deixe uma resposta