FPI detêm dois e apreendem mais de 200 pássaros silvestres

| Redação Rádio Sampaio


FPI do São Francisco iniciou os trabalhos em três estados nesta segunda-feira

201611211040_a13471668fDuas pessoas foram detidas e mais de 200 pássaros silvestres foram apreendidos durante a Fiscalização Preventiva Integrada do Rio São Francisco da Tríplice Divisa (FPI do São Francisco). O flagrante aconteceu pela equipe de fauna na manhã desta segunda-feira (21), na feira do município de Arapiraca, no Agreste de Alagoas. As aves foram resgatadas e levados ao centro de triagem montado especialmente para receber os animais que serão recolhidos ao longo dos 13 dias da força-tarefa.

O trabalho da FPI começou por volta das 05h da manhã e, dentre as espécies resgatadas, estavam Curió, Papa-Capim, Extravagante, Azulão, Galo de Campina, Rolinha e Sabiá. Grande parte dos animais apresentava sinais de maus tratos, segundo os técnicos. Além das aves, uma iguana foi encontrada.

Durante a ação, dois homens foram detidos, Luiz Carlos dos Santos e José dos Santos Silva. O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) lavrou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), já que os crimes de comércio ilegal, maus tratos e venda de animais silvestres são de menor potencial ofensivo.

O promotor de Justiça Alberto Fonseca, do Núcleo de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), afirmou que, apesar dos ilícitos não serem considerados graves, é importante coibir a venda ilegal das espécies silvestres para que as aves não sejam ameaçadas de extinção.

FOTO: Divulgação/MPE

“Esse é um dos objetivos da FPI, prevenir que os crimes já cometidos contra o meio ambiente se agravem ainda mais. Aqui temos espécies de  pássaros importantes para a fauna do Sertão e que podem entrar na lista vermelha do Ibama, que é aquela que mostra quais são os animais com risco de extinção”, declarou.

Maus tratos

O que mais chamou a atenção da equipe da fauna foram os sinais de maus tratos em algumas aves. Parte delas tinha os bicos quebrados e feridas nas cabeças. Todas estavam sem água e comida em suas gaiolas.

FPI apreende mais de 200 pássaros silvestres em Arapiraca

“Quando elas são apreendidas pelos traficantes e colocadas na gaiolas, acabam se ferindo porque se debatem muito. Além disso, para não chamarem tanta atenção, os caçadores transportam os animais em gaiolas bem pequenas, que são comumente chamadas de viajantes. São mais de 10 pássaros se espremendo em um espaço minúsculo e isso acaba os machucando. E muitos deles morrem durante esse transporte”, explicou um fiscal do Instituto do Meio Ambiente (IMA).

Redação com GazetaWeb

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: