82 99641-3231

Bolsonaro lidera corrida presidencial com 59%; Haddad tem 41%, aponta Ibope

O Ibope divulgou nesta segunda-feira (15) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado na sábado (13) e domingo (14), e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 59%

Fernando Haddad (PT): 41%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 52%

Fernando Haddad (PT): 37%

Em branco/nulo: 9%

Não sabe: 2%

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos

Entrevistados: 2506 eleitores em 176 municípios

Quando a pesquisa foi feita: 13 e 14 de outubro

Registro no TSE: BR‐01112/2018

Nível de confiança: 95%

Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.


Bolsonaro propõe 13º a beneficiários do Bolsa Família

Brasília(DF), 08/03/2018 Solenidade de Filiac?a?o do Deputado Jair Bolsonaro ao PSL. Local: Câmara dos Deputas – Brasília DF. Igo Estrela/Metrópoles

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL), decidiu que vai incluir em sua proposta de governo o pagamento de 13º aos beneficiários do programa Bolsa Família.

A informação foi dada ao portal O Antagonista.

A proposta, conforme dita pelo presidenciável ao portal, é do general Hamilton Mourão, candidato a vice na chapa.

Em meio a declarações polêmicas em série, Mourão chegou a afirmar que a gratificação é uma invenção que só existe no Brasil.

A sugestão também foi avalizada pelo economista Paulo Guedes, guru econômico de Bolsonaro.


Datafolha: Bolsonaro tem 58% dos votos válidos, Haddad tem 42%

O Instituto Datafolha divulgou nesta quarta-feira (10) resultado de pesquisa de opinião que indica que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 49% das intenções de voto e Fernando Haddad (PT) tem 36%. O número de eleitores indecisos ou que declaram votar em branco é de 8%.

Seis por cento não souberam ou não quiseram responder. Considerando os votos válidos (sem nulos, brancos e indecisos), a vantagem de Jair Bolsonaro (58%) é de 16 pontos percentuais (42%).

Essa é a primeira pesquisa do Datafolha no 2º turno. O levantamento ouviu nesta quarta-feira 3.235 pessoas de 227 municípios. Como ocorria nas pesquisas do 1º turno, a margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos. A margem de confiança é de 95%.

A pesquisa foi contratada pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (BR-00214/2018), junto com detalhamento do questionário aplicado e com os locais de realização das entrevistas.

Apoio de presidenciáveis

Conforme o Datafolha, 63% dos eleitores decidiram o voto “pelo menos um mês antes” da eleição. Dez por cento dizem ter sido 15 dias antes; 8%, uma semana antes; 6%, na véspera e 12% no dia da eleição.

A pesquisa ainda levantou a opinião dos entrevistados sobre o destino do apoio dos demais presidenciáveis que disputaram o primeiro turno. No caso de Ciro Gomes (PDT), terceiro colocado no primeiro turno, 46% opinam que o apoio deveria ir para Fernando Haddad, e 40%, para Jair Bolsonaro.

No caso de Marina Silva (Rede), 43% apontam que o apoio deveria ir para Fernando Haddad, e 38%, para Jair Bolsonaro. No caso de Geraldo Alckmin (PSDB), 47% opinam que o apoio deveria recair para Jair Bolsonaro, e 37% para Fernando Haddad.

O Datafolha também verificou se o apoio dos presidenciáveis derrotados no primeiro turno poderia levar o entrevistado a escolher um dos dois candidatos. No caso de Ciro, 21% dos entrevistados admitiram votarem quem o candidato apoiasse. No caso de Marina, 11%; e no caso de Alckmin, 14%.

 


Dilma é derrotada em Minas enquanto Aécio é eleito deputado

Se, há quatro anos, Dilma Rousseff (PT) saía à frente de Aécio Neves (PSDB) nas eleições presidenciais, agora, na disputa por cargos do Legislativo por Minas Gerais, a ex-presidente perdeu no Senado, enquanto o tucano garantiu o cargo de deputado federal. Contrariando as pesquisas, que davam como certa a vitória da petista, os mineiros elegeram Rodrigo Pacheco (DEM) e Carlos Viana (PHS), com 20,54% e 20,28% dos votos válidos, respectivamente. A candidata do PT teve 2.658.852 votos e ficou em quarto lugar, com 15,4% da preferência dos eleitores. Aécio Neves (PSDB), que há quatro anos enfrentava a petista nas urnas na corrida presidencial, conquistou perto de 106 mil votos e garantiu uma cadeira na Câmara dos Deputados.

A derrota de Dilma Rousseff pegou de surpresa os militantes, que lamentavam, na noite de ontem, o resultado da apuração. “Minha crítica é principalmente ao sistema, recheado de diversos partidos que são mais do mesmo. O que há de novo no partido Novo? Enquanto não tivermos uma reforma política, o cidadão será a vítima”, analisa Abelar Quintiliano, filiado ao partido, em entrevista ao Estado de Minas. Ao votar pela manhã, na região da Pampulha, a ex-presidente criticou o processo de impeachment, que a tirou do Palácio do Planalto, em 2016. “Hoje é um momento muito especial para o país porque estamos reafirmando a democracia no Brasil, que foi tão golpeada tanto no impeachment quanto no processo de sucessão”, disse.

Pacheco (DEM) e Viana (PHS) terão oito anos de mandato, a partir de 2019. O primeiro é advogo e deputado federal. Foi candidato a prefeito de Belo Horizonte nas eleições de 2016 e terminou a disputa em terceiro lugar. Já Viana é de Braúnas. Jornalista, trabalha na Rádio Itatiaia e também é formado em Estratégia pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais (CEPEAD/UFMG).


Rodrigo Cunha e Renan Calheiros são eleitos senadores por Alagoas

Renan Calheiros (MDB) e Rodrigo Cunha (PSDB) foram eleitos, neste domingo (07), senadores por Alagoas. Com 100% das urnas apuradas, Renan Calheiros recebeu 607.604 votos (23,95%), ficando atrás de Rodrigo Cunha, eleito com 870.161 votos (34,30%). Este é o quarto mandado de Calheiros para o senado e o primeiro mandado de Cunha, que estava em seu primeiro mandato como deputado estadual.

Além de Cunha e Calheiros, Biu de Lira (PP), Maurício Quintela (PR),Flávio Moreno (PSL), Professor Cícero Albuquerque (PSOL), Osvaldo Maciel (PCB), Sérgio Cabral (Patriotas) e Flávia Melo (PCO), disputaram as vagas no senado por Alagoas.

Neste ano o eleitor escolheu dois candidatos ao Senado, visto que o mandato é oito anos, apesar das eleições para este cargo político ocorrerem quatro em quatro anos. Assim, a cada eleição, a Casa renova, alternadamente, um terço e dois terços de suas 81 cadeiras. Neste ano, 54 vagas estavam em disputa no país.


Jair Bolsonaro e Fernando Haddad se enfrentam no segundo turno das eleições para presidente

Neste ano de 2018, as eleições presidenciais geraram imensas expectativas entre eleitores de todo o país e, mais uma vez, o Brasil ficou dividido entre praticamente dois grupos: os petistas e os bolsonistas.

Sendo assim, o resultado da apuração dos votos válidos para a Presidência da República definiram dois candidatos para o segundo turno das eleições presidenciais em 2018: Jair Bolsonaro (PSL), com 46,06%, e Fernando Haddad (PT), com 29,23% dos votos válidos contabilizados até o momento.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey