82 99641-3231

Alagoana recebe crianças carentes na piscina de casa e relato emociona

Alguém já te salvou de ti mesmo⁉ Hoje eu acordei péssima, às vésperas do Exame da Ordem [OAB], os nervos à flor da pele, entre tantas preocupações que temos no dia a dia. Fui fazer um suco, e percebi que o açúcar havia acabado. Eu estava tão estressada que comecei a chorar, e não era por causa do açúcar ou que eu não tivesse dinheiro para comprar, era um misto de emoções que do nada eu explodi em pranto…

Assim começou a última terça-feira (29) da bacharel em Direito Débora Oliveira, na casa onde vive com seus dois filhos, em um bairro nobre na cidade de São Miguel dos Campos, no interior de Alagoas.

O que parecia mais um dia de tensão dividido entre os estudos para a temida prova de classificatória da Ordem dos Advogados do Brasil, os filhos e demais atividades cotidianas, teve sua rotina quebrada por um pedido que chegou bem no momento em que a alagoana extravasava sua tensão na dispensa da casa.

Cinco crianças da mesma família, que percorriam a rua da casa onde a advogada mora pedindo ajuda, tocaram sua campainha, na tentativa de conseguirem algo para comer. Mesmo abalada, a mulher iniciou uma conversa no portão e percebeu que eles tinham sede.

Um convite para entrar era o que eles estavam esperando. “O garotinho menor falou: tia, deixa a gente tomar banho na sua piscina? Fiquei sem palavras, e falei: ela está suja. Ele falou: a gente limpa e se a senhora deixar a gente limpar a grama também, e tomamos banho com sabão para entrar na sua piscina. (Claro que eu não deixei eles limparem nada). Eu os convidei para entrar e quando viram a piscina com os olhos brilhantes de alegria e começaram a falar euforicamente”, prossegue em seu relato, que já tem mais de 15 mil curtidas no Instagram. Leia abaixo.

Ao TNH1, Débora contou que após a postagem, recebeu mensagens de todo o país, não só de apoio por sua tentativa de passar no exame da OAB, como também de pessoas querendo fazer doações para seus “novos amigos”.

“Eles chegaram aqui em casa umas 10h da manhã e almoçaram comigo e com meus filhos. Fiz um macarrão com salsicha porque era o mais prático que tinha em mãos. Almoçaram e brincaram na piscina por todo o dia, até na nossa rede eles se divertiram”, contou durante entrevista. “Fiquei encantada com a alegria daquelas crianças. Foi uma experiência transformadora que vivi, por isso quis compartilhar”, explicou.

Os quatro meninos e a menina voltaram para suas casas por volta das 16h, acompanhadas pelo filho mais velho da bacharel, por segurança. “Desde então, já tentei reencontrá-los duas vezes, mas nos desencontramos”, lamentou. “Espero que, assim como Deus permitiu que eles viessem à minha casa em um dia que eu precisava, Ele permita que eu os veja de novo, pois agora somos amigos”, garantiu Débora.

Voluntariado

Estudante da Escola Estadual Ana Lins, em São Miguel, o filho da advogada, Haul Müller de Oliveira Silva, de 16 anos, criou um projeto dois anos atrás, onde promove palestras que levam informações sobre a aplicação do Direito na vida dos jovens que cursam o Ensino Médio.

Haul foi aprovado no vestibular do curso de Direito quando tinha apenas 14 anos e estudava em uma escola particular, mas não pôde cursar devido sua idade. Foi quando ele decidiu migrar para o Ana Lins, onde passou a ter mais contato com a realidade do ensino público e conversou com a família sobre a criação do projeto.

“Após a experiência que tive com essas crianças, senti que estamos no caminho certo. Foi um gatilho para que continuássemos a impactar os estudantes com o que há de mais precioso: o conhecimento”, concluiu Débora.

FONTE: TNH1


Baixinho Boiadeiro se apresenta em júri e advogada explica razões pelas quais ele se entregou

Foragido da Justiça desde 2017, José Márcio Cavalcanti de Melo, o Baixinho Boiadeiro, surpreendeu ao comparecer nesta segunda-feira (4), ao Fórum do Barro Duro, onde ele, o irmão José Anselmo Cavalcanti de Melo (Pretinho Boiadeiro) e Thiago Ferreira dos Santos, o Pé de Ferro, estão sendo julgados por um duplo homicídio praticado em 2006, na cidade de Batalha, Sertão de Alagoas.

A advogada de Baixinho Boiadeiro, Mabylla Loriato, confirmou ao CadaMinuto que seu cliente será preso após o julgamento, em razão dos mandados de prisão existentes contra ele, pela tentativa de homicídio do fazendeiro José Emílio Dantas e pelo homicídio do vereador Tony Pretinho, ocorridos em novembro e dezembro de 2017, respectivamente.

“Ele sempre quis se entregar, a questão era a segurança dele. Ele se entregou porque não deve e veio aqui para se defender… Após acionarmos diversos órgãos, vimos que era hora de apresentá-lo”, destacou a advogada.

Segundo Mabylla, o Ministério da Justiça e o Ministério dos Direitos Humanos, além de autoridades estaduais, foram acionados pela defesa para garantir a segurança de Baixinho Boiadeiro.

O réu já está sob custódia dos agentes da Divisão Especial de Investigação e Captura da Polícia Civil de Alagoas (Deic) que estão no Fórum do Barro Duro.

De acordo com as investigações, horas após o homicídio do pai, Neguinho Boiadeiro, Baixinho tentou matar Emílio Dantas, acreditando que o fazendeiro seria o mandante do assassinato do pai. Vingança também teria motivado Baixinho a executar o vereador Tony Pretinho.

Duplo homicídio

Conforme informações do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), Baixinho Boiadeiro, Pretinho Boiadeiro e Pé de Ferro estão sendo julgados hoje pelo homicídio de Samuel Theomar Bezerra Cavalcante, ex-cunhado do ex-prefeito de Batalha, Paulo Dantas, e do sargento da PM reformado Edvaldo Joaquim de Matos. Eles também são acusados de tentativa de homicídio contra Theobaldo Cavalcante Lins.

O Ministério Público Estadual (MP-AL), representado pelo promotor de justiça Antônio Luís Vilas Boas Sousa, da 48ª Promotoria de Justiça da Capital, sustenta a acusação de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e por impossibilidade de defesa das vítimas.

Também havia denúncia contra Emanuel Messias de Melo Araújo e José Marcos Silvino dos Santos, mas ambos faleceram.

Ainda segundo o MP, o crime ocorreu na noite do dia 27 de maio de 2016, em Batalha. Acusados e vítimas bebiam em bares diferentes, localizados na mesma praça e, por conta de uma desavença, quando as vítimas entraram em um veículo para deixarem o local, os réus se efetuaram os disparos.

Réu falecido

O Tribunal de Justiça informou, por meio de sua assessoria de Comunicação, que o júri conduzido pelo juiz John Silas da Silva, titular da 8ª Vara Criminal de Maceió, pode se estender até amanhã (5).

Até o final da manhã de hoje, foram ouvidos, a vítima sobrevivente e três das quatro testemunhas intimadas. Elas relataram que a briga que culminou nos assassinatos teve início com uma discussão entre uma mulher que acompanhava Emanuel Boiadeiro e a então primeira-dama de Batalha, Marina Dantas, hoje prefeita da cidade.

Os três réus ainda serão ouvidos. O advogado de defesa deles, Raimundo Palmeira, argumenta que Emanuel Boiadeiro, falecido, foi o autor dos disparos e chegou a confessar os crimes.

O promotor, no entanto, sustenta que, ainda que não tenham puxado o gatilho, o trio julgado hoje concorreu para a ação delituosa e agiu como espécie de “garantidor do executor material”.


Segurança registra queda de 32,7% no número de homicídios em Alagoas no mês de janeiro

Os crimes de homicídio registrados em janeiro de 2019 tiveram redução de 32,7%, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Segundo dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), Alagoas registrou 109 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) nos 31 primeiros dias deste ano, enquanto que em 2018 o mesmo período contabilizou 162.

Os números foram apresentados pelo governador Renan Filho durante entrevista coletiva na sede do Complexo de Delegacias Especializadas (DHPP – DRN), em Bebedouro, na manhã desta segunda-feira (4). O encontro reuniu toda a cúpula da Segurança Pública alagoana.

Analisando os meses de janeiro dos anos anteriores é possível constatar que 2019 registra a menor queda dos últimos anos. Em 2016, houve 154 homicídios em janeiro; em 2017, foram 208.

“A gente observa que, ao longo de quase uma década, o número de mortes no mês de janeiro girou em torno de 200. Cento e nove mortes em janeiro é aproximadamente a metade do que vinha sendo registrado nessa última década em Alagoas. Então, se trata de um resultado muito significativo. Esse é um trabalho coletivo, não só da Secretaria de Segurança Pública, mas também das outras áreas: da Educação, da Assistência Social, do Esporte, da Cultura”, avaliou Renan Filho.

Na capital

Maceió também seguiu a tendência e registrou redução de 37%. O Neac contabilizou 34 homicídios em janeiro na capital. Em 2018, o mesmo mês somou 54 mortes.

“Quando o crime cai em Maceió, ele cai também em Alagoas. Normalmente segue o mesmo comportamento. A gente observa que a redução em Maceió foi ainda mais significativa. Esse é o melhor resultado da década”, destacou o governador.

Depois de encerrar o ano de 2018 registrando uma expressiva queda no número de assaltos a ônibus, a Segurança Pública também contabilizou o menor número da série histórica em janeiro. Segundo dados estatísticos, foram registrados apenas nove assaltos a ônibus, uma queda de 63,6% em relação ao ano anterior.

Renan Filho recordou que, desde 2017, o Governo do Estado vem adotando uma política específica de acompanhamento e combate a assaltos em coletivos, que envolve a Polícia Militar, a Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Roncam), o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e o Ronda no Bairro. Segundo o governador, esse trabalho conjunto é determinante para a redução dos números.

“Foram nove assaltos a coletivos nesse último mês. Trata-se do menor número da série histórica”, comemorou o governador. “O roubo a coletivo é, sobretudo, o crime contra o patrimônio que mais afeta o trabalhador, que é aquele crime que acontece quando o cidadão vai trabalhar e é assaltado dentro do ônibus. Isso é um dano brutal”, afirmou.

Em janeiro de 2018, foram 22 assaltos a coletivos – o que já foi considerado um número baixo em relação a anos anteriores. Em 2017, janeiro contabilizou 67 assaltos deste tipo e em 2016, foram 62 ocorrências.

Participaram, ainda, da coletiva o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Sampaio; do Corpo de Bombeiros, André Madeiro; o perito-geral da Perícia Oficial de Alagoas, Manoel Melo; o secretário de Estado da Comunicação, Ênio Lins; e o secretário executivo de Políticas de Segurança Pública, delegado Manoel Acácio Júnior, que representou o secretário da Segurança Pública, Lima Júnior.

Lima Júnior se encontra em Brasília (DF), onde participa de uma reunião com o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, governadores e secretários de Estado. O secretário avalia como positivos os resultados alcançados em janeiro pela Segurança Pública e destaca que, este ano, a pasta terá o desafio de bater os próprios resultados.

“Encerramos o ano de 2018 com um grande resultado, com 1.521 homicídios, o melhor número da gestão Renan Filho. Agora estamos iniciando 2019 com uma redução muito importante, pois demonstra que o trabalho das forças de Segurança segue firme. Eu só posso agradecer a todos os que fazem a Segurança Pública pelo empenho, pois nada disso seria possível sem o brilhante trabalho que vem sendo feito”, disse.

Concursos

Ainda durante a coletiva, Renan Filho anunciou que o Governo do Estado trabalha para promover concursos públicos para a Polícia Civil, com vagas para delegados e agentes; e para a Perícia Oficial.

“Estamos na fase final de organização”, revelou. “Segurança Pública se faz, sobretudo, com investimentos em inteligência, com mais presença nas ruas e com mudança de postura. Esse é o nosso trabalho. Fortalecer a Polícia Civil e a Perícia Oficial vai elevar a capacidade investigativa que, ao meu ver, é fundamental no sentido de quebrar a roda do crime, que é alimentado sempre pela impunidade”, observou.

Por fim, o governador recordou que, na semana passada, foram promovidos 367 oficiais e praças da Polícia Militar alagoana, que, somados aos 945 novos soldados que serão formados na próxima sexta-feira (8), totalizam 1.312 promoções, um recorde para a corporação.

“Hoje, talvez, sejamos um dos poucos Estados do Brasil que estão, ao mesmo tempo, pagando salários em dia, fazendo concurso público e respeitando a lei de promoções da Polícia Militar. Isso é muito significativo por conta do momento político e econômico que o Brasil está vivendo. Eu espero, em breve, anunciar outras convocações e outros concursos públicos, porque assumi um compromisso com Alagoas e vou cumprir, que é fazer concursos anuais”, arrematou.


Polícia Militar de Alagoas comemora 187 anos de existência

A Polícia Militar de Alagoas completou 187 anos neste domingo (03). Dando inicio as comemorações, foi realizada uma edição especial do Programa Vem Ver a Banda Tocar, pela manhã, no Espaço Geruza Malta, Orla de Ponta Verde, onde a população pode celebrar com os militares, esta data tão importante e significativa para o Estado.
Como parte da celebração, 367 oficiais e praças foram promovidos, que somados aos 945 novos soldados, que serão entregues para a sociedade na próxima sexta-feira (8), totaliza 1312 promoções, um recorde para a Corporação.
Com um repertório diferenciado, a Banda de Música da PM animou o público presente, que como de costume, não parou de dançar. Já o fã clube do projeto, confeccionou uma camisa personalizada em homenagem ao aniversário da Polícia Militar.
No momento mais importante da festa, toda a população pode cantar, junto aos policiais, o tradicional parabéns. A banda Sambaki encerrou os festejos com uma apresentação no local.
Alagoas de pé pela história, eis a tua polícia sem par
Criada em 03 de fevereiro de 1832, recebendo a denominação de Corpo de Guardas Municipais Permanentes, a Polícia Militar teve como primeira missão manter a ordem interna na província de Alagoas, obedecendo às leis imperiais, bem como debelar os adeptos da Guerra dos Cabanos.
Com o passar dos anos, a Corporação participou de diversos conflitos no cenário nacional e internacional. A PMAL se destacou no combate ao cangaço, que aterrorizava o sertão do nordeste brasileiro, dando fim ao bando liderado por Virgulino Ferreira da Silva, conhecido até os dias de hoje como Lampião.
Atualmente, atua diariamente nos 102 municípios do estado através de diversas modalidades de policiamento ostensivo, em terra, no mar e nas lagoas e também nos céus, através do patrulhamento aéreo realizado por helicóptero.
Em 2003, A Polícia Militar de Alagoas recebeu o Prêmio Nacional de Direitos Humanos, em virtude de suas ações visando a promoção de Paz Social. A Corporação se orgulha por fazer parte dos trabalhos que tem ajudado a diminuir os índices de criminalidade em Alagoas, que ano passado, foi o Estado que mais reduziu o número de mortes violentas no Brasil.
Formatura dos novos soldados e outorga de medalhas
A Polícia Militar promove na próxima sexta-feira (8), a solenidade de Formatura do Curso de Formação de Praças (CFP/2017). O evento ocorre a partir das 10 horas, no Ginásio do Sesi, localizado no bairro Trapiche da Barra, em Maceió.
Ao todo, 945 alunos finalizaram o Curso de Formação de Praças, que teve duração de 35 semanas, perfazendo um total de 1440 horas/aula. Eles foram distribuídos em turmas no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da PM (CFAP), nos Polos Maceió e Arapiraca.
Após a formatura, os novos soldados combatentes, oriundos do último certame público realizado em 2017, serão distribuídos nas unidades operacionais da corporação, reforçando o policiamento ostensivo.
Ainda na solenidade, medalhas serão outorgadas, agraciando policiais militares que se destacaram em diversas áreas, bem como civis que contribuíram com relevantes serviços para a corporação.
Os agraciados receberão as medalhas de Mérito Administrativo “Coronel Lanivaldo Cabral de Melo”; Mérito Disciplinar “Duque de Caxias”, Medalha do Tempo de Serviço Policial Militar – categorias ouro (30 anos de serviço) e bronze (10 anos); Mérito Operacional “Marechal Floriano Peixoto”; Mérito Intelectual e Mérito Institucional “Zumbi dos Palmares”, considera a maior honraria da PM.

Pai e filho de 8 anos ficam gravemente feridos em colisão de carro com árvore

Pai e filho ficaram gravemente feridos após uma colisão de um carro e uma árvore durante a madrugada desta segunda-feira (4), entre os municípios de Olho d’Água do Casado e Piranhas, Sertão de Alagoas. O condutor apresentava sinais de embriaguez.

Vítimas ficaram presas às ferragens

FOTO: Assessoria

De acordo com informações da assessoria do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), com o impacto da colisão, uma das vítimas ficou presa às ferragens, mas ambas precisaram ser retiradas com o auxílio dos militares.

O condutor sofreu fraturas expostas nas pernas, e o filho, uma criança de 8 anos, sofreu fratura no braço e na clavícula. As vítimas passaram pelos primeiros socorros e foram conduzidas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Delmiro Gouveia.

O adulto, por sua vez, foi transferido para o Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca, devido à gravidade de seu estado de saúde.

Já quanto ao estado de saúde da criança, os bombeiros ainda buscam informações. O acidente ocorreu por volta das 3h e o condutor apresentava sinais de embriaguez.


Marco Aurélio nega pedido de Flávio Bolsonaro para suspender investigação

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu negar nesta sexta-feira (1º) um pedido do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para suspender as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) a partir de movimentações financeiras consideradas “atípicas” pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

O senador eleito Flávio Bolsonaro disse, por meio de sua assessoria, que não vai se pronunciar por ora, mas que deve se manifestar no Senado sobre a decisão na tarde desta sexta-feira (1º). Flávio havia pedido a suspensão do procedimento investigatório com o argumento de que uma vez eleito senador, a competência para autorizar investigação seria do STF, por causa do foro privilegiado.

Em entrevista ao blog há duas semanas, Marco Aurélio já tinha sinalizado que rejeitaria o pedido da defesa do senador eleito. “Tenho negado seguimento a reclamações assim, remetendo ao lixo”, afirmou o ministro na ocasião.

Com a decisão de Marco Aurélio, a investigação do MP-RJ pode ser retomada. O ministro também determinou o fim do sigilo do caso.

Na decisão, Marco Aurélio afirma que a competência da Corte “está delimitada, de forma exaustiva, na Constituição Federal”, e que cabe ao STF julgar deputados e senadores por crimes cometidos no exercício do mandato.

“Reitero o que sempre sustentei: a competência do Tribunal é de Direito estrito, está delimitada, de forma exaustiva, na Constituição Federal. As regras respectivas não podem merecer interpretação ampliativa. A Lei Maior, ao prever cumprir ao Supremo julgar Deputados e Senadores, há de ter abrangência definida pela conduta criminosa: no exercício do mandato e relacionada, de algum modo, a este último”, disse o ministro.

Marco Aurélio disse, ainda, que a Corte não pode servir de “elevador processual”.

“A situação jurídica não se enquadra na Constituição Federal em termos de competência do Supremo. Frise-se que o fato de alcançar-se mandato diverso daquele no curso do qual supostamente praticado delito não enseja o chamado elevador processual, deslocando-se autos de inquérito, procedimento de investigação penal ou processo-crime em tramitação”, afirmou o ministro.

Investigação

Flávio Bolsonaro e seu ex-motorista Fabrício Queiroz são alvos de procedimento investigatório do Ministério Público do Rio de Janeiro iniciado a partir de relatórios do Coaf. O conselho identificou uma movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz e também na conta de Flávio Bolsonaro – em um mês, foram 48 depósitos em dinheiro, no total de R$ 96 mil, de acordo com o Coaf.

Os depósitos, concentrados no autoatendimento da agência bancária que fica dentro da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), foram feitos sempre no mesmo valor: R$ 2 mil.

A investigação faz parte da Operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro que prendeu dez deputados estaduais.

De acordo com o Coaf, nove funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro transferiam dinheiro para a conta de Fabrício Queiroz em datas que coincidem com as datas de pagamento de salário.

O filho do presidente Jair Bolsonaro tem dito estar à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos, mas não atendeu aos convites do Ministério Público para apresentar as explicações.

Recurso ao Supremo

Ainda durante o recesso do Judiciário, o ministro Luiz Fux, do STF, mandou suspender provisoriamente o procedimento investigatório do MP-RJ atendendo a pedido de Flávio Bolsonaro, até que o relator do caso, ministro Marco Aurélio pudesse decidir.

Na reclamação ao STF, Flávio Bolsonaro argumentava que o Ministério Público requereu ao Coaf informações sobre dados sigilosos de sua titularidade e que as informações do procedimento investigatório foram obtidas de forma ilegal, sem consultar a Justiça.

Segundo Flávio, houve usurpação de competência da Corte para decidir sobre o precedimento investigatório, uma vez que foi confirmada sua eleição como senador e que só o Supremo poderia decidir neste caso.

Ele alegou, ainda, que “o Ministério Público do Rio se utilizou do Coaf para criar atalho e se furtar ao controle do Poder Judiciário, realizando verdadeira burla às regras constitucionais de quebra de sigilo bancário e fiscal”.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2019 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey