82 99641-3231

Médicos têm até hoje (14) para se apresentarem aos municípios

Profissionais com registro no país que se inscreveram no Programa Mais Médicos têm até hoje (14) para se apresentar nos municípios escolhidos. O começo da atuação, de acordo com o Ministério da Saúde, deve ser estabelecido junto ao gestor local.

Dados da pasta mostram que, até as 11h da última segunda-feira (10), 53% dos profissionais haviam comparecido ou iniciado as atividades nas localidades.

O programa recebeu 36.490 inscrições, preenchendo 98,7% (8.411 profissionais alocados) das 8.517 vagas disponibilizadas no edital. Até o momento, estão abertas para as próximas etapas 106 vagas em 29 localidades.

Na próxima segunda-feira (17), o ministério fará um balanço das vagas disponíveis, somando as desistências e as que não tiveram procura. Profissionais com registro no país terão nova chance para se inscrever e escolher os municípios disponíveis nos dias 18 e 19 de dezembro.

Formados no exterior

O prazo para que candidatos ao Mais Médicos formados no exterior (sem registro no Brasil) apresentem a documentação também vence hoje. O ministério exige, ao todo, 17 documentos – entre eles, o reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país onde os profissionais obtiveram a formação.

A partir do próximo dia 20, brasileiros sem registro no país também poderão escolher vagas disponíveis no programa.

Próximas etapas

  • Dias 11 a 14 – Profissionais formados no exterior enviam documentação para validação da inscrição.
  • Dia 14 – Último dia para os profissionais com registro no país inscritos no primeiro edital se apresentarem nos municípios.
  • Dia 17- Balanço das vagas disponíveis (soma desistências e não selecionadas).
  • Dia 18 e 19 – Os profissionais com registro no país escolhem os municípios disponíveis.
  • Dias 20 a 22 – Os médicos brasileiros formados no exterior e sem registro no país que tenham a inscrição previamente validada poderão escolher os municípios remanescentes.
  • Dias 26 a 28 – Os estrangeiros formados no exterior e sem registro no país poderão escolher as vagas remanescentes.

Vigilante é morto a pauladas e corpo é encontrado na zona rural de Arapiraca

O corpo do segurança Charlisson Barbosa Pinheiro, de 26 anos, foi encontrado na manhã desta sexta-feira (14), no sítio Mundo Novo, zona rural de Arapiraca. De acordo com informações não oficiais, a vítima foi morta a pauladas e foi encontrada nas proximidades de uma barreira, ao lado da motocicleta que conduzia.

Segundo a esposa, que prefere não ser identificada, Charlisson saiu para o trabalho por volta de 8h30. Os funcionários da empresa não o encontraram no local e estranharam porque a chave estava no cadeado do portão.

A mulher disse ainda que o companheiro não tinha envolvimento com drogas e que havia abandonado o álcool há seis meses. Charlisson deixa dois filhos.

As motivações do crime ainda serão investigadas pela polícia.

Policiais da Força Tarefa estão no local e aguardam a chegada da Polícia Civil, Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal, para os procedimentos necessários.


Jovem é degolado após discussão em bar em Taquarana

Na manhã desta quinta-feira (13), um homem foi morto a facadas na rua da Serra, no bairro Alto da Santa Cruz, no município de Taquarana, agreste alagoano.

De acordo com informações,  a vítima conversava com um amigo quando foi abordada pelo criminoso, que desferiu golpes na altura do pescoço e fugiu.

Silvânio Ancelmo, de 22 anos, faleceu antes mesmo da chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

O jovem teria várias passagens criminais por roubo, o que poderia ter motivado o assassinato.

A polícia foi esteve no local, juntamente com o Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML).

Ainda não se sabe a autoria do crime.


Palmeira dos Índios e 58 municípios entra em estado de alerta de surto de doenças causadas pelo Aedes

Levantamento divulgado nesta quarta-feira (12), pelo Ministério da Saúde, revela que 59 municípios alagoanos estão em situação de alerta de surto de dengue, zika e chikungunya. Desse total, 11 deles – Arapiraca, Craíbas, Palmeira dos Índios, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Jaramataia, Major Isidoro, Maribondo, Murici, Paulo Jacinto, Senador Rui Palmeira e Taquarana – têm alto risco de surto de doenças provocadas pelo Aedes aegypti.

Em outras 43 cidades do Estado – incluindo a capital Maceió – a situação é considerada satisfatória pelo Ministério da Saúde. Mesmo assim, o órgão alerta que a atenção dos moradores deve ser triplicada. Veja a situação dos municípios alagoanos.

De acordo com o governo federal, a maior parte dos criadouros do mosquito em Alagoas foi encontrada em depósitos de água (com 777 casos), seguida de depósitos domiciliares (192) e lixo (23).

O mapa da dengue, como é chamado o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), mostra que das 27 capitais em todo o país, Palmas (TO), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto não apenas de dengue, mas também de zika e chikungunya.

Outras 12 capitais, de acordo com o estudo, registram situação de alerta: Manaus (AM), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS).

Em todo o País, segundo os dados do Ministério da Saúde, pelo menos 504 municípios brasileiros registram alto índice de infestação pelo Aedes aegypti e apresentam risco de surto para doenças transmitidas pelo vetor.

Casos

Segundo os dados epidemiológicos do Ministério da Saúde, até o dia 3 de dezembro, a incidência de casos de dengue em Alagoas este ano é de 59 para cada 100 mil habitantes. Em todo o Estado, foram registrados 1.960 casos, com duas mortes em decorrência da doença.

O levantamento mostra também que no mesmo período, foram registrados 181 casos de febre chikungunya no Estado, com uma morte em decorrência da doença.

Em relação à zika, os dados do Ministério da Saúde revelam que de janeiro até o dia 3 de dezembro, foram registrados 149 casos da doença no Estado. Não há registro de óbito.


Gaesf desarticula bando em AL e PE acusado de lesar erário em mais de R$ 12 mi

O Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens (Gaesf) do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), desencadeou, na manhã desta quinta-feira (13), a segunda fase da “Operação Perfídia”, que continua com o objetivo de desarticular uma organização criminosa (Orcrim) especializada nos crimes de fraude à licitações, falsidade ideológica, simulação de operações tributárias e lavagem de bens. Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão nos estados de Alagoas e Pernambuco.

A operação foi deflagrada nos municípios de Maceió (AL), Garanhus e Caetés (PE), por volta das 6h da manhã. Aqui na capital, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em residências e empresas. Já no interior de Pernambuco, deu-se cumprimento às outras duas medidas cautelares, todas expedidas pela 17ª Vara Criminal da Capital.

De acordo com o coordenador do Gaesf, promotor de justiça Cyro Blatter, essa segunda fase da “Perfídia” acontece para dar continuidade às investigações iniciadas em julho último contra a Orcrim comandada pelo empresário Victor Pontes de Mendonça Melo, acusado de ter fraudado licitações que geraram um prejuízo de mais de R$ 12 milhões aos cofres do tesouro estadual.

“Queremos coletar e aprofundar provas referentes as ações ilícitas perpetradas pela organização criminosa chefiada por Victor Pontes e que acarretaram prejuízos de milhões de reais ao erário público, recursos que são de propriedade do povo alagoano”, argumentou Blatter.

O promotor de justiça Kleber Valadares, também integrante do Gaesf, informou que, em Garanhuns e Caetés, houve mandados porque, lá, um empresário se envolveu em reiterados pagamentos de propina com a pessoa de Victor Pontes. “Recolhemos documentos tanto na casa, quanto na empresa do senhor Flávio Hugo Ferreira de Moraes. Tudo será analisado minuciosamente pelo Gaesf. Queremos saber qual o grau de envolvimento dele com os esquemas ilegais montados pelo Victor Pontes”, explicou ele.

 

Primeira fase da Perfídia

Em setembro deste ano, o Gaesf deflagrou a 1a fase da “Operação Perfídia”, que cumpriu dois mandados de prisão preventiva e 22 de busca e apreensão nos municípios de Maceió, Arapiraca, Coqueiro Seco e Satuba.

Na ocasião, o Gaesf informou que a organização criminosa liderada por Victor Pontes era composta por pelo menos 11 pessoas físicas. Parte delas era considerada “testa-de-ferro” e “laranja”. Além disso, o esquema também envolvia 17 empresas, com todas atuando de maneira fraudulenta contra o fisco de Alagoas.

A 1ª fase resultou na apreensão de computadores, cheques, aparelhos celulares, documentos como contratos e licitações e de 10 veículos de passeio – com quatro pertencentes a Vitor Pontes -, um caminhão e uma Fiorino – também de propriedade do principal acusado -, além de três motocicletas.

“Aquela primeira fase resultou num inquérito que já foi concluído. O resultado foi o indiciamento de alguns indivíduos pelos crimes de fraude à licitação, lavagem de dinheiro e organização criminosa, dentre outros, envolvendo gestores do município de Passo de Camaragibe e empresários. Inclusive, a prisão do Victor Pontes se deu em razão disso. Agora, a segunda fase tem a intenção de recolher novos elementos de prova para subsidiar a próxima ação penal que será proposta pelo Ministério Público”, detalhou o delegado Filipe Caldas.

O significado de “Perfídia”

Segundo o Gaesf, o nome da “Perfídia” foi escolhido para a operação porque ele significa “aquele ou aqueles que enganam e/ou são desleais”, o que faz uma alusão à traição para com a coisa pública.

O Gaesf

O Gaesf é o Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens e tem em sua composição, além do Ministério Público, a Secretaria Estadual da Fazenda, a Procuradoria-Geral do Estado, a Polícia Civil e a Polícia Militar de Alagoas.

 


MPE realiza fiscalização em veículos escolares nos municípios alagoanos

Para garantir a segurança de estudantes que necessitam de locomoção para ir à escola, o Ministério Público do Estado (MPE/AL) em parceria com o Departamento de Trânsito de Alagoas (Detran) realizam nesta terça-feira (11), a Operação Transporte Legal.

A fiscalização ocorre no município de União dos Palmares, onde ao todo, 106 veículos estão sendo vistoriados.

Participam da operação os promotores de Justiça Lucas Sachsida, Maria Luiza e Carlos Davi. Eles estão acompanhados pelo coordenador da Lei seca, tenente Emanuel.

Uma fila de veículos escolares se formou no local onde estão sendo feitas as vistorias. O objetivo da operação é evitar acidentes e preservar a vida dos estudantes dos municípios alagoanos.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey