Palmeira dos Índios
27 ºC Céu Limpo

Palmeira dos Índios | Céu Limpo
27 ºC

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

Caso Mariana: laudo do IML aponta que jovem foi morta por asfixia

Suspeito de matar universitária Mariana Bazza, de Bariri, ajudou a jovem a trocar o pneu — Foto: TV TEM/Arquivo Pessoal
Suspeito de matar universitária Mariana Bazza, de Bariri, ajudou a jovem a trocar o pneu — Foto: TV TEM/Arquivo Pessoal

A universitária Mariana Bazza, encontrada morta depois de ficar um dia desaparecida, foi assassinada por asfixia mecânica causada por estrangulamento, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Araraquara (SP).

A jovem desapareceu ao sair da academia onde frequentava, em Bariri (SP), no dia 24 de setembro. Ela foi encontrada morta um dia depois em uma área de canavial em Ibitinga (SP).

Segundo a Polícia Civil, o laudo do IML não informa sobre abuso sexual, porém, a polícia não descarta o crime. Outros laudos foram pedidos pela polícia e ainda estão sendo elaborados em São Paulo. O resultado deve sair em até 60 dias.

O suspeito de matar Mariana, Rodrigo Alves Pereira, ajudou a universitária a trocar o pneu do carro momentos antes dela desaparecer.

Ele foi preso em Itapólis (SP) e está sendo indiciado por latrocínio, que é o roubo seguido de morte, por ter levado o carro da vítima. O veículo também foi encontrado em Itápolis.

Uma câmera de segurança da academia registrou quando Rodrigo aborda Mariana para falar que o pneu estava murcho.

Imagem mostra suspeito abordando Mariana Bazza e amiga dela na frente de academia — Foto: Reprodução/TV Globo
Imagem mostra suspeito abordando Mariana Bazza e amiga dela na frente de academia — Foto: Reprodução/TV Globo

Nas imagens dá para ver os dois conversando até que, Rodrigo atravessa a avenida e entra em uma chácara. Mariana entra no carro e vai até o local na sequência.

Print mostra últimas mensagens de Mariana Bazza enviadas para o namorado — Foto: Arquivo Pessoal
Print mostra últimas mensagens de Mariana Bazza enviadas para o namorado — Foto: Arquivo Pessoal

No imóvel, o suspeito trocou o pneu do carro de Mariana. A jovem chegou a fazer uma foto dele trocando o pneu e mandou para parentes.

Na sequência do vídeo, o carro de Mariana deixa a chácara. A polícia diz que Rodrigo estava na direção do veículo. Ainda conforme a polícia, Rodrigo estava trabalhando como pintor no imóvel.

Além da foto, Mariana chegou a mandar mensagens ao namorado. O G1 teve acesso à conversa entre Mariana e Jefferson Vianna.

Nas mensagens pelo WhatsApp, é possível ver que a universitária avisa sobre o pneu furado, os procedimentos que estavam sendo feitos e que recebia ajuda do suspeito. Mariana e o namorado mantiveram contato até 8h36. Uma das últimas mensagens da jovem foi “terça-feira pesada”.

Crime premeditado?

A polícia investiga se Rodrigo premeditou o crime e se teria murchado o pneu do carro da jovem para forçar uma aproximação.

Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, foi preso suspeito de matar universitária de 19 anos em Bariri — Foto: TV TEM/Reprodução
Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, foi preso suspeito de matar universitária de 19 anos em Bariri — Foto: TV TEM/Reprodução

Em outro vídeo de câmera de segurança Rodrigo aparece encostado no carro da Mariana, que está estacionado próximo à academia. As imagens foram gravadas às 7h51, quando a jovem ainda estava no local.

O vídeo mostra que Rodrigo sai da chácara, atravessa a avenida e encosta no carro de Mariana, um Gol preto. Ele fica ali por alguns minutos.

Em entrevista exclusiva à TV TEM, um vizinho da academia contou que viu o suspeito abaixado e mexendo no carro de Mariana.

Mariana enviou a foto do suspeito trocando o pneu do carro em Bariri — Foto: TV TEM / Reprodução
Mariana enviou a foto do suspeito trocando o pneu do carro em Bariri — Foto: TV TEM / Reprodução

“Eu vi que ele estava agachado no pneu do carro. Talvez murchando, sei lá, fazendo alguma coisa. Quando ele me viu até se assustou e levantou. Ele foi até o canteiro e ficou mexendo nas árvores que estão ali, meio que disfarçando a situação. Eu estava saindo para trabalhar, então fui embora”, relatou o homem, que preferiu não se identificar.

“Nós estamos em diligências para conseguir novas imagens e também testemunhas que possam colaborar e tirarmos essa dúvida se ele premeditou ou foi uma mera ocasionalidade”, afirma o delegado Durval Izar Neto, responsável pelas investigações.

Ainda segundo o delegado, inicialmente o inquérito foi aberto como latrocínio consumado, mas são apurados também estupro, homicídio e sequestro.

Rodrigo teve a prisão preventiva decretada em audiência de custódia realizada no dia 25 de setembro. Ele negou que tenha matado Mariana e apontou a existência de outra pessoa como responsável pelo crime. No entanto, a polícia acha pouco provável que essa hipótese seja verdadeira.

“Ele fala de uma terceira pessoa que estaria com o veículo, porém imagens mostram que ele saiu com o veículo. E não há informações dessa terceira pessoa, não há imagens, não há testemunhas. Não vamos descartar, mas é pouco provável que exista outra pessoa envolvida.”

Mariana Bazza, de 19 anos, foi encontrada morta após desaparecer em Bariri — Foto: Facebook/Reprodução
Mariana Bazza, de 19 anos, foi encontrada morta após desaparecer em Bariri — Foto: Facebook/Reprodução

O delegado aguarda outros laudos periciais, além de informações sobre os locais por onde o suspeito passou, para concluir o inquérito e encaminhar à Justiça.

“Os exames vão apontar a hora da morte para podermos saber onde ela foi morta, porque existem duas possibilidades: ou ele matou a Mariana na chácara ou no local onde o corpo foi encontrado”, afirma Izar Neto.

Mariana foi achada morta em área de canavial em Cambaratiba, distrito de Ibitinga, cidade próxima a Bariri. Ela estava de bruços, com as mãos amarradas para trás e um tecido no pescoço.

A jovem foi enterrada no início da tarde de 26 de setembro, sob forte comoção, no Cemitério Municipal de Bariri.

 

 

 

 

 

*  Com G1


Proposta de Maia e de grupo do pacote anticrime prevê investigação de milícias pela PF

O grupo de trabalho que discute o pacote anticrime na Câmara dos Deputados fechou uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para que as milícias sejam investigadas pela Polícia Federal.

A proposta, de autoria do deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), será assinada por todos os deputados do grupo, segundo a presidente do grupo, a deputada Margareth Coelho (PP-PI).

Ela contou ao blog que já conversou com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a respeito do tema.

Maia confirmou que a Câmara vai analisar a proposta e quer avançar no tema.

“É um crime tão sério, que a avaliação dos deputados do grupo, com a qual concordo, é de que é melhor a Polícia Federal investigar do que as polícias locais. Vamos trabalhar para avançar no tema na Câmara”, disse ele ao blog.

Originalmente, a proposta estava prevista no relatório do deputado Capitão Augusto (PL-SP), a partir da sugestão apresentada pelo ministro Alexandre de Moraes, mas a mudança seria incorporada ao Código Penal.

A deputada Margareth Coelho disse ao blog que o grupo decidiu transformar em PEC as matérias que têm foro na Constituição Federal.

Isto é, como os deputados defendem que o crime de milícia seja federalizado e, com isso, julgado pela Justiça Federal, precisa ser feita uma alteração na Constituição, que define os tipos de crimes que devem ser julgados na esfera federal.

Freixo , que comandou a CPI das Milícias quando era deputado estadual no Rio de Janeiro, disse ao blog que é “fundamental” a Polícia Federal como responsável pelas investigações.

“São as polícias locais que deveriam investigar, Mas, muitas vezes, há policiais da ativa no comando das milícias. Se você olhar o histórico da CPI das Milícias, na época (2008) teve muita prisão. Mas, de lá para cá, dez anos depois, continuaram a dominar território, crescendo atividades econômicas mas nenhum departamento específico para investigar milícia foi criado”, afirmou.

Segundo ele, “é fundamental que a [Polícia] Federal seja forçada a investigar. Nem que trabalhe em cooperação, mas a responsabilidade tem de ser de uma polícia mais independente no Estado. É o espírito da PEC, que já está assinada e agora vamos coletar as 171 assinaturas para que ela comece a tramitar”.

Margareth Coelho afirmou que o grupo vai começar a recolher as assinaturas na terça-feira. Ela disse também que, se a proposta sobre milícias fosse a que estava prevista no pacote anticrime, e não pela PEC, a pena para as milícias em alguns casos seria menor do que a lei impõe atualmente.

*   Com G1/ texto por Andréia Sadi.


Câmera de segurança flagra mulher roubando bíblias em loja de Maceió

Flagrante foi feito na terça-feira (1º) — Foto: Reprodução / TV Gazeta

Uma mulher foi flagrada na terça-feira (1º) pelo circuito de segurança de uma loja de um shopping de Maceió roubando bíblias.

Segundo os funcionários do estabelecimento comercial, essa é a segunda vez que a suspeita é flagrada pegando objetos da loja.

Na primeira ocasião ela pegou um fone de ouvido no valor de R$ 300 e recentemente foi flagrada levando duas bíblias da livraria.

A gerência da loja registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil para tentar localizar a mulher.

*  Com G1

Adolescente é apreendo após roubar academia na Santa Amélia, em Maceió

Central de Flagrantes I noite — Foto: Jonathan Lins/G1

Um adolescente de 16 anos foi apreendido na noite de quinta-feira (3) após invadir e roubar uma academia na Santa Amélia, em Maceió.

Segundo militares do 4º Batalhão, uma dupla invadiu a academia e roubou um notebook e celular. O adolescente foi detido por um agente penitenciário. O outro suspeito conseguiu fugir.

O adolescente estava com o celular roubado que foi devolvido. O adolescente apontou a casa do outro suspeito, mas ele não estava em casa.

O adolescente foi levado para a Central de Flagrantes I, onde foi autuado.

 

 

 

 

 

*   Com G1


Jovem marca encontro pela internet e é encontrada morta em Olho D’Água Grande

Jovem marca encontro pela internet e é encontrada morta em Olho D’Água Grande

Uma jovem identificada como Maria Carla Lucas da Silva, de 18 anos, foi encontrada morta e enterrada em uma cova rasa nesta quinta-feira (3), no Sítio do Meio, zona rural de Olho D’Água Grande, Agreste de Alagoas.

De acordo com familiares, Maria Carla estava desaparecida desde a segunda-feira (30). Ela teria saído de casa, após marcar um encontro com um homem através das redes sociais. O suspeito de ter praticado o crime foi encontrado enforcado dentro de casa, na manhã de terça-feira (1º). Ele tiria tirado a própria vida

Segundo amigos da vítima, o suspeito se passava por um jovem que se chamava Yuri, também de 18 anos. Ele teria feito um perfil falso no facebook e marcou encontrar com a jovem. No encontro, a moça notou que tratava- se de outra pessoa, diferente da apresentada na rede social e quis ir embora, ao descobri que ele era na verdade um vizinho.

A suspeita da polícia se deu após um processo de investigação, onde foi quebrado o sigilo das trocas de mensagens entre ambos. O corpo da jovem estava enterrada a cerca de 200 metros de onde morava com os pais.

Os Institutos Médico Legal (IML) e de Criminalística (IC) foram acionados para a realização da perícia no local. A Polícia Civil investiga o caso.

Corpo de Maria Carla foi encontrado na zona rural de Olho D’Água Grande
Redes sociais

 

 

 

 

*  Com Todo Segundo


Mulher de 63 anos é detida em Palmeira dos Índios ao tentar sacar dinheiro com documento falso.

Uma mulher de 63 anos foi detida em Palmeira dos Índios ao tentar sacar dinheiro com documento falso – Foto: Google Maps

No início da tarde de ontem, quarta-feira (02), por volta do meio-dia, uma mulher identificada como Cleonice Dias Oliveira, de 63 anos, foi detida ao tentar efetuar um saque de um empréstimo usando um RG falso, na agência do Banco Itaú de Palmeira dos Índios.

A guarnição de Rádio Patrulha se encontrava na 5ª Delegacia Regional de Polícia quando foi solicitado o apoio pela Polícia Civil em uma ocorrência de suposto uso de documento falso no Banco Itaú.

Chegando ao local foi constatado que a suposta autora tentava efetuar um saque de um empréstimo usando um RG falso. Questionada, ela afirmou que teria vindo de Delmiro Gouveia e que receberia RS500,00 reais para fazer esse saque utilizando o documento falso.

A suposta autora foi conduzida para a 5ª Delegacia Regional de Polícia de Palmeira dos Índios (5ª DRP) para os devidos procedimentos.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2020 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey