“Trocar” incentivo fiscal por empregos. Essa tem sido a fórmula adotada pelo Governo de Alagoas para atrair e fixar novas empresas no Estado e assim dinamizar a economia. Na manhã desta sexta-feira (25), o governador Renan Filho assinou os decretos de concessão de benefícios fiscais para mais 19 empresas, durante solenidade realizada no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares.

“O incentivo fiscal significa trocar imposto – a arrecadação de tributos – por empregos. É basicamente isso. O Estado ganha quando arrecada, porque ele consegue melhorar a saúde, a segurança, pagar o servidor em dia, fazer investimentos em infraestrutura. Mas o Estado também ganha quando eleva a quantidade de empregos na economia, porque as pessoas compram com os seus salários e isso também se transforma em arrecadação”, explicou Renan Filho.

 

Os benefícios concedidos pelo Governo do Estado fazem parte do Programa de Desenvolvimento Integrado (Prodesin) que, a partir da modernização em 2016, passou a oferecer a redução de 92% no pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na saída dos produtos industrializados, além do diferimento do ICMS sobre os bens destinados ao ativo fixo, a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos e na aquisição interna de energia elétrica e gás natural.

 Márcio Ferreira

“Trata-se do melhor programa de incentivo fiscal do País”, garantiu o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito. Durante a solenidade, ele revelou que, aliadas ao Prodesin, a redução dos índices de violência, a transparência e a solidez fiscal do Estado têm elevado a competitividade de Alagoas no cenário nacional, atraindo para cá mais indústrias, gerando mais empregos. “Alagoas tá na moda! Tá na moda no turismo, tá na moda na indústria. As pessoas lá fora têm reconhecido o esforço que o Governo do Estado tem feito nesse sentido”, destacou Brito.

Das 19 empresas beneficiadas com os decretos, dez receberam incentivos fiscais, quatro obtiveram benefícios fiscal e locacional e cinco tiveram os incentivos prorrogados. Nove delas estão se instalando em Alagoas. A chegada das novas empresas, bem como a manutenção e a expansão das que já operam por aqui, representa mais de R$ 270 milhões em investimentos no estado e a geração de, aproximadamente, 6.700 empregos, entre diretos e indiretos. Esses empreendimentos tiveram os incentivos aprovados pelo Conselho Estadual do Desenvolvimento Econômico e Social (Conedes).

Maior fabricante do mundo de embalagens cartonadas para alimentos – presente em 80 países – a chinesa GSPPak vai se instalar em Rio Largo, com previsão para iniciar as operações no final deste ano. Serão gerados cerca de 500 postos de trabalho pela unidade, umas das beneficiadas com incentivos fiscal e locacional concedidos pelo Governo de Alagoas.

“Ficamos muitos felizes em vir para Alagoas e instalar uma fábrica aqui. O Governo do Estado nos deu muita atenção e concedeu todos os benefícios. Com isso, o custo vai ficar muito mais barato, bem como o produto para o nosso consumidor final”, revelou o sócio-diretor da GSPak, Samuel Shen.

 

A Kapazi – “Kapachos e Tapetes” – é outra empresa a se instalar em Alagoas. Fundador, o empresário Joserli Perez explica que o incentivo concedido pelo Governo do Estado foi fundamental para a fixação da unidade em Alagoas, no Polo Industrial de Marechal Deodoro. A matriz fica em Curitiba (PR). “Esse incentivo fiscal – como os impostos são muito altos – é muito importante para a sobrevivência de nossa empresa, que será mais competitiva para poder concorrer melhor com os importadores e as empresas locais. Então, vamos ter uma redução de custo muito boa”, avaliou, informando que a empresa começa a operar nos próximos dias, gerando 125 empregos diretos, inicialmente.

Os hotéis Salinas (Maceió e Maragogi) já estão instalados em dois municípios e também foram beneficiados com o Prodesin. Juntos, mantêm cerca de 750 postos de trabalho, segundo informou o gerente-geral do Salinas Maragogi All Inclusive Resort, Ricardo Almeida. Com a abertura, ainda neste primeiro semestre, de mais um resort – desta feita em Japaratinga – serão mais de 1 mil empregos gerados pelo grupo Salinas em Alagoas.

“O incentivo contribui de forma muito decisiva na questão do custo de reposição de nossos equipamentos. O ICMS é praticamente todo subsidiado e a gente consegue com isso acelerar todo o processo de renovação dos equipamentos, atualizando e modernizando o hotel, atendendo às exigências que cada vez são maiores por parte dos nossos clientes”, disse Almeida, presente ao evento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *